Louca sua miga

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Livro "O Sol Também É Uma Estrela" - Nicola Yoon

LIVRO "O SOL ESTÁ EM TODO LUGAR"

O ENREDO DO LIVRO

Natasha Kingsley está no pior dia de sua vida: vai ser deportada dos EUA e para a Jamaica em algumas horas. Imigrante ilegal desde os oito anos de idade, Tash não quer ter que deixar tudo para trás de novo. Teve que fazer isso quando chegou aos EUA quando criança, mas agora prestes a terminar o ensino médio, ela tem sonhos e não quer deixar tudo para trás e recomeçar de novo. Talvez a única chance dela e de sua família continuarem no país é com a ajuda de um bom advogado. Sem pensar duas vezes, Tash parte em busca de sua única chance nas últimas horas que lhe restam no país. Porém, ela não contava em acabar encontrando alguém no meio do caminho.

Daniel Jae Ho Bae é um rapaz coreano nascido nos EUA. Está de terno e gravata, pronto para uma entrevista sobre sua entrada na Universidade Yale. Daniel não sabe o que quer fazer ainda, mas seus pais querem que ele se dê bem na vida e seja médico. Preste a seguir para a entrevista, o universo decide que ele deve dar primeiro uma passada pela Time Square. Lá ele acaba encontrando alguém que pode mudar muito sua jornada.

“Quando nossos olhos se encontram, sinto uma espécie de déjà vu, mas, em vez de parecer que estou repetindo alguma coisa do passado, parece que experimento algo que vai acontecer no futuro.” Página 59

TATUAGENS FOFAS

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A capa está linda!!! Esse arsenal de cores nas linhas dá muito charme e combina com as volta que a vida dá para ter os encontros e desencontros dos protagonistas. O tipo de capa é o sofh touch (que eu não gosto), mas ainda assim combina com o estilo de linhas a imagem. A Editora Arqueiro fez um trabalho excelente na parte gráfica! A narração é uma mistura de primeira e terceira pessoa. Tash e Daniel nos relatam suas visões em primeira pessoa e o narrador nos conta fatos à parte sobre os outros personagens que aparecem ou curiosidades sobre determinando tema que tenha sido citado. O livro se transforma em uma imensa interação. Acho isso muito bacana!

O LIVRO NO GERAL

O Sol Também É Uma Estrela intercala bastante os capítulos entre Tash e Daniel, tornando esses bem curtos. O livro parece um recorte de impressões e visões dos protagonistas. Achei maravilhoso o modo como Nicola Yoon juntou e encaixou tudo perfeitamente. Não perdemos nada do que Tash e Daniel estão sentindo, pois ela da uma pausa no capítulo de um para entrar na do outro quando algum sentimento forte pode ser sentido pelos dois ao mesmo tempo. Algo que adorei foi que Daniel tinha a tendência de iniciar alguns de seus capítulos com se fosse uma manchete, o que me deixou divertida e com o coração na mão para saber qual a consequência do assunto.

O modo como os personagens são desenvolvidos é de maneira singela, mas com muita firmeza de caráter e personalidade única. Quando um erra, logo depois consegue admitir seu erro e contornar a situação, eles não deixam pontas com suas intenções. É maravilhoso!!! Eu sou sinceramente apaixonada por Tash e Daniel. Eles são perfeitos juntos e juntos podem enfrentar o mundo.

LOMBADA LINDA!
Além do romance fofo, temos as relações familiares. Nenhuma família é perfeita e os conflitos são bem retratados aqui entre Dan e seu pai Dae Hyun, Dan e seu irmão Charles e Tash com os pais, principalmente com seu pai Samuel. Coração na mão nessas horas!

O diferencial desse livro, é que Nicola Yoon faz seus personagens fugirem dos padrões da maioria dos livros, esse diferencial veio no quesito etnia e raça. A maioria dos personagens dos livros são brancos, com variações de olhos e cabelos lisos. Acredito que Nicola Yonn, que é jamaicana, veio para explorar o outro lado da população que não é muito retratada na literatura, sejam eles de qualquer cor de pele e culturas diferentes. E vem fazendo isso de modo maravilhoso!

As questões raciais e culturais são bem abordadas no livro. Temos também a indagação sobre os seus sonhos para o futuro, sobre o que queremos ser quando crescer. Enquanto Dan estava na dúvida sobre a carreira de medicina e gostar de escrever poemas, Tash estava com seu objetivo traçado, esquecendo qualquer apego ao que poderia gostar de fazer de verdade. Uma garota prática. Cresceu vendo o sonho do pai não ser concretizado a cada dia e ela sabia que não queria passar pela mesma situação. Tash acabou crescendo e se tornando uma garota prática, sem paixão. Adorei vê-la crescer e desabrochar no decorrer de um dia com Dan. Seu mundo muda e mostra uma nova perspectiva sobre a vida, de como ela pode ser vivida.

“Ele acha que meu cabelo cheira a chuva de primavera. Estou tentando mesmo permanecer impassível e não me deixar afetar. Lembro que não gosto de linguagem poética. Não gosto de poesia. Não gosto de pessoas que gostam de poesia. Mas também não estou morta por dentro.” Página 123

O Sol Também É Uma Estrela foi meu primeiro contato com a escrita da Nicola Yoon, apesar dela já ter lançado aqui no Brasil o livro Tudo e Todas As Coisas pela Editora Novo Conceito, que vai ter filme nos cinemas em breve. Será O Sol Também É Uma Estrela também vai ter chance de ir para as telonas? Torcendo por isso!

LIVRO "O SOL ESTÁ EM TODO LUGAR"

domingo, 23 de abril de 2017

Livro "Opala" - Jennifer L. Armentrout

LIVRO "OPALA"
Opala é o terceiro livro da saga Lux, essa resenha pode conter spoiler dos livros anteriores: Obsidiana e Ônix.

O ENREDO DO LIVRO

Opala inicia dias depois da volta de Dawson, irmão de Daemon e Dee, ao mundo dos vivos! Apesar dele nunca ter estão morto. Em Ônix, depois que Katy e Daemon descobriram que Dawson estava vivo, os dois fizeram o possível para resgatá-lo. Os dois e os outros Luxen estão muito felizes pela volta de Dawson para casa, mas também muito apreensivos. Como ninguém do DOD, uma organização secreta do governo, apareceu ainda para levar Dawson de volta e exigir explicações? Todos estão esperando o DOD aparecer a qualquer momento e levá-los como cobaia de experimentos.

Apesar da felicidade de estar de volta, Dawson quer resgatar sua namorada Beth das garras da DOD, porém, um plano elaborado deve ser feito. É aí que Blake aparece novamente, para sua alegria ou infelicidade, depende do ponto que você olha. Mas será que Katy e os Luxen devem confiar neles de novo? No entanto, eles não têm escolha já que Dawson está desesperado para ir atrás de Beth, mesmo que isso o coloque em perigo de novo.

LOMBADA

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está linda como nos outros livros anteriores! Esse rapaz da capa combina muito com Daemon, até o olhar sexy. Rsrs... A Editora Valentina continua arrasando na qualidade dos livros da série. A narração fica por conta da Katy, mas continuo achando que a Dee merecia umas cenas na visão dela. <3

O LIVRO NO GERAL

Esse livro é do mesmo tamanho que o anterior, mas aqui tem muito mais participação dos outros personagens: Ash, Andrew, Matthew, Dee e Dawson. Como o foco aqui é o resgate de Beth, todos os amigos Luxen de Daemon estão envolvidos e prontos para ajudar. Além de um novo personagem que pode ajudar nessa empreitada. Aqui temos uma equipe incrível! Mas cuidado em quem você confia...

Fiquei muito triste pela amizade de Katy e Dee. Nesse livro, as duas estão mais distantes do que nunca. Como Katy escondeu muita coisa dela em Ônix, além daquele final fatídico com um certo personagem, a amizade delas está bastante estremecida. Fiquei bem triste com isso!

MARCADORES LINDOS!
Katy e Daemon finalmente se entenderam, ou melhor dizendo, eles estão namorando, mas continuam se bicando muito. Rsrs... Os dois são bastantes cabeças duras e é claro que apesar de se amarem, sempre tem aqueles momentos de discussão. Algumas bem desnecessárias. A proteção de Daemon com Katy chega a ser sufocante. Entendo que o medo dele para ela não se machuca é enorme, mas tem coisas que você não pode evitar e querer colocar a pessoa numa caixa de vidro não dá. Então a Katy está bem mais ativa aqui, ela não se deixa levar por essas inseguranças e imposições de Daemon. Dai-lhe, Katy!

“Apoiando a cabeça em seu ombro, imaginei como ele deixara de ser um cretino de marcar maior para se tornar aquele... cara que me deixava furiosa, mas que constantemente me surpreendia e maravilhava. Era por esse cara que eu havia me apaixonado perdidamente.” Página 34

Opala foi um livro com maior interação entre os personagens. A ação e tensão aqui também são bem mais presentes do que nos livros anteriores e o amor também está no ar! Posso dizer com certeza que esse foi meu livro preferido até agora da saga Lux. O livro tem a mesma leveza dos dois livros anteriores. Jennifer L. Armentrout continua com sua ótima escrita e adorando Crepúsculo. Rsrs... Encontrei novamente uma cena bem no estilo desse livro. Achei tão fofo dessa vez!!!

Opala termina com um cliffhanger horrível!!!! Que final tenso! Lágrimas rolaram e quero para logo a continuação. Estou muito curiosa de como será o desenrolar da cena final. Com muita ação e romance na medida certa, Opala vai destroçar seu coração no final.

LIVRO "OPALA"

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Leitor Digital: 8 Motivos para Comprar Um

Leitor Digital - Por que ter um
Leitor Digital: Será que você precisa de um?

O leitor digital é, sem dúvidas, uma mão na roda para quem ama ler e carregar muitos livros. Eu tenho o meu já há um tempinho e, para dizer a verdade, não sei o que faria sem ele (porque quando quero estudar inglês com obras estrangeiras e ler livros quando não tenho dinheiro, é ele quem me ajuda).

No entanto, sei que muitas pessoas ainda não têm o seu. Então, eu resolvi elencar oito motivos para você ter o seu e-reader e também preparei uma surprezinha no final deste vídeo e no fim do post para quem quer aproveitar e comprar o seu. Bora conferir?



Por que Comprar um Leitor Digital?


Não precisa de Luz para Ler

Às vezes, estamos em uma viagem à noite e não queremos perturbar as pessoas que estão ao nosso lado com alguma lanterna. No entanto, também não queremos abandonar uma leitura instigante que está nos tirando o sossego.

Os leitores digitais, de forma geral, possuem luz adaptável à claridade do ambiente. Então, você pode ler o quanto quiser sem atrapalhar ninguém.

Não precisa Levantar para Apagar a Luz durante uma Leitura Noturna

Quanto estamos acompanhando um livro à noite e pegamos no sono temos uma das melhores sensações. Dormimos tranquilos, porque a leitura relaxa, e nem vemos o sono chegar. A não ser, é claro, que você seja obrigado a se levantar da sua cama quentinha para apagar a luz. 

Como o seu e-Reader possui luz própria, você poderá acompanhar a leitura no escuro. Dessa forma, você nem perceberá que o sono chegou. Só no outro dia!


É leve e pode ser Carregado com Facilidade

Sabe aquele medo de amassar o livro? Pois é, com o aparelho digital você não tem esse receio. Os leitores digitais em sua maioria são bem resistentes. Porém, não deixe de protegê-lo com uma capinha reforçada.


Dá para Levar muitos Livros ao Mesmo Tempo

Às vezes quero carregar três ou quatro livros comigo para cima e para baixo. Isso porque dependendo do momento eu posso querer ler livros diferentes. Porém, é claro que essa situação fica um pouco complicada devido ao peso excessivo das obras. 

Com o leitor digital isso é possível. Afinal, dependendo da memória do seu aparelho, é possível incluir milhares de obras sem dificuldade alguma. 


É Perfeito para os Ansiosos

Quando uma obra muito querida lança queremos correr para a livraria para adquirí-la. No entanto, isso pode levar algum tempo - afinal, o livro tem que ser produzido, distribuído, transportado e você tem que ter a sorte de chegar enquanto tiver no estoque físico da loja.

Com o seu leitor digital, é possível efetuar a compra e receber o arquivo original assim que a obra estiver disponível nas lojas virtuais compatíveis com o seu e-Reader. 


É fácil Marcar e Destacar Trechos

Cada leitor digital possui um sistema diferente para marcações e destaque de trechos. Mas todos oferecem praticidade. No caso do meu aparelho, é preciso apenas pressionar e selecionar o trecho o qual quero destacar e ele gera um documento com todas as minhas marcações, o qual pode ser transferido facilmente para o computador, o que facilita, e muito!, a produção das minhas resenhas e o armazenamento dos trechos preferidos.

Facilita o Entendimento de Novas Palavras

De forma geral, os e-Reader's oferecem praticidade na tradução de palavras. Com os livros físicos normais, quando nos deparamos com alguma palavra desconhecida, precisamos pesquisar na internet ou recorrer aos tradicionais dicionários impressos. 

Porém, com o seu aparelho digital específico para leitura, basta pressionar o dedo sob a palavra desconhecida e o seu significado será ativado, dessa forma, otimizando seu tempo de leitura.

É prático para Quem Quer Aprender Inglês

O sistema anteriormente citado também pode ser utilizado nas leituras de obras estrangeiras, o que facilita, e muito!, o aprendizado de outras línguas. Neste caso, ao invés do significado, aparecerá a tradução - e você ainda pode escolher em qual dicionário seu aparelho deve se basear.

Surpresa para quem quer comprar seu e-Reader

Conforme indiquei no início dessa postagem, e também no vídeo, preparei uma surpresa para quem quer comprar de uma vez um aparelho específico para leitura. O/ Conseguimos um cupom de desconto para leitores do LaGarota de 10% na compra do LEV, o leitor digital da Livraria Saraiva

O Cupom estará funcionando até o dia 23 de Abril de 2017. Para aproveitá-lo, basta clicar aqui, inserir o aparelho no carrinho de compras e em "Cupom de Desconto ou Vale-Presente" inserir o código NOVOLEV1

Espero que tenham gostado do vídeo e do material. Não deixem de nos seguir nas redes sociais e acompanhar nossas novas publicações. Estão vindo diversas novidades para o LaGarota e acho que vocês irão curtir bastante! ;) Um beijo!


#Publieditorial

terça-feira, 18 de abril de 2017

Livro "Nossas Horas Felizes" - Gong Ji-Young

LIVRO "NOSSAS HORAS FELIZES"

O ENREDO DO LIVRO

Apesar de ter beleza física e tudo que o dinheiro pode proporcionar, Mun Yujeong não é feliz. Amargurada com sua vida e com sua família, ela está na cama de um hospital depois de sua terceira tentativa de suicídio mal sucedida. Com 30 anos, Yujeong não quer mais viver.

Desde os seus 15 anos de idade, Yujeong vem se rebelando contra à família. Uma família que não a protegeu, não a apoiou e não a entendeu em um de seus momentos mais difíceis. Desde então ela tem ido contra tudo que a família quer. A única pessoa que ainda ficou do seu lado foi sua tia Mônica, uma freira de convento.

Tia Mônica faz uma proposta para Yujeong: acompanhá-la em suas visitas, uam vez na semana durante um mês, a um preso no corredor da morte. Se caso depois desse mês, ela ainda queira se matar, tia Mônica não irá interferir. Yujeong sempre teve muito apreço por sua tia e sabe que não pode recusar essa proposta.

“Quando refleti sobre o fato e que alguém realmente me queria por perto, senti uma dor no coração. [...] Eu não queria admitir, mas me ocorreu mesmo assim: a razão pela qual eu não consegui me matar, a razão pela qual eu era incapaz de terminar o serviço e continuava fracassando nesse objetivo [...] era tudo por causa de tia Mônica.” Páginas 62 e 63

LOMBADA
Assim, as duas vão toda quinta-feira vão visitar Jeong Yunsu, um homem condenado por matar brutalmente três mulheres e estuprar uma delas. Quando Yujeong fica sabendo do motivo da condenação de Yusun, ela quase desiste de acompanhar sua tia, no entanto sua tia está velha demais para fazer essas visitas sozinha de modo que decide continuar a acompanhando. E as visitas acabam fazendo uma transformação na vida de Yujeong e Yunsu.

No início as visitas são difíceis, mas no decorrer dos encontros, os dois acabam se vendo de verdade. Almas quebradas pela vida, almas que precisam se libertar de seu passado obscuro. E que precisam se perdoar.

“Quando ele disse que não tinha mais o desejo ou a esperança de continuar vivendo, o nervosismo em sua voz me pareceu familiar. Eu provavelmente soava daquela forma o tempo todo também. Tinha dito as mesmas palavras para mim família gritando-as, na verdade: Apenas me deixem morrer!” Página 56

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem simples, mas caprichada! A capa me dá uma sensação inquietante, pois apesar do título que remente a momentos felizes, a imagem da capa passa outra mensagem. Esse contrate ficou perfeito. A narração fica em primeira pessoa por conta de Yujeong e Yunsu. Ela relembra o passado de como sua vida começou a mudar e ele se lembra de sua infância.

CITAÇÃO

O LIVRO NO GERAL

Nossas Horas Felizes não foi um livro fácil de ler. Com apenas 280 páginas, o livro trás bastante narração dos pensamentos tanto de Yujeong e Yunsu. Os dois passaram por muita coisa e a mente deles é um emaranhado de sensações que me deixaram nervosa.

Yujeong foi uma protagonista contraditória. Uma hora eu conseguia entender toda a sua revolta com o mundo, mas também ficava brava com ela por ser tão infantil. Ela era uma mulher de 30 anos, mas agia como uma adolescente. Parecia que o mundo de Yujeong tinha parando no tempo por conta de uma fatídica noite, aquela em que a confiança nas pessoas que deveriam protegê-la foi despedaçada. Destruída.

Com o personagem Yunsu, eu fiquei em cima no muro também, porém de uma forma diferente. Ele fez coisas terríveis no passado, coisas que destruíram famílias mesmo que de forma indireta. Como se afeiçoar com um personagem assim? Mas o livro vem justamente falar sobre o perdão. Sobre não deixar os sentimentos ruins te consumirem. Sobre viver de maneira plena e satisfatória.

Nossas Horas Felizes é um livro de impacto. Não foi um livro fácil para mim. Apesar das poucas páginas, não é o tipo de livro que a gente lê em uma sentada. Suicídio, abuso sexual, violência, abandono, negligência, etc. É muita coisa forte em um único livro, mas também cheio de mensagens reflexivas sobre a vida e sobre a morte. Sobre como devemos seguir em frente mesmo que as situações da vida nos façam querer pausar a ter não termos mais vontade de viver. Recomendo a leitura para aqueles que queiram se emocionar, refletir e que queiram viver.

Nossas Horas Felizes é um livro da coreana Gong Ji-Young. A autora recebeu vários prêmios em seu país por esse livro, além de ser uma autora best-seller com mais de 10 milhões de exemplares vendidos em mais de 12 países. Editora Record traga mais livros da autora!!!!

LIVRO "NOSSAS HORAS FELIZES"

segunda-feira, 17 de abril de 2017

13 Reasons Why: Os Comentários que Me Revoltam

13 Reasons Why

A série "Os 13 Porquês", originalmente "13 Reasons Why", está causando polêmica ao redor da internet e movimentando diversos tipos de público, desde pais, até os próprios adolescentes. Neste mar de opiniões e discussão, fiquei revoltada com algumas reações e opiniões perante um material audiovisual que foi baseado em um dos livros que mais mudaram meu interior. Então, hoje, resolvi comentar um pouco sobre as ideias que tive sobre esse tipo de reação. Vem comigo!

13 Reasons Why


Os 13 Porquês

Tive acesso aos 13 porquês no ano passo (2016) através de uma parceria que realizei com o Container Cultura. (Assista aqui o Unboxing do Container Cultura) O livro tem uma carga emocional densa, porém, por ter poucas páginas, possuir uma velocidade de narração acelerada, ser prático e bem organizado, a leitura se desenrolou rapidamente.

Na época, a obra de Jay Asher me fez repensar tudo o que eu fazia, como eu agia e como eu enxergava o próximo. Aquele livro realmente me mudou. De uma forma devastadora, de dentro para fora. Eu nunca mais consegui ser o que eu era antes, e isso foi uma coisa boa. 

Sei que todo livro tende a mudar um pouco de nós. Mas Os 13 Porquês não me mudou, me transformou. 

Por que Você Deve Ler "Os 13 Porquês"?


Os comentários das pessoas

Eu costumo dizer que as melhores pessoas são aquelas que leem muitos dramas e livros que narram estórias facilmente enxergadas na vida real. Isso porque esses indivíduos são mais empáticos, julgam menos, têm consciência das dores e dificuldades do próximo e sabem que todo mundo tem seus porquês. Cada um tem seus próprios motivos. E não é porque você não entende que isso significa que eles não existam. Entretanto, infelizmente, sei que grande parte – se não a maioria – das pessoas não são assim.

Navegando pela internet, encontrei comentários se referindo a Hannah Baker como uma menina “insuportavelmente invejosa com a vida alheia”. (E antes que você me diga, “é só uma personagem”, eu já te respondo, “É uma personagem que representa, infelizmente, milhares de meninas e meninos do mundo real”).
Comentários maldosos sobre 13 reasons why
Comentário sobre "13 Reasons Why"

Comentários maldosos sobre 13 reasons why
Segundo comentário sobre "13 Reasons Why"


E isso me fez questionar se essa pessoa que assistiu a série e teve a audácia – se não a maldade – de comentar algo como essas palavras não sentiu que ela poderia muito bem ser uma influenciadora assim como esses adolescentes da série. Será que essas pessoas não conseguem se identificar com essas personagens? Será que elas não conseguiram entender que a questão da série não é necessariamente a morte de Hannah mas sim o nosso papel e influência sobre a vida do próximo? Ou será que elas estão se enganando assim como os pais de Hannah? 



Os culpados


Nós nos enganamos todos os dias, assim como os pais de Hannah Baker. Na trama, eles mergulham em um processo para acusar a escola de não entender os sinais de sua filha e não ajuda-la. Mas a questão é que eles, como pais, não os entenderam e não a ajudaram. Então, aqui acompanhamos uma grande vontade de culpar terceiros quando nós mesmos também somos culpados. E simplesmente não queremos aceitar.

A Significância de Alguém com Problemas

Hannah era, sim, uma menina problemática. Ela tinha, sim, suas peculiaridades. Mas por ela ter esses problemas, sua dor e significância deveriam ser anulados? Por que então essas pessoas estão reduzindo a série como “13 Reasons Why é uma série sobre uma menina invejosa e problemática”?

13 Reasons” não é sobre uma menina problemática. É sobre a sua falta de empatia com as pessoas próximas a você. Porque, sim, a série é sobre você. Sobre mim. E sobre todos nós que ignoramos o significado de cada um e reduzimos os motivos que maltratam o coração do próximo.

O papel da série em nossa sociedade

É vendo esse tipo de comentário que percebo o grande papel dessa série em nossa sociedade. Independentemente da discussão de que o Netflix romantizou um suicídio – isso é papo para outra postagem – a trama está colocando em pauta nossas ações, nossa influência. Porque se formos levar em consideração apenas esses comentários na internet e entender que Hannah é só uma “garotinha invejosa que quer chamar atenção” chegaríamos a seguinte conclusão: Se a inveja mata, ela é uma doença. E doenças precisam ser curadas. Independentemente de você achar que é uma bobeira ou não. (Aliás, quem é você para falar que um sentimento de outra pessoa é bobeira?)


E, para deixar bem claro, em nenhum momento acho que Hannah é uma “garotinha invejosa”. Até mesmo porque a inveja e a vontade de chamar atenção não importa mais para uma garota morta. Certo?


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Evento - Romance de Época da Arqueiro


Dia 9 de abril teve o evento de Romance de Época da Editora Arqueiro ministrado pela Liliana, Suzana e Mairton em Fortaleza. Tive o prazer de ir mais uma vez a esse evento maravilhoso!!! Bate-papo sobre esses romances que tanto amo e muitas trocas de ideias dos leitores que foram ao evento sobre as indicações de futuras autoras para serem lançadas pela editora. o/

Vários brindes foram sorteados e eu ganhei Simplesmente o Paraíso. Palmas!!! E está tendo sorteio dele no meu instagram @juntodoslivros. Vão lá participar! ;)

Ficamos sabendo que TODOS os livros da Julia Quinn serão lançados pela Editora Arqueiro. Todos!!! Uma ótima notícia para os fãs da autora. Ansiosos? Eu ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, mas ganhei o box do Quarteto Smythe-Smith do meu namorado, então já vou entrar nesse mundo na Julia logo mais.


Também foram mostrados os livros da Lisa Kleypas que vão ser lançados pela editora. <3 Sou apaixonada pelos livros dela! Já li todos dela lançados até agora no Brasil e espero que lancem mais além desses mostrados no slide. Alguém aqui é apaixonada por ela como eu?


Também foram faladas sobre as autoras Sarah MacLeanMary Balogh e Loretta Chase. A escrita da Sarah MacLean eu conheci ano passado e fiquei apaixonada! Tem resenha minha no outro blog a qual sou resenhista. Confiram aqui. Já sobre a autora Mary Balogh, li dois livros da série Os Bedwyns esse ano e tem resenha aqui no blog. Ligeiramente Casados e Ligeiramente Maliciosos. O último livro da série Bedwyns acabou de lançado pela editora. Dá Loretta Chase também tem resenha aqui no blog com O Príncipe dos Canalhas e Sedução da Seda. Os outros livros da série As Modistas estão para chegar esse ano também!

E para encerra esse post, o livro que ganhei no sorteio do evento!!! Como eu disse lá no começo do post, eu estou sorteando o livro no meu instagram @juntodoslivros. Vem participar!


terça-feira, 11 de abril de 2017

Livro "Amor Letal" - Robin LaFevers

LIVRO "AMOR LETAL"
Passei por tantas emoções com essa série e agora venho me despedir dessas moças ardilosas e habilidosas, as assassinas do convento de Saint Mortain. E muita coisa aconteceu nesse livro! Aqui, toda a trama que iniciou com Ismae e continuou com Sybella, acaba agora com Annith. Não se iluda achando que a série perdeu o passo em algum dos três livros, Robin conduziu os livros com maestria.

O ENREDO DO LIVRO

A origem e chegada de Annith ao convento é um mistério para todos. Dita como filha do deus Mortain, sabe-se apenas que ela foi deixada com o barqueiro e esse lhe levou até o convento de Mortain.

Além de um passado obscuro, a doce Annith passou por duras lições desde que entrou no convento quando ainda era bebê. A falecida abadessa Dragonette era extremamente severa com ela desde muito nova se ela fazia algo errado em seu treinamento era castigada, poderia ficar sem comida e até ficar trancada em um porão escuro sozinha.

Sete anos depois da morte de Dragonette e com a direção da abadessa Etienne, Annith é uma arma letal em forma de mulher. É a melhor de todas as noviças, principalmente em arco e flecha, já que foi treinada a vida toda e teve que se esforçar muito já que não tinha nenhum dom sobrenatural concedido por Mortain, mas nunca teve a chance de ir em uma missão para ajudar sua amada Bretanha e a duquesa Anne como uma assassina do seu deus Mortain.

Ismae e Sybella que chegaram ao convento com muito mais idade que Annith, já foram mandadas para várias missões e Annith continua trancada no convento, mesmo com todas as suas habilidades. No entanto, Annith está cansada de ser deixada de lado, de ser a obediente e boazinha do convento. Assim, quando um destino que ela nunca sonhou para si é imposto a ela, Annith sabe que tem algo que a abadessa Etienne está escondendo dela e provavelmente de todo o convento.

LOMBADA LINDA!
Em busca de respostas mesmo que sua fuga traga os hellequins ao seu encalço, Annith foge do convento para confrontar a abadessa em Guérande. E nessa viagem solitária, Annith acaba sendo encontrada por dos hellequins, Balthazaar. Com Balthazaar, ela acaba descobrindo que as histórias sombrias sobre os hellequins não são seres infernais em que tantas pessoas acreditavam. Esses são almas de homens que procuram redenção de seus pecados cometidos em vida, eles são uma espécie de ajudante do deus Mortain para guiar as almas daqueles que não conseguiram fazer a transição para o mundo dos mortos.

Com ajuda de Balthazaar, Annith aprende muito sobre si mesma e o mundo ao redor. E em busca da verdade com a abadessa, algumas feridas dolorosas serão abertas e mudarão todo o seu mundo.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está linda assim como as outras. A capa condiz muito com a personagem Annith. Em cada intervalo do enredo, temos um arco e flecha como separação. Os capítulos são iniciados com letras cursivas lindas. Tirando a capa aveludada, a edição está um capricho! A história é narrada em primeira pessoa pela visão de Annith.

O LIVRO NO GERAL

A autora Robin LaFevers tem uma escrita maravilhosa e seus enredos me encantaram. Lembrando que toda a série é envolvida em fatos reais da história da Bretanha e a autora foi muito habilidosa em misturar fatos reais com sua ficção. E no que se refere à história fictícia, um destaque para a pequena Anne, a duquesa da Bretanha, que lutou bravamente para não perder seu país. Conseguir aliados não foi fácil, mas com as três assassinas ao seu lado, as coisas foram mudando pouco a pouco em sua história no decorrer da série.

AMOR LETAL
Senti que o romance de Balthazaar e Annith foi algo ainda mais gradual do que aconteceu nos livros anteriores. As sensações que um despertava no outro e como algumas peças em relação a isso foram se encaixando ocorreu de modo perfeito. A Annith do convento não mais a dominava, uma nova mulher nascia a cada página e descobria sobre si mesma. Ela foi florescendo aos olhos daqueles que a conheciam. Apesar do jeito brusco e sério de Balthazaar, esse foi um personagem apaixonante. Era difícil conhecê-lo, mas saber de seus segredos e desvendá-lo junto com Annith foi maravilhoso. Posso dizer que ele é um dos meus mocinhos favoritos!

“-Quando vou tornar a vê-lo?
Ele ficou imóvel, como se a esperança fosse algo frágil que ele precisasse cativar pouco a pouco.
- Você gostaria?
- Gostaria. Não consegui entender o que há entre nós.
Ele então sorriu, e fez uma reverência. Em seguida, desapareceu nas sombras.” Página 347 e 348

Fiz essa leitura com uma sensação boa para a conclusão. Amor Letal tem várias revelações e relações novas. Depois que Annith chega aonde deveria estar desde o início de sua jornada, o livro vai nos revelando pouco a pouco o passado da protagonista e me pegando várias vezes desprevenida. Alguns sinais foram dados ao longo do enredo, mas eu não estava preparada para certas coisas que a autora Robin LaFervers tinha na manga. Algumas me chocaram mais que outras, mas todas satisfatórias e condizentes com tudo.

Depois de terminar essa leitura veio a sensação de desolação por ter acabado a série, mas também uma sensação reconfortante para o destino final de Ismae, Sybella e Annith. No entanto, não posso deixar de ficar curiosa com o destino das outras meninas do convento e também como ficaram os hellequins. Esses últimos foram os que mais me intrigaram. Já pude perceber que Robin gosta de deixar seus leitores no escuro sobre certos fatos, nada que prejudique o enredo, mas que deixa o leitor maluco por mais!

Para os fãs de aventura medieval, não apenas esse livro, mas toda essa série é muito mais que recomendada!

O Clãs das Freiras Assassinas
Resenha de Perdão Mortal (AQUI)
Resenha de Divina Vingança (AQUI)

ATUALIZADO:
Acabei de ver uma notícia muito boa! A Robin LaFervers pretende continuar com a série com pelo menos dois livros. Um para ser lançado em 2018 e o outro para 2019. <3 Aguardando mais novidades.

domingo, 9 de abril de 2017

Livro "Temporada de Acidentes" - Moira Fowley-Doyle

LIVRO "TEMPORADA DE ACIDENTES"

O ENREDO DO LIVRO

Foi aos seis anos que Cara tomou consciência da situação de sua família. Em todo mês de outubro, acidentes acontecem com a família de Cara Morris. Porém esses não se parecem simples acidentes. A família fica extremamente suscetível a sofrer qualquer tipo de desastre grave. De uma simples topada que fere o dedo até a próxima morte. Tudo o que puder ser evitado para que esse mês possa passar sem grandes acidentes, a família faz: facas são escondidas, proteções nas dobradiças, a quinas são revestidas, fogão desligado, usam luvas quase o tempo todo e etc. Quando chega outubro, a temporada de acidentes começa.

Já com dezessete anos, enquanto está organizando suas fotos dos últimos seis meses do celular, Cara vê algo que a intriga: em todas as fotos de seu celular, Elsie aparece. Nas fotos que estão nas pastas em seu computador. E também nos álbuns de família. Seja parte do corpo ou ele por inteiro. Seja em excursões feitas pela escola ou em uma viagem de férias em família de Cara. Está em todas.

Isso deixa Cara extremamente cismada. Como Elsie pode estar em todas essas fotos? Cara lembra-se de ter sido próxima de Elsie por um curto período da infância, mas depois ela simplesmente esqueceu a existência da menina. Até agora.

“Elsie não é minha amiga. Na verdade, não é amiga de ninguém É só aquela garota que fala muito baixo e está sempre por perto, que meio que era minha amiga quando eu tinha oito anos [...] mas foi deixada de lado junto com as bonecas de pano, os jogos de chá e outras relíquias da infância.” Página 9

LOMBADA
Elsie é uma menina quieta e tímida. Ela teve a ideia de criar a caixa de segredos, onde você escreve um segredo na máquina de datilografar e coloca dentro da caixa de madeira. A ideia foi tão bem recebida que todo fim de semestre, os professores fazem uma exposição pelos corredores com os segredos pendurados em um varal.

Quando chega a escola, Cara mostra as fotos para sua amiga melhor Bea Kirvlan e juntas elas decidem conversar com Elsie. Elsie sempre fica responsável pela caixa de segredos na biblioteca, porém a menina não apareceu na escola. E nem nos dias seguintes. Para deixar tudo mais complicado, ninguém parece se lembrar da existência de Elsie. Nenhum aluno ou professor. Mas o que isso tem a ver com a temporada de acidentes? Essas duas situações aparentemente tão distintas, na verdade estão mais ligadas do que Cara pode imaginar. A vida de Cara é rodeada de segredos. E essa temporada de acidentes tem muitas chances de não terminar bem.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem simples, mas é a capa tem toda a atenção. O livro é narrado por Cara, mas em alguns raros capítulos uma terceira pessoa nos conta o passado por seu ponto de vista também, como se fosse... Curiosos? Não vou contar, vocês vão ter que ler. Isso vai deixar o livro bem mais misterioso.

A PRIMEIRA FRASE

O LIVRO NO GERAL

Quando vi a sinopse desse livro fiquei MUITO curiosa. Acidentes, segredos e medos. Uma combinação perfeita para me deixar curiosa. Além da capa chamar bastante atenção do leitor. Esse livro me deixou incomodada em muitas cenas, mas não de uma maneira ruim. As coisas ficam mal contadas, mas de maneira que só atiçam a minha curiosidade. Perguntas giravam em minha cabeça depois do fim do livro. Os mistérios que envolvem sobre os acidentes e a busca por Elsie são os pontos chaves que me deixaram intrigadas e fixadas nas histórias.

Além de Cara e Bea, temos o irmão postiço Sam Fagan e a irmã Alice de Cara. Apesar de Cara ser a protagonista, ela cede o palco da história para os outros três também. Esses outros três personagens são muito presentes durante a leitura. Cara, Sam, Bea e Alice são inseparáveis. Cara os ama e isso transborda em toda a leitura. Esse foi outro ponto que me fez ficar apaixonada pela leitura.

Moïra Fowley-Doyle criou uma história incrível. Seus personagens são muito intensos e cativantes, cada um em sua maneira e peculiaridade. Consegui me envolver e ter empatia por eles, por suas vivências e sentimentos. Isso tornou o livro para mim bastante agradável e não tão agradável de ler. Um conflito interno que eu não sentia por outro livro já fazia um tempo. A escrita da autora lembrou-me muito a da E. Lockhart em Mentirosos, que também é um excelente livro. Depois dessa resenha, será que ainda devo dizer que recomendo o livro? Para deixar claro, o livro é incrível. Leiam!

Ah! Não posso negar que esse livro daria um filme maravilhoso! Quem já leu concorda? ;)

LIVRO LINDO!!

domingo, 2 de abril de 2017

Precisamos Falar Sobre...


Oi, gente!

Ao invés de trazer uma resenha, hoje resolvi trazer um post diferente para vocês. Dia 31 de março estreou a série 13 Reasons Why (Os 13 Porquês) na adorada Netflix. Então resolvi falar sobre a temática que a série aborda. Vem conferir. ;)

A partir dessa série muitos leitores vão correr para ler o livro e logo depois começar a assistir a série, ou vão assistir a série sem passar pelo livro. Não importa a ordem e sim temática abordada que os dois trazem: suicídio. O assunto é bastante sério e não deve ser levado levianamente. O suicídio é o que rodeia a história, mas não é só isso. O que leva alguém a cometer suicídio? Por que alguém faria? Bullying, rejeição dos amigos, assédio sexual são alguns fatores determinantes para alguém acabar tirando a própria vida.

Muitos tratam o assunto como algo banal e que a pessoa que comete suicídio só queria chamar atenção para si. As coisas não são assim. Hoje, o bullying é um dos maiores problemas entre os jovens e muitas vezes gera consequências trágicas para a pessoa que está sofrendo desse mal.

Com esse tema em vista, precisamos conscientizar as pessoas que o assunto é sério e não deve ser levado levianamente. Abaixo deixo algumas indicações de livros literários que eu já li sobre o assunto. Os livros abordam o assunto de forma leve, mas séria.

  • A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff


Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

  • Meu Coração e Outros Buracos Negros - Jasmine Warga

Sinopse: Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.

  • Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira

Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

  • Eu Estive Aqui - Gayle Forman

Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.  Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... E de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu Estive Aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

  • Por Lugares Incríveis - Jennifer Niven

Sinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

  • Os 13 Porquês - Jay Asher

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Deixo aqui o trailer da série Os 13 Porquês:


Se você conhece alguém que esteja passando por uma situação parecida ou que indique os sinais de não estar bem, não deixem de tentar ajudá-la a encontrar a ajuda necessária.

sábado, 1 de abril de 2017

Livro "Como Conquistar Um Bilionário" - Portia da Costa

Como Conquistar Um Bilionário

O ENREDO DO LIVRO

Jess Lockhart e a irmã tendo sido criadas pela avó desde que seus pais morreram, Jess sente que devia tudo a avó e quando essa ficou doente, fez de tudo para deixá-la confortável em um abrigo e com um tratamento adequado até sua morte, mesmo que isso sacrificasse tudo que teria no futuro.

Sempre muito centrada, Jess é uma mulher de 29 anos com um emprego estável e vida pacata. E virgem. Jess está à espera do Amante Perfeito, aquele que vai arrebatar seu coração, mas essa espera está longa demais e esse homem pode nem existir. Até que...

Ellis McKenna é um homem que tem tudo, mas acabou perdendo aqueles que ele tanto amava. Ele não quer ter que passar por essa dor de novo e nem que ninguém substitua as pessoas de seu passado. Não está à procura de amor nem de compromisso e as relações sexuais temporárias é a melhor opção. E quando vê Jess pela primeira vez, ele sabe que ela tem algo de especial. Algo que ele quer muito descobrir.

Os dois acabam se envolvendo numa relação apenas sexual, mas o que Jess e muito menos o que Ellis não esperava era que esse envolvimento poderia evoluir para algo a mais.

QUOTE

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem simples, mas com uma bela capa e um belo modelo, diga-se de passagem. O homem da capa combina demais com o personagem. Folhas amareladas e letras confortáveis a vista. Rsrs... A narrativa é em terceira pessoa com o foco exclusivo em Jess e Ellis.

O LIVRO NO GERAL

Apesar da história ser leve e rapidinha de se ler, não consegui me apegar aos personagens, infelizmente. Jess passava muito tempo sentindo-se inferior, negando a si mesma que um homem como Ellis estaria interessado nela quando claramente ele estava dando em cima dela. Isso acabou me cansando, mas quando finalmente Jess se descobriu, as coisas melhoraram. Já Ellis era bem fofo e adorei o modo como ele não enganou Jess com falsas promessas, sempre lembrando que o acordo era temporário, mas ele não conseguiu me cativar por suas maneiras. Não sei explicar.

Apesar de ter seus momentos doces e um pouco de drama, a história foca demais no lado sexual e muito pouco no emocional. Assim, eu não via justificativa de como Jess poderia ter se apaixonado tão rapidamente por Ellis.

LOMBADA
Poucos foram os momentos em que ele se mostrava mais humano, a maioria era mais para deixar Jess confortável e confiar nele para que os dois pudessem ficar juntos. Até mesmo quando ela fala de um futuro pretendente, ele não tem nenhuma reação que indicasse que estava com ciúmes. Nem mesmo depois. O livro não é ruim, mas muita coisa poderia ter sido melhor desenvolvida e abordada, como o passado de Jess e sua escolha de permanecer virgem

Como Conquistar Um Bilionário tem uma leitura agradável e confortável, mas sem grandes expectativas tanto na trama quanto com os personagens. Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Portia da Costa, mas ela já tem mais dois livros publicados aqui no Brasil pela Planeta de Livros, o Bem Profundo e O Desconhecido. Ainda não decidi se lerei algum outro livro da autora no futuro, mas quem sabe?

Ah! Não acho que o título combine com o livro. Os dois acabaram seduzindo um ao outro de maneiras iguais. ;)


AVISO: Livro recomendado para maiores de 18 anos. ;)

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016