Entenda tudo sobre a avaliação do MEC

Saiba que a nota de cada área cobrada na prova dependerá do grau de dificuldade da questão acertada e consistência geral de respostas. Aprenda mais sobre o cálculo de avaliação.

A nota do Enem é como um tipo de régua, ela é feita para medir o grau de conhecimento dos alunos. Esta régua conta com dois parâmetros para o cálculo, e o meio desta régua é o número 00.

O número é correspondente á media dos acertos nas provas de 2009 dos alunos de terceiro ano de ensino médio. Isto significa que se você tirar uma nota 500 em alguma área no Enem, seu desempenho é semelhante aos alunos de 2009.

Após isto, se coloca na régua intervalos de 100 pontos para baixo, como por exemplo 400, 300, e para cima, 600,700, entre outros.

Cada 100 pontos correspondem a uma diferença de média para cima e para baixo do desempenho dos alunos de 2009, o que se chama de desvio padrão.

Assim que foi feita a régua, a nota poderá variar em diferenças ínfimas, como por exemplo 500,1 ou ainda 489,3. Com o desempenho dos alunos de forma média, medido por área, em matemática, ciências humanas, linguagens e códigos, além de ciências humanas, cada uma possui sua régua.

Como deve funcionar a régua

Durante esta régua, são colocadas todas as questões levando em conta seu grau de dificuldade, desta forma cada uma das questões ocupa um lugar nela.

As questões mais fáceis acabam ficando para baixo de 500, as médias por volta de 500, e as mais difíceis para cima 600, 700, 800, e assim por diante. Durante a realização das provas, as respostas das questões definem o grau de conhecimento determinado para cada aluno.

Um aluno que possua um grau de conhecimento 600 em matemática, se espera que ele acerte as questões abaixo de 600 e erre as que estão acima de 600.

Como funciona com relação a elaboração da prova?

Para que se possa montar a prova do Enem 2019, o MEC deverá selecionar um conjunto de 45 questões em cada área. É necessário que se meça o domínio das competências, habilidades e conteúdos que estão previstos na matriz de referência do Enem, estas que são compostas equilibrando assim o grau de dificuldades de questões fáceis, médias e difíceis. A partir disto, a régua, o pré teste e o cálculo final da nota são realizados por um método que é conhecido como método TRI – Teoria da Resposta ao Item.

O que é o pré teste?

Para que cada uma das questões sejam colocadas na régua, elas passam por um pré teste antes do Enem, este que é organizado pelo MEC. Participam destes pré testes escolas de todo o Brasil, e cada um dos alunos recebe um caderno com 48 questões, desta forma são testadas milhares de questões que devem integrar o banco de dados do MEC. Deste conjunto de questões, aleatoriamente saem 180 que deverão compor o Enem 2019.

O cálculo das notas

Saiba que na nota final, esta calculada por um computador, o Enem deverá considerar a consistência das repostas. Pelo menos dois alunos com cinco questões certas em matemática por exemplo, poderão contar com notas diferentes. O que acertou as cinco mais fáceis deverá contar com uma nota maior, já que seu desempenho será coerente. O outro por sua vez, que errar as questões fáceis e acerta outras difíceis, terá sua nota reduzida através do cálculo de casualidade, ou seja, como a proficiência é pequena, a TRI deverá entender o acerto em questões difíceis, como por exemplo o chute, e irá reduzir o valor do item correto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *