Louca sua miga

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Adeus LaGarota, Bem vindo Tô Frita!

Provavelmente, você está acompanhando o meu sumiço. A partir do fim do ano de 2016, a minha vida virou praticamente um colapso. Eu precisei me desdobrar em TCC, mudança de emprego, fim de relacionamentos, mudança de apartamento e um monte de outras transições.



Todas, graças a Deus, foram muito positivas. Porém, teve um efeito colateral: o abandono do LaGarota. Durante anos, desde meus 12 de idade - e eu tenho 22 atualmente - nunca coloquei o blog em uma pausa. Porém, dessa vez eu precisei. E o resultado disso tudo foi uma grande reflexão e uma das maiores mudanças na minha vida.

Qual é essa mudança e o que vai acontecer daqui pra frente?




O LaGarota como vocês conhecem hoje vai deixar de existir. O blog literário dará lugar a uma página e canal focados em meninas que precisaram, ou quiseram, tornar-se mulheres mais cedo (Ou tornar-se-em? Existe mesóclise aqui? Alguém ainda lembra disso? Está dando um bug na minha cabeça, perdoem-me!). Mulheres em responsabilidade, mulheres em tomar a frente de suas próprias vidas e escolher seus destinos, mulheres em não viver na passividade, mulheres em todo o sentido. O LaGarota se tornará, então, o "Tô Frita".

Decorrente disso, durante essa semana, vocês poderão ter problemas ao tentar acessar as redes sociais do blog. E, muito provavelmente, terão contato com uma quantidade de erros na página, no canal, no domínio e no LaGarota em geral.

Aliás, é por isso que estou fazendo essa publicação: para tranquilizar vocês. Recebi alguns comentários nas rede sociais do blog e estou aqui para tranquilizar vocês que me acompanham desde muito tempo: eu não vou sumir. Ao contrário, eu vou aparecer ainda mais. O "Tô Frita" está chegando! E estou fazendo de tudo para que até Agosto o blog novo esteja 100% rodando e os conteúdos estejam sendo publicados de uma forma muito apaixonada, assim como era no LaGarota.

Por que isso tudo?

Eu já estava percebendo alguns indícios que eu precisava mudar no meu interior há um bom tempo. Conforme comentei no vídeo, eu estava sentindo que não fazia mais a diferença conforme eu fazia no início do blog. Não que isso fosse o motivo maior para eu manter a página. No entanto, admito, era um dos pilares que me mantinha motivada.



Ainda nessa linha de raciocínio, percebi que eu tenho muito mais a compartilhar do que apenas meu gosto literário. Eu tenho uma história muito bacana e aprendizados incríveis para debater.

Apesar da minha pouca idade eu vivi muitas coisas e vendo muitas amigas às vezes muito indecisas sobre seus ramos profissionais, e até mesmo pessoais, acho que tenho mais a ajudar nesse sentido do que apenas indicando livros românticos que vão fortalecer a ideia de que somos "apenas meninas românticas à procura de um cara incrível". Não que isso seja errado, é incrível se apaixonar e procurar alguém bacana, mas a vida é bem mais do que isso. E eu sinto dentro de mim que eu tenho bastantes coisas nesse sentido para influenciar. Acredito que serão aprendizados maiores!

Além disso tudo, comecei a ver algumas meninas - até da minha própria geração - tendo como referência mulheres que, sinceramente?, não significam uma essência bacana. À la Bel Pesce. Mulheres que tinham tudo para nos inspirar acabaram nos deixando órfãs de inspiração. E, admito, por um segundo eu fiquei sem referência feminina de independência e força profissional e pessoal - devem existir muitas mas eu não as encontrei.

Isso me incomodou um pouco. E eu pensei "Se não há referência sobre o que você mesma está precisando, vamos começar a falar sobre isso!". Então, aqui estou eu para construir algo junto com vocês.

Nostalgia LaGarota

Antes de explicar um pouco sobre o "Tô Frita", eu queria fazer uma rápida nostalgia do LaGarota, desde quando eu nem era la garota.



Para isso, reuni meus primeiros vídeos que estão por aí, perdidos pelos meus antigos canais, ou até mesmo desativados do meu canal atual (não procurem por isso!).



Como eu comentei ali em cima, eu comecei a blogar precocemente - como praticamente tudo na minha vida e eu não me arrependo de nada! Com 10 para 11 anos, eu já brincava de divulgar o meu Flogão - que na época era divulgando o trabalho da minha banda preferida. Depois, eu fui para vários fotologs, até que em um momento eu precisei criar meu blog para escrever. E foram surgindo vários no decorrer do tempo.


Eu passei pelo Sonhare, Letras de Sonhadoras, Imaginayre, LaGarota e agora estou indo para o Tô Frita. Sem dúvidas, o posterior sempre era melhor que o anterior. Tanto em termos de quantidade de visitas, quanto de identidade e paixão. E com certeza não vai ser diferente do "Tô Frita!".



O novo começo do Tô Frita

Deixemos então a nostalgia para trás e vamos falar do que você vai encontrar aqui, neste mesmo lugar, nos próximos dias.

O "Tô Frita!" está tendo seu escopo inspirado na série da MTV "Tô Frito", que narra a estória de um menino que vai para São Paulo em busca de um sonho profissional.

Na época dos meus quatorze anos, eu ficava até às 22:30h acordada preparada para assistir. Lembro-me bem o quanto eu ficava inspirada por essa série - por essa e pela série "Descolados" também transmitida pela MTV aberta na época.

A vida do protagonista era muito o que eu pressentia que aconteceria na minha. E, bingo!, aconteceu. Porque eu quis, corri atrás e tive a ousadia de transformar em realidade o que ele contava na ficção.

Infelizmente, eu não encontrei em local nenhum da internet os episódios para mostrar um pouco para vocês. O máximo que encontrei foi o vídeo de abertura e a música-tema - que inclusive é maravilhosa e resume bastante o meu sentimento de criar o "Tô Frita". Vem comigo ver:




Inspirada na série "Tô Frito", então, surge o "Tô Frita". Um blog que contará um pouco da minha história, local onde vou compartilhar a quantidade de coisa que eu aprendi nesse meio tempo e dar dicas das mais variadas, desde como conseguir um bom emprego e se sustentar sozinha até as coisas mais bobas para as quais não fomos "treinadas" para viver.

  • Eu quero conversar com vocês, meninas, sobres os desafios de colocar meia muda de roupas dentro da mochila, chegar na sala e falar com os pais "Tô indo embora";
  • Quero conversar com vocês sobre os perrengues que nós passamos para conquistar aqueles sonhos, e não apenas sobre as viagens maravilhosas e roupas caras que a maioria das blogueiras postam;
  • Quero mostrar para vocês que tudo bem ficar perdidas às vezes. A gente só se encontra quando a gente se perde. E, acredite, quem acha que essa frase é um clichê bobo, nunca a entendeu na prática;
  • Quero conversar com vocês sobre a ansiedade que fica dentro de nós para nos dar bem na vida e sentir orgulho do caminho que nós mesmas traçamos, e não nossos pais, namorados, tios, avós ou cachorros e papagaios;
  • Quero também ensinar como fazer arroz, porque não apenas de miojo vivemos - e digo de passagem que eu passei aperto com isso, rs;
  • Quero ajudar vocês a encontrar um caminho profissional que seja condizente com o que vocês querem para a vida de vocês, e não apenas para conseguir pagar as contas no fim do mês;
  • Quero trazer exemplos reais, e não apenas de mulheres que se aproveitam do empreendedorismo de palco, para roubarem o sonho de vocês em troca de algum dinheiro;
  • Eu não quero brincar com o sonho de vocês.
  • Eu quero sonhar acordada junto com vocês!
  • Eu quero que um dia vocês, ao invés de pensarem, "Tô frita!", pensem "Tô feita", e eu realmente espero que possam pensar que eu ajudei um pouco. Mesmo a alguns metros de distância.

Vem Comigo!

Se você quiser embarcar nessa comigo, deixe seu email na caixa a seguir que eu vou te avisar dos próximos passos do "Tô Frita". Eu estou muito animada para contar e dar essas dicas. Acho que vocês podem crescer bastante e eu posso aprender ainda mais! Bora?






0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016