Louca sua miga

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Livro "Inventei Você?" - Francesca Zappia

LIVRO "INVENTEI VOCÊ?"

O ENREDO DO LIVRO

Alex Ridgemont não é uma garota comum. Desde criança ela via coisas que ninguém mais via, mas foi apenas aos treze anos de idade que foi diagnosticada com esquizofrenia e algum tempo depois com paranoia.

Agora aos dezessete anos de idade, ela quer travar uma batalha com a esquizofrenia para que possa ter uma vida o mais normal possível e poder ir para a faculdade depois do último ano da escola. Para isso, ela troca de escola depois de um pequeno “incidente”. Pronta para recomeçar na Escola de Ensino Médio East Shoal, Alex quer iniciar do zero, sem que ninguém saiba da sua esquizofrenia. No entanto, não será fácil, uma vez que ela conhece Miles, o rapaz idêntico ao garotinho de Olhos Azuis de sua infância.

Miles Richter é um garoto esquisito e sem um pingo de sensibilidade. Todos na escola têm medo dele, incluindo os professores e o diretor. Como um garoto tão estranho tem tanto poder sobre as pessoas na escola? E será que ele é o mesmo Olhos Azuis, o garoto que ela achou ter sido fruto de sua imaginação?

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem fofa! Essa capa é maravilhosa e combina muito com a personagem. A cada início de capítulo temos uma figura com significado na história. A narração está em primeira pessoa e fica por conta da nada confiável Alex.

LOMBADA

O LIVRO NO GERAL

Que livro mais maluco! Que protagonista mais confusa. Como acreditar em qualquer coisa que sai da boca e da mente de Alex? Em vários momentos eu ficava “Como assim? Isso não era real então?”.

Alex Ridgemont é uma garota incrível! Em sua confusão e me arrastando junto, ela se tornou uma personagem mais que agradável para mim. Pude me aproximar dela de uma maneira diferente de outras protagonistas. Talvez seja pela escrita da autora ou pela própria condição da personagem, não sei, mas Alex conquistou um espaço em meu coração.

Miles Richter é outro personagem com cantinho reservado no meu coração. Apesar de toda a insensibilidade que vamos entendendo ao longo do livro, ele é o nerd mais fofo desse mundo! Esse garoto sabe tudo! Parece uma enciclopédia ambulante. Até no jogo de adivinhar o personagem que alguém está pensando, ele acerta sem fazer muitas perguntas. Ele sabe mesmo fazer associações e armazenar na mente. Adoro!

A aproximação entre Alex e Miles me rendeu boas risadas, pois os dois não se suportavam. Por ser a garota nova, Alex acaba por enfrentar Miles sem reservas ou medo dele, como toda a escola tinha. Os dois são muito fofos! E vão se aproximando de maneira encantadora.

“Ele se aproximou e abriu os braços. Fui me aconchegando e apoiei a cabeça em seu ombro. Ele sussurrou algo em alemão. Fechei os olhos e coloquei a mão sobre seu coração novamente.” Página 227

Francesca Zappia soube levar o leitor a se perguntar várias vezes sobre o que era real e o que não era. Essa confusão em nossa mente é o charme que essa história tão divertida e tocante tem a nos oferecer. A autora soube tratar sobre a temática esquizofrenia de maneira leve e divertida. Não ficou um livro pesado, mas também não ficou como um assunto bobo. Se você busca um livro que te faça embaralhar a cabeça,  mas de uma maneira surpreendente, então tem Inventei Você? é o livro!

LIVRO "INVENTEI VOCÊ?"
Esse é o livro de estreia da autora e espero muito que a Editora Verus traga outros em breve!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Livro "A Distância Que Nos Separa" - Kasie West

LIVRO "A DISTÂNCIA QUE NOS SEPARA"

O ENREDO DO LIVRO

Caymen Meyers leva uma vida simples com a mãe Susan. As duas moram na parte de cima da loja de bonecas de porcelana e estão sempre lutando contra as dívidas. Abrindo mão do seu futuro, todo dia ela sai mais cedo da escola para ajudar a mãe na loja, mesmo que ela deteste cada hora passada lá.

“Talvez aqui eu possa esquecer o estresse da minha vida. Esquecer que sou uma pessoa de dezessete anos vivendo uma vida de quarenta.” Página 88

Apesar da loja ser frequentada por aqueles que têm muito dinheiro para gastar com as bonecas de porcelana, Caymen sabe que esses não são confiáveis. Ela sabe disso por experiência de sua mãe que foi abandonada pelo namorado rico quando soube da existência da gravidez de Caymen.

As coisas mudam quando Xander Spence aparece na loja para comprar uma boneca para avó. Caymen não esperava era que ele acabasse atravessando as barreiras que ela tinha contra os ricos. E com essa nova relação muitas coisas viessem a ser reveladas.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está simples, mas bem caprichada. Essa capa é todo o encanto que me fez querer ler o livro. Olhem essa capa, é uma maravilha! O livro é narrado em primeira pessoa pela visão da fofa da Caymen, mas bem que eu queria a visão de Xander também. Rsrs...

PRIMEIRA FOLHA

O LIVRO NO GERAL

De cara eu gostei da personalidade de Caymen. A garota tem um humor ácido que me encantou, além de não perde tempo com bobagens como os outros adolescentes. Com a vida que leva, Caymen sabe que não pode se dar ao luxo de ser mimada e idealista. Ela é muito pé no chão e sabe a realidade que vive, mas isso também chega a ser triste.

Tão jovem, sem sonhos para realizar e sem perspectiva de futuro. Não pude não me sentir aflita para a maneira que Caymen foi levando a vida, mas aos poucos ela vai vendo outras possibilidades quando Xander aparece em sua vida com a ideia do dia da profissão. Xander é outro personagem apaixonante! Meigo e atencioso, Xander ganhou meu coração com a sua maneira de se aproximar de Caymen. Além desse romance lindo, também temos o tema sobre o futuro. O que fazer quando crescer? Caymen e Xander vão descobrindo juntos.

A Distância Que Nos Separa é uma muita fofura em forma de livro! O livro é perfeito para ler depois da leitura de um livro intenso e que possa nos ter deixado em ressaca literária. Aqui temos garantia de leveza e amor. Kasie West também é a autora de Namorado de Aluguel (resenha aqui), outro livro fofo lançado pela Verus. Tem resenha aqui no blog. A autora continua sendo o pedido certo para ler livros leves e com um toque de diversão. Leitura para nos fazer suspirar com os personagens fofos. Leiam!

LIVRO "A DISTÂNCIA QUE NOS SEPARA"

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Adeus LaGarota, Bem vindo Tô Frita!

Provavelmente, você está acompanhando o meu sumiço. A partir do fim do ano de 2016, a minha vida virou praticamente um colapso. Eu precisei me desdobrar em TCC, mudança de emprego, fim de relacionamentos, mudança de apartamento e um monte de outras transições.



Todas, graças a Deus, foram muito positivas. Porém, teve um efeito colateral: o abandono do LaGarota. Durante anos, desde meus 12 de idade - e eu tenho 22 atualmente - nunca coloquei o blog em uma pausa. Porém, dessa vez eu precisei. E o resultado disso tudo foi uma grande reflexão e uma das maiores mudanças na minha vida.

Qual é essa mudança e o que vai acontecer daqui pra frente?




O LaGarota como vocês conhecem hoje vai deixar de existir. O blog literário dará lugar a uma página e canal focados em meninas que precisaram, ou quiseram, tornar-se mulheres mais cedo (Ou tornar-se-em? Existe mesóclise aqui? Alguém ainda lembra disso? Está dando um bug na minha cabeça, perdoem-me!). Mulheres em responsabilidade, mulheres em tomar a frente de suas próprias vidas e escolher seus destinos, mulheres em não viver na passividade, mulheres em todo o sentido. O LaGarota se tornará, então, o "Tô Frita".

Decorrente disso, durante essa semana, vocês poderão ter problemas ao tentar acessar as redes sociais do blog. E, muito provavelmente, terão contato com uma quantidade de erros na página, no canal, no domínio e no LaGarota em geral.

Aliás, é por isso que estou fazendo essa publicação: para tranquilizar vocês. Recebi alguns comentários nas rede sociais do blog e estou aqui para tranquilizar vocês que me acompanham desde muito tempo: eu não vou sumir. Ao contrário, eu vou aparecer ainda mais. O "Tô Frita" está chegando! E estou fazendo de tudo para que até Agosto o blog novo esteja 100% rodando e os conteúdos estejam sendo publicados de uma forma muito apaixonada, assim como era no LaGarota.

Por que isso tudo?

Eu já estava percebendo alguns indícios que eu precisava mudar no meu interior há um bom tempo. Conforme comentei no vídeo, eu estava sentindo que não fazia mais a diferença conforme eu fazia no início do blog. Não que isso fosse o motivo maior para eu manter a página. No entanto, admito, era um dos pilares que me mantinha motivada.



Ainda nessa linha de raciocínio, percebi que eu tenho muito mais a compartilhar do que apenas meu gosto literário. Eu tenho uma história muito bacana e aprendizados incríveis para debater.

Apesar da minha pouca idade eu vivi muitas coisas e vendo muitas amigas às vezes muito indecisas sobre seus ramos profissionais, e até mesmo pessoais, acho que tenho mais a ajudar nesse sentido do que apenas indicando livros românticos que vão fortalecer a ideia de que somos "apenas meninas românticas à procura de um cara incrível". Não que isso seja errado, é incrível se apaixonar e procurar alguém bacana, mas a vida é bem mais do que isso. E eu sinto dentro de mim que eu tenho bastantes coisas nesse sentido para influenciar. Acredito que serão aprendizados maiores!

Além disso tudo, comecei a ver algumas meninas - até da minha própria geração - tendo como referência mulheres que, sinceramente?, não significam uma essência bacana. À la Bel Pesce. Mulheres que tinham tudo para nos inspirar acabaram nos deixando órfãs de inspiração. E, admito, por um segundo eu fiquei sem referência feminina de independência e força profissional e pessoal - devem existir muitas mas eu não as encontrei.

Isso me incomodou um pouco. E eu pensei "Se não há referência sobre o que você mesma está precisando, vamos começar a falar sobre isso!". Então, aqui estou eu para construir algo junto com vocês.

Nostalgia LaGarota

Antes de explicar um pouco sobre o "Tô Frita", eu queria fazer uma rápida nostalgia do LaGarota, desde quando eu nem era la garota.



Para isso, reuni meus primeiros vídeos que estão por aí, perdidos pelos meus antigos canais, ou até mesmo desativados do meu canal atual (não procurem por isso!).



Como eu comentei ali em cima, eu comecei a blogar precocemente - como praticamente tudo na minha vida e eu não me arrependo de nada! Com 10 para 11 anos, eu já brincava de divulgar o meu Flogão - que na época era divulgando o trabalho da minha banda preferida. Depois, eu fui para vários fotologs, até que em um momento eu precisei criar meu blog para escrever. E foram surgindo vários no decorrer do tempo.


Eu passei pelo Sonhare, Letras de Sonhadoras, Imaginayre, LaGarota e agora estou indo para o Tô Frita. Sem dúvidas, o posterior sempre era melhor que o anterior. Tanto em termos de quantidade de visitas, quanto de identidade e paixão. E com certeza não vai ser diferente do "Tô Frita!".



O novo começo do Tô Frita

Deixemos então a nostalgia para trás e vamos falar do que você vai encontrar aqui, neste mesmo lugar, nos próximos dias.

O "Tô Frita!" está tendo seu escopo inspirado na série da MTV "Tô Frito", que narra a estória de um menino que vai para São Paulo em busca de um sonho profissional.

Na época dos meus quatorze anos, eu ficava até às 22:30h acordada preparada para assistir. Lembro-me bem o quanto eu ficava inspirada por essa série - por essa e pela série "Descolados" também transmitida pela MTV aberta na época.

A vida do protagonista era muito o que eu pressentia que aconteceria na minha. E, bingo!, aconteceu. Porque eu quis, corri atrás e tive a ousadia de transformar em realidade o que ele contava na ficção.

Infelizmente, eu não encontrei em local nenhum da internet os episódios para mostrar um pouco para vocês. O máximo que encontrei foi o vídeo de abertura e a música-tema - que inclusive é maravilhosa e resume bastante o meu sentimento de criar o "Tô Frita". Vem comigo ver:




Inspirada na série "Tô Frito", então, surge o "Tô Frita". Um blog que contará um pouco da minha história, local onde vou compartilhar a quantidade de coisa que eu aprendi nesse meio tempo e dar dicas das mais variadas, desde como conseguir um bom emprego e se sustentar sozinha até as coisas mais bobas para as quais não fomos "treinadas" para viver.

  • Eu quero conversar com vocês, meninas, sobres os desafios de colocar meia muda de roupas dentro da mochila, chegar na sala e falar com os pais "Tô indo embora";
  • Quero conversar com vocês sobre os perrengues que nós passamos para conquistar aqueles sonhos, e não apenas sobre as viagens maravilhosas e roupas caras que a maioria das blogueiras postam;
  • Quero mostrar para vocês que tudo bem ficar perdidas às vezes. A gente só se encontra quando a gente se perde. E, acredite, quem acha que essa frase é um clichê bobo, nunca a entendeu na prática;
  • Quero conversar com vocês sobre a ansiedade que fica dentro de nós para nos dar bem na vida e sentir orgulho do caminho que nós mesmas traçamos, e não nossos pais, namorados, tios, avós ou cachorros e papagaios;
  • Quero também ensinar como fazer arroz, porque não apenas de miojo vivemos - e digo de passagem que eu passei aperto com isso, rs;
  • Quero ajudar vocês a encontrar um caminho profissional que seja condizente com o que vocês querem para a vida de vocês, e não apenas para conseguir pagar as contas no fim do mês;
  • Quero trazer exemplos reais, e não apenas de mulheres que se aproveitam do empreendedorismo de palco, para roubarem o sonho de vocês em troca de algum dinheiro;
  • Eu não quero brincar com o sonho de vocês.
  • Eu quero sonhar acordada junto com vocês!
  • Eu quero que um dia vocês, ao invés de pensarem, "Tô frita!", pensem "Tô feita", e eu realmente espero que possam pensar que eu ajudei um pouco. Mesmo a alguns metros de distância.

Vem Comigo!

Se você quiser embarcar nessa comigo, deixe seu email na caixa a seguir que eu vou te avisar dos próximos passos do "Tô Frita". Eu estou muito animada para contar e dar essas dicas. Acho que vocês podem crescer bastante e eu posso aprender ainda mais! Bora?






quinta-feira, 6 de julho de 2017

Livro "Princesa de Papel" - Erin Watt

LIVRO "PRINCESA DE PAPEL"

O ENREDO DO LIVRO

Apesar dos dezessete anos, Ella não é mais uma garota adolescente normal. Já passou por muitas provações e essas só a fizeram amadurecer mais rapidamente.

Depois da morte da mãe, Ella Harper se muda de Seattle para Kirkwood, uma cidade pequena no Tennessee. Um ótimo lugar para recomeçar a vida, poder estudar em uma boa escola e quem sabe fazer faculdade. Mas para isso ela vai precisar de dinheiro. Para se sustentar, ela usa uma identidade falsa para poder trabalhar na boate de strip Miss Cindy’s como dançarina de pole dance.

As coisas estavam indo bem, na medida do possível para quem tem uma vida como a de Ella, até que um desconhecido aparece em sua escola alegando ser seu tutor e informando ao diretor que a mãe de Ella está morta. Esse tutor seria Callum Royal, mas Ella não faz ideia de quem fosse ele e não deseja ser arrastada para um outro lugar por esse homem desconhecido. Com o pouco dinheiro que tem, ela pretende fugir para longe e se esconder, porém Callum parece ter mais poder do que ela imaginava e logo é encontrada.

Callum Royal se revela o melhor amigo de Steve O’Halloran, o pai biológico até então desconhecido por Ella. Steve morreu recentemente sem nunca poder conhecer a única filha até pouco tempo também desconhecida para ele. Callum pretende acolhê-la como se fosse sua filha, mas primeiro tem que convencer Ella que ela deve ficar em sua casa. Para isso ele faz uma proposta bastante tentadora. Sem lugar e perspectiva com a vida que leva, Ella decide aceitar a proposta e vai viver nas mãos de Royal.

MARCADOR LINDO!
A vida de Ella se transforma da noite para o dia. Um quarto só seu, estudando em uma escola da elite, roupas caras. Porém, o que poderia ser uma estadia bastante agradável, torna-se um inferno quando os filhos de Callum decidem odiá-la antes mesmo de poder conhecê-la. Principalmente Reed, o segundo mais velho dos irmãos e líder do bando. E o único que faz o coração de Ella bater mais forte.

“Um tremor percorre meu corpo. É com ele que preciso me preocupar. É com ele que preciso tomar cuidado. [...] Os olhos se apertam de leve. Ele sente o desafio mudo. Vê meu desdém e não gosta.” Página 42

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Toda a parte gráfica está linda! Essa capa amarela e com a coroa combina bastante com a história e está bem caprichada. As folhas são de boa qualidade e cada início de capítulo tem uma coroa enfeitando-a. Nesse quesito o Selo Essência está de parabéns. Encontrei alguns erros de revisão, com algumas frases que não fazem sentido e que claramente me incomodaram, mas nada que interfira na leitura. A narração é em primeira pessoa e fica por conta de Ella Harper.

CAPÍTULO E MARCADOR

O LIVRO NO GERAL

Ella Harper é uma garota bem determinada. Não tem papas na língua e fala o que pensa. Algumas vezes mal pensa no que diz até que as palavras já saíram de sua boca, o que acaba trazendo algumas complicações em sua estadia com os Royal.

“Ainda acredito que tem alguma coisa boa por aí me esperando. Só preciso continuar em frente até minha hora chegar, porque é claro, claro que nada disso aconteceria se não houvesse uma recompensa no caminho.” Página 176

Esse é o tipo de livro que muita gente vai amar e muitos outros vão odiar. Isso por que Ella é tratada como um acessório da casa. Os irmãos Royal não têm o mínimo de respeito por ela. Sério! A cada encontro, um ou outro destila veneno para cima da garota. Isso é um ponto extremamente negativo da história! O ponto positivo vem quando Ella não se deixa a abater pelo tratamento recebido. Ela é bastante forte e vai conseguindo se sair desses percalços e ganhando espaço na casa. Quando Ella vai conhecendo a família, muita coisa vai sendo assimilada e o leitor vê o porquê do tratamento tão negativo dos rapazes contra ela. Você concorda com isso? Não, você não vai concordar. Confesso que no início do livro tudo isso me dava náuseas, mas o livro vai trazendo um crescimento dos personagens e um melhor entendimento por trás das atitudes.

LIVRO "PRINCESA DE PAPEL"
Gostei do livro sim, mas não me apaixonei por Reed Royal ou por seus irmãos. Eles não são personagens apaixonantes, mas consegui me envolver com a luta de Ella para ganhar seu lugar e pela transformação dos irmãos ao longo da história. Espero que no próximo livro essa transformação só venha a crescer ainda mais. Quem leu vai entender perfeitamente o que quero dizer a seguir.

Comecei essa resenha com o coração na mão, pois o final foi estraçalhador! Eu sabia que tinha algo errado, mas não sabia exatamente o que era. Os pontos ao longo da história foram se conectando até chegar à revelação final. Esse livro destruiu meu coração. Destruiu o coração de muitas leitoras com certeza. Ainda estou em choque, não consigo assimilar esse final. Quando será lançado o próximo livro?!?! Soube de pessoas que já leram o segundo livro em inglês e que esse vai ser tão tenso quanto o primeiro ou mais. Como meu coração vai aguentar de ansiedade?

Erin Watt é um pseudônimo de duas autoras, Jen Frederick e Elle Kennedy. Essa última já tem outros livros lançados aqui no Brasil pelo Selo Paralela da Companhia das Letras. Confiram!

LIVRO "PRINCESA DE PAPEL"
AVISO: Recomendo que o livro seja lido para maiores de 18 anos!

terça-feira, 4 de julho de 2017

Livro "Um Dia de Cada Vez" - Danielle Steel

LIVRO "UM DIA DE CADA VEZ"

O ENREDO DO LIVRO

A vida de Coco Barringtons é tranquila e pacata. Totalmente fora do padrão moldado de sua família. Filha de um renomado agente de Los Angeles e de uma escritora best-sellers, e com uma irmã produtora de filmes de Hollywood, Coco é a ovelha negra da família. Nunca se interessou por uma carreira que pudesse lhe render muita fama e dinheiro em excesso.

Sendo a mais nova da família, Coco sempre foi muito manipulada por Jane, 11 anos mais velha. Prestes a começar as gravações do mais novo filme, Jane praticamente manda Coco ficar em sua casa e cuidar de seu cachorro enquanto ela teria que ficar um longo período fora de casa. Sem ter forças para negar, Coco aceita. Mas o que ela não esperava era ter que conviver com Leslie Baxter, um dos atores mais famosos de Hollywood.

Leslie Baxter está fugindo da ex-namorada maluca, pretendendo se esconder até que ela ache outra presa para suas obsessões. Ele pede refúgio a Jane que lhe cede sua casa em Los Angeles pelo tempo que quiser. Ao chegar na casa, ele não esperava encontrar uma bela ruiva e dois cachorros lambuzados de xarope.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está caprichada e eu adoro essa capa, apesar do casal não combinar com o do livro. Rsrs... Folhas amareladas e letras confortáveis a visão. Narração está em terceira pessoa, mas com foco principal em Coco.

LOMBADA

O LIVRO NO GERAL

Senti em Coco Barringtons uma baixa estima tremenda. Sempre muito gentil, ela acabava cedendo aos caprichos da mãe e irmã, que estavam sempre dizendo que Coco deveria subir na vida e não esconder em uma cabana. Ela era uma personagem fraca, mas vai evoluindo aos poucos. Já Leslie, apesar de ser muito fofo, não senti aquela paixão que os mocinhos nos fazem sentir. Não senti aquele despertar.

O início da leitura estava muito gostoso. O livro estava com o gosto de novidade, pois fazia tempo que eu não lia um romance bem docinho mesmo, mas depois de um tempo Um Dia de Cada Vez vai apenas se repetindo.

Um Dia de Cada Vez corre muito nas cenas e quando dá uma parada tem as falas dos personagens apenas se repetindo. Além disso, logo eles se conhecem, contam muita coisa de suas vidas um para o outro e se apaixonam perdidamente. Sabemos que muitos romances são assim, mas acredito que nesse livro as sensações vieram diferentes para mim. Não me entendam mal, o livro não tem um romance ruim, apenas não funcionou para mim da maneira que eu esperava.

A cada página era um “eu te amo”, “fizemos amor”, “minha família não gosta de mim” e etc. Depois de um tempo a leitura se tornou cansativa e eu estava esperando ardentemente por um bom conflito, um boom grande para agitar o livro e dar um pouco de sofrimento de verdade ao casal. Também me senti confusa em alguns momentos, pois apesar do livro estar em terceira pessoa com foco principal em Coco, a autora mistura a visão dos outros personagens em um mesmo parágrafo.

LIVRO "UM DIA DE CADA VEZ"
Eu já conhecia outros dois livros da Danielle Steel e esses tinham muito mais agitação do que esse. Uma pena, mas ainda pretendo ler mais livros da autora. Para quem gosta de romances bem melosos e com muitas cenas em pura dose de açúcar no sangue, esse é uma boa pedida. Ah! Fica aqui meu apelo para a Editora Record relançar o livro O Segredo de uma Promessa também da Danielle Steel.
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016