Louca sua miga

terça-feira, 28 de março de 2017

Livro "A Rosa do Inverno" - Patricia Cabot

LIVRO "A ROSA DO INVERNO"
A Rosa do Inverno é meu segundo livro lido da Patricia Cabot. O primeiro foi Pode Beijar a Noiva, que a Mar também leu. Vou deixar aqui o vídeo dela sobre o livro. (AQUI)

O ENREDO DO LIVRO

Edward Rawlings quer viver seus dias de libertino em paz. Como segundo filho, ele nunca teve a pretensão em assumir o título de duque de Rawlings. Já faz anos que seu irmão mais velho John morreu e seu pai acaba de morrer também. Como é o único filho vivo, ele poderia assumir o título, porém ele não quer isso. Não deseja ter todo o trabalho que o ducado lhe traria. Então decide fazer o último desejo de seu pai: trazer o filho ilegítimo que John teve com um a escocesa há 10 anos para o Solar Rawlings.

Depois da morte do pai, Peggen MacDougal cria sozinha seu sobrinho Jeremy no casebre da igreja. Vivendo de favor pela ‘bondade’ do novo vigário, ela sabe que a situação em que vive é de extrema pobreza e que não há muitas perspectivas. Ela sabe que é questão de tempo para que as coisas possam piorar, principalmente quando o novo vigário a pede em casamento. Peggen não quer se casar para se salvar da miséria, principalmente com um homem, que apesar de ser da igreja, não olha para todos com olhos de bondade.

O destino decide intervir na vida de Peggen quando Edward surge com muitas promessas sobre o futuro dela e de Jeremy. No entanto, isso não se torna uma tarefa fácil quando essa tia do futuro duque não quer sair de Aberdeen, na Escócia. Peggen detesta os aristocratas e não quer saber de sair de sua casa. Porém, sem muita opção com sua atual condição de vida, ela aceita relutantemente ir para o Solar Rawlings. Ela sabe que não pode negar o que é de Jeremy por direito.

LOMBADA
Lord Edward Rawlings é o tipo de homem que não aceita ‘não’ como resposta. Um libertino nato, não liga para a opinião dos outros e está sempre a se divertir com seus amigos. Sempre que possível dando festas e reuniões em sua casa e acompanhado de sua mais nova amante lady Arabella Ashbury. Apesar de ser um homem bondoso, Edward tem esses defeitos em seu caráter, mas a entrada de Peggen MacDougal em sua vida, muda muito as perspectivas dele sobre como ele vê as coisas.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Olhem essa capa, não está linda!? Com essas rosas que a rodeiam e parte do vestido vermelho. O acabamento da capa e as folhas amareladas, tudo muito bem cuidado para essa bela edição. O livro é narrado todo em terceira pessoa com o foco principal em Edward e Peggen, mas vez ou outra algum  personagem secundário tem sua voz.

O LIVRO NO GERAL

Muitas vezes tive vontade de sacudir Edward. Que homem mais impertinente! Por ser um lorde, sempre se achou no direito de mandar os outros fazerem o que ele quer e não é diferente quando encontra Peggen. Mas o bom é que ela tem se cuidado sozinha por muito tempo e não se deixa levar pelos acessos de Edward. Ela sabe muito bem contorná-los.

Apesar de ter crescido com o pai, Peggen teve que aprender a ter responsabilidades muito cedo, por conta de ter tido à responsabilidade de cuidar de seu sobrinho Jeremy quando ela tinha apenas 10 anos. Uma criança cuidando de outra.

LIVRO "A ROSA DO INVERNO"
Gostei muito de Peggen. Por ser filha de um vigário da igreja, ela tem o bom senso de modos e está sempre disposta a ajudar os mais necessitados, mesmo ela sendo uma necessitada também. Em contra partida, a ser filha um vigário, Peggen é bastante liberal e não quer saber de casamento. Ela viu como o casamento levou sua irmã e seu cunhado à ruína. Ela não quer isso para si, o que deseja é fazer o bem e cuidar de Jeremy. Peggen também é uma leitora voraz e com muitas convicções políticas, ela detesta os modos dos aristocratas que apenas tratam o povo com desprezo com suas leis e que não favorecem os mais necessitados. Tudo isso é o que faz dela uma personagem maravilhosa e ativa!

O romance de Edward e Peggen surge pouco a pouco, a atração deles é inegável, mas a entrega do coração começa devagar e foi me conquistando. Com um passado marcado de Edward, ele vai se abrindo para o amor de modo muito resoluto. É muito bonito ver o amadurecimento do personagem, apesar dele cometer alguns erros no caminho. E alguns outros segredos vão sendo revelados também...

Com um romance fofo e maravilhoso, Patricia Cabot sabe muito bem conduzir seus personagens a um final lindo e satisfatório. Esse é um romance de época mais que recomendado por mim.

A Rosa do Inverno faz parte da duologia Rawlings. O segundo livro é O Retrato do Meu Coração que foi lançado pela Editora Record. Muita gente confunde e acredita que alguns dos outros livros da autora fazem partes dos Rawlings, mas na verdade são apenas livros avulsos da autora. No futuro eu trago a resenha desse segundo livro para vocês.

LIVRO "A ROSA DO INVERNO"

CURIOSIDADE:


Para quem não sabe Patricia Cabot é na verdade um pseudônimo da autora Meg Cabot. O pseudônimo lhe deu liberdade de escrever estilos diferentes no mundo da literatura.

sábado, 25 de março de 2017

Livro "Ligeiramente Maliciosos" - Mary Balogh

LIVRO "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"
 Resenha de Ligeiramente Casadosprimeiro livro da série, aqui. ;)


O ENREDO DO LIVRO

Uma carta de Louisa Effingham chega à casa de Jeremiah Law. Os dois são irmãos e para aliviar a carga financeira de cinco filhos dele, ela oferece moradia para uma das sobrinhas em troca de que a mesma cuide da mãe Gertrude Law que não está bem de saúde.

Sendo a segunda filha e aquela que não tem nada a oferecer à família ficando em casa, Judith Law se oferece para ir para casa dos tios Louisa e George Effingham para cuidar da avó. Ela sabe que a vida futura será de uma solteirona, sem chance de encontrar um marido e de um dia ter filhos. Então quando a diligência em que ela está acaba tombando na estrada e um imponente cavalheiro surge para ajudar, Judith sabe que essa é sua chance de ter sua primeira e última aventura. Então ela decide se apresentar como Claire Campbell, uma famosa atriz independente no meio rural.

Indo para casa da avó Sarah Beamish, Rannulf Bedwyn sabe que ela quer lhe apresentar uma moça e fazer dela sua futura noiva. Pronto para mais uma temporada com a avó e se esquivar da pretendente, Rannulf decide aproveitar a chance de ter uma bela ruiva em seus lençóis em quanto pode. Melhor ainda quando essa mulher parece ser uma ótima atriz e não o tenta controla-lo na cama. Ele se apresenta como Ralf Bedard.

CAPA "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"
O que era para ser apenas um momento de prazer e nunca mais se verem, os dois acabam se esbarrando quando a prima de Judith, Julianne Effingham é a tal pretendente que lady Beamish quer apresentar ao neto Rannulf. Inevitavelmente o destino acaba os ligando novamente. Será que os dois vão conseguir fingir que nada aconteceu e seguir em frente?

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem simples, mas muito bem trabalhada e caprichada pela Editora Arqueiro, com as folhas de boa qualidade e do estilo que gosto. A narração está em terceira pessoa, com foco em nossos protagonistas Rannulf e Judith.

O LIVRO NO GERAL

Diferente de Eve, mocinha de Ligeiramente Casados, Judith teve uma vida bastante retraída. Sendo filha de um reverendo da igreja, sua criação foi bastante severa e contida. Judith me conquistou com suas maneiras simples. Estava sempre pronta a ajudar a avó nas menores bobagens que essa lhe pedia. Para mim, a relação das duas se tornou algo maravilhoso no livro. Judith é tão doce que até mesmo aqueles que lhe tratavam mal, ela não abria a boca para reclamar. Rannulf também é bem diferente de seu irmão Aidan, de Ligeiramente Casados. Ele tem mais vivacidade e um ar zombeteiro. Mas como todos os irmãos, ele faz tudo pela família e agora principalmente por sua avó Sarah. Essa é outra relação linda. As avós ganham um pequeno destaque nesse livro.

LOMBADAS
Em Ligeiramente Maliciosos temos o poder que a beleza parece trazer às mulheres, mas no caso de Judith, a beleza foi apenas um mal para sua vida. Criada de maneira a se achar feia, com suas curvas acentuadas e cabelos vermelhos, Judith sempre teve o olhar dos homens voltados para ela e seu pai lhe fazia acreditar que esse olhar seria por conta de sua feiura. Judith não tinha consciência de que seus atrativos femininos eram algo que ela poderia se orgulhar. Ao longo do livro essa consciência vai sendo trabalhada até culminar em sua libertação das barreiras sobre quem ela é de verdade.

“Sim, ela estava realmente linda. Não importava que fosse ser a dama menos na moda no baile, ou que fosse ofuscada por todas as outras convidadas. Não importava. Estava linda e, pela primeira vez na vida, se orgulhava da própria aparência.” Página 182

Com muita elegância, simplicidade e momentos dramáticos, Mary Balogh cria uma história de amor confrontando as barreiras sociais e as próprias barreiras que erguemos dentro de nós. Depois dessa leitura posso dizer agora que tenho certeza que quero ler os outros livros da série. Gostei de Ligeiramente Casados, o primeiro livro, mas não tanto quanto esperava. Esse segundo livro acabou me conquistando. Que venha Ligeiramente Escandalosos!

LIVRO "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"

quinta-feira, 23 de março de 2017

Livro "Amor Imenso" - Penelope Ward

LIVRO "AMOR IMENSO"

O ENREDO DO LIVRO

Esse romance se inicia com uma péssima (ou não tão péssima assim) notícia para Amélia Payne. Sua avó Nana deixou em testamento sua casa de praia em Newport, na ilha Aquidneck, para ela e Justin Banks. Justin Banks! Seu ex-melhor amigo de infância e adolescência, por quem ela foi e ainda é apaixonada há anos. Os dois não tem mais nenhum contato depois de uma noite fatídica quando tinham por volta de seus quinze anos.

Nove anos depois daquela noite, Amélia Payne agora é professora em Providence e pretende passar as férias de verão na casa de veraneio, porém Justin não deu sinal de vida, mesmo tendo sido notificado sobre sua parte da herança. Duas semanas de paz é o que Amélia passa na casa até Justin aparecer. E aparece com Jade, sua namorada linda e atriz.

Justin Banks divide seu tempo entre a música, que tanto gosta desde criança, e o trabalho numa empresa de softwares. Ele já era lindo quando novo, mas agora toda sua beleza apenas se intensificou. Porém, essa beleza vem acompanhada de muito sarcasmo e alfinetada. Justin ainda não superou o abandono de Amélia e mostra isso muito bem ignorando-a ou soltando muitas diretas. Sério, fiquei até com muita pena da Amélia.

PRIMEIRA PÁGINA
Mas como os dois vão se aproximar e descobrir o amor um do outro se tem Jade entre eles? Não só Jade está no caminho dos dois, como uma grande surpresa vai surgir e pode atrapalhar o romance de Amélia e Justin. Será que Justin vai se render a essa surpresa?

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está bem simples, mas a capa é linda demais!!! Esse rapaz da capa combina muito com Justin, além de ser lindo. As tatuagens também foram bem elaboradas. Essa capa foi feita pensando muito bem no personagem! O Selo Essência está de parabéns! O livro é narrado em primeira pessoa com a visão exclusiva de Amélia. Mas, bem que eu queria ter visto a visão de Justin.

O LIVRO NO GERAL

Amélia Payne é uma personagem até forte por conta de certas coisas que ela foi passando ao longo da história, mas também é muito melodramática. Muita coisa era motivo dela ficar triste e analisando. Não a achei nada orgulhosa quanto à sinopse me fez crer. Justin a tratou bastante mal no início e ela ainda assim insistia em ter uma boa relação com ele. Entendo que a culpa a fazia insistir, mas acredito que existem limites até onde devemos insistir.

Justin Banks foi um personagem muito irritante no começo. Muito! No entanto, ele vai crescendo e mostrando sua verdadeira face. Tudo uma fachada desse lindo! Depois de sofrer um baque de Amélia no passado, ele se mostra um verdadeiro pé no saco para ela, mas o amor não o deixa ficar assim por muito tempo. E ver como ele vai mudando só deixou meu coração quentinho. *suspiro*

Sobre os personagens secundários, eles não estiveram muito presentes. Em muitos momentos eles simplesmente sumiam por semanas e um deles que ajudou o romance vir à tona acabou sumindo totalmente da história. Fiquei bem decepcionada com isso.

LOMBADA LINDA!
Um ponto mais que positivo foi como a Penelope Ward inseriu o romance entre Amélia e Justin anos depois. Ela não apressou a relação, deixou que eles se reencontrassem e se conhecessem novamente depois de nove anos. Assim o romance só ia evoluindo ao poucos, apesar de todas as inseguranças de Amélia. Outro ponto positivo é não haver traição por parte de Justin. A autora soube tirar Jade desse triângulo sem inserir uma traição no meio. O que só deixa Justin um ótimo mocinho!

“A última década havia sido como uma longa estação de escuridão e remorso que pairou sobre mim e Justin. Essa reaproximação era realmente como o sol se erguendo de novo pela primeira vez em muito tempo.” Página 96

Amor Imenso tem uma história doce e cheia de momentos de dar uma dorzinha no coração, mas nada exagerado. Penelope Ward utiliza de muita leveza e sensibilidade no livro, o que deixa tudo mais delicado e rápido de se ler. É o tipo de livro que indico para se ler em dia e quem sabe matar uma ressaca literária.

Amor Imenso foi meu primeiro contato com a escrita da Penelope Ward e apesar de umas ressalvas contra a protagonista, gostei bastante e estou bem curiosa para ler outro livro dela. Aqui no Brasil temos um livro dela lançado pela Editora Pandorga, é o Meu Querido Meio- Irmão. Uma amiga leu e amou. Estou curiosa!

LIVRO "AMOR IMENSO"

quarta-feira, 22 de março de 2017

Livro "O Crime do Vencedor" - Marie Rutkoski

LIVRO "O CRIME DO VENCEDOR"
Essa resenha pode conter spoiler de A Maldição Vencedor, primeiro livro da trilogia.

O ENREDO DO LIVRO

Ao aceitar o acordo do Imperador de Valória, onde a cidade Harren poderia ser uma colônia livre se Kestrel aceitasse se casar com o príncipe herdeiro Verex tornando-se a futura imperatriz, nossa protagonista não imaginava que teria que passar por tantas provações e ser mais ardilosa do que ela é. Ao ajudar Arin a ter sua cidade Harren livre, ela acaba na toca de um imperador cruel e manipulador.

Com uma vida bastante movimentada, indo de uma reunião social a outra, além dos encontros com o próprio imperador que eram regados a dar soluções sobre um problema ou outro a respeito das estratégias de guerra, Kestrel ainda tem que lidar com a chegada de Arin, o novo governador de Harren e o homem que ama, para a festa de seu noivado com o príncipe Verex.

Arin não sabe que Kestrel sacrificou sua vida para protegê-lo e que também salvou seu povo da guerra que o imperador travaria contra eles por Harren. O acordo foi a única maneira que ela conseguiu pensar em como salvar o homem que tanto ama. A vinda de Arin para o palácio é apenas mais uma coisa com a qual ela vai se preocupar. E claro, que Arin não pode saber de nada. Ele deve achar apenas que foi traído por ela e que toda história entre eles foi apenas capricho de uma menina mimada.

“– Como você não sente um vazio?
Eu sinto, ela pensou enquanto atravessava as portas da biblioteca e deixava que elas batessem atrás de si. Eu sinto.”  Página 107

MAPA
Além da vinda de Arin, também veio Tensen, o ministro da agricultura de Harren, para as festividades do noivado. Ele age como espião e acaba encontrando em Kestrel uma aliada, já que ela tem mais acesso à corte e as habilidades necessárias para espiar e descobrir o que Imperador planeja futuramente para Harren. E o que Kestrel vai descobrindo pode mudar tudo.

Enquanto Kestrel fica no palácio, Arin busca aliados para uma nova guerra contra Valória. Arin sabe que a trégua entre Valória e Harren é fraca sendo apenas questão de tempo até que uma nova guerra comece. Logo seu povo vai precisar se defender e buscar o inimigo de Valória é uma boa maneira de forjar alianças.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A parte gráfica está linda como o livro anterior! O título e o nome da autora estão em dourado na capa e os dois também aparecem por dentro. Um charme! O material empregado na capa é soft touch, aquele material aveludado que sempre me dá agonia e fica todo manchado. A narração está em terceira pessoa com foco em Kestrel e Arin.

O LIVRO NO GERAL

Kestrel cresceu muito do primeiro livro para esse. Ela utiliza de muita coragem e manipulação para descobrir alguma informação. Mas ela também tem que se utilizar de máscaras para esconder o que sente, principalmente contra Arin. Seu coração deve estar sempre bastante trancado, só ela deve saber o que está sentido. Arin está bastante emotivo e apaixonado nesse livro, mas também bastante ferido por conta da ‘traição’ de Krestrel. Muitas de suas ações são pensando nela. Meu coração doía de ver as cenas de Kestrel e Arin juntos, mas não poder vê-los juntos de verdade.

LIVRO "O CRIME DO VENCEDOR"
“Às vezes, achamos que queremos uma coisa – Arin lhe disse - quando precisamos é deixa-las para trás.” Página 271

Um personagem que merece destaque é o Imperador. Ele é um personagem sagaz e cruel, não mede esforço para alcançar o que deseja mesmo passado por cima de todos. Não existe piedade em suas ações, sempre é tudo muito bem calculado para ferir aqueles que o desobedecem. Eu o sentia sendo feito com muito esmero pela autora, dando toda a personalidade em um tom insensível. E claro, que eu o odiei e o odeio. Não tem como gostar dele!

A leitura é fluida e leve com os capítulos curtos e rápidos de se ler. Quando a gente percebe já passamos por muitas páginas, no entanto também existe passagens mais lentas. Marie Rutkoski usa muito de metáforas e momentos poéticos, que enriquecem O Crime do Vencedor, mas também o deixam com algumas partes mais arrastadas.

Quando terminei O Crime do Vencedor, estava com uma sensação apertada no coração. Tanto por Kestrel e Arin quanto pelos personagens Jess, Deliah e Ronar. Mas principalmente por um personagem muito próximo de Krestrel que não vou citar. Para quem já leu, deve ter sentido a mesma coisa com o final. Ele me deixou com o coração na mão, além do gosto de quero mais. Como essa história vai terminar?

O Beijo do Vencedor, terceiro livro da Trilogia do Vencedor, foi lançado recentemente e estou mais que curiosa para concluir a leitura dessa trilogia.

PRIMEIRO E SEGUNDO LIVRO

terça-feira, 21 de março de 2017

Livro "Ligeiramente Casados" - Mary Balogh

LIVRO "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"

O ENREDO DO LIVRO

O senhor Morris amargurado por conta de seus dois filhos, Percy Morris por ter ido para o exército e Eve Morris por não querer casar com nenhum pretendente que ele lhe arranjava, acaba fazendo um arranjo em seu testamento para que quando morresse a propriedade ficaria para Eve por apenas um ano e depois seria toda de Percy. Mas se Eve casar antes do primeiro ano de sua morte a propriedade ficará sendo dela. Próximo ao aniversário de um ano da morte do seu pai, Eve não está preocupada em perder a propriedade, afinal existe um amor suficiente entre ela e Percy para não brigarem por conta de terreno. Porém, o destino decide interferir nisso quando Percy morre na guerra antes de poder herdar a propriedade que será então herdada pelo primo Cecil Morris.

Eve Morris tem apenas quatro dias, antes de fazer um ano da morte do pai, para arranjar uma maneira de não perder tudo o que tem e nem deixar os amigos que moram com ela desamparados. Mas o que ela poderia fazer?

O coronel Aidan Bedwyn é um homem sério e honrado, sua boa criação não o deixa fazer nada que possa vir a manchar a hora de sua família. Então quando promete a Percy Morris, no seu leito de morte, que irá proteger e cuidar de sua irmã Eve a qualquer custo, ele sabe que não pode quebrar essa promessa. Mesmo que para isso tenha que se casar com ela e assegurar sua herança de direito.

Um casamento de conveniência é o único caminho para que tudo fique bem. Depois do casamento eles poderiam viver sua vidas separadas: ela em seu lar no Solar Ringwood e ele voltando para a vida militar. Mas será que essa mera conveniência não poderia ser tornar algo mais?


Narração e edição Física

A edição está bem simples, mas muito bem trabalhada e caprichada pela Editora Arqueiro, com as folhas de boa qualidade, do estilo que gosto. A narração está em terceira pessoa, com foco em nossos protagonistas Eve e Aidan.

O LIVRO no geral

Aidan é o mocinho dessa história e está na vida militar desde os seus 18 anos de idade. Ele é bastante sério e severo, mas por trás de toda a fachada de militar, ele é um homem bondoso e honrado. Faz tudo o que está ao seu alcance pela família e para aqueles que estão sob sua proteção. Com o casamento e muitos contratempos ao longo da história, ele acaba mostrando um lado que ficou no passado da sua infância. É muito bonito ver esse lado mais leve, apesar de aparecer tão pouco durante o livro.

Eve teve uma vida bem diferente em relação a Aidan. Criada como uma dama em alguns aspectos, ela passa longe de ser uma mulher da aristocracia, pois é filha de um ex-mineiro. O pai de Eve casou com a filha do dono da mina e assim acabou fazendo fortuna e dando uma boa vida para os dois filhos, Eve e Percy. Mesmo o pai lhe empurrando algum pretendente e sendo desagradável em alguns momentos, Eve tem a bondade como a maior característica. Ela não suporta ver os mais desafortunados em apuros. Então, ela os acolhe e os deixa sob sua proteção. Empregando funcionários que nenhum outro empregaria, como uma mulher que foi cozinheira de um bordel ou um homem com o braço amputado, entre outros. A única pessoa de sangue que mora com ela é sua tia Mari, mas ela trata todos os outros como membros da família.

LIVRO "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"
Não tinha como não ficar encantada com essa protagonista tão doce. Ela tinha a leveza necessária para trazer um Aidan menos sério. O romance entre os dois não foi de forma nenhuma apressado. Eve e Aidan tiveram bastante tempo para se conhecerem e se apaixonarem um pelo outro. As várias dificuldades que foram acontecendo no livro, os tornaram mais próximos e o amor surgiu a partir daí. Apesar de ambos serem cabeças-duras. Rsrs...

“Queria que ela fosse embora... da Bedwyn House, da vida dele. Ao mesmo tempo, a ideia lhe provocava certo pânico. Como ele odiava todo aquele contrassenso.” Página 202

Esse livro é bem menos carregado de emoções fortes, pelo menos no sentido de serem expressadas para o leitor de forma mais aberta, sejam na narração em terceira pessoa quanto nas próprias conversas entre os personagens. Nos livros de época que geralmente leio, os personagens são bem mais efusivos e tagarelas. Em Ligeiramente Casados, os personagens se expressam bem menos e nem sempre sabemos como as coisas estão se passando em suas cabeças.

Ligeiramente Casados faz parte da série Os Bedwyns e é o primeiro de seis livros! Mas calma, os cinco primeiros já foram lançados e o sexto deve vir em breve. Esse foi meu primeiro contato com a escrita da Mary Balogh e apesar de não ter me encantado tanto quanto gostaria, ainda assim quero ler os próximos livros dessa série. Quem sabe os próximos irmãos não se revelam mais?

LIVRO "LIGEIRAMENTE MALICIOSOS"

segunda-feira, 20 de março de 2017

Livro "Ninfeias Negras" - Michel Bussi

LIVRO "NINFEIAS NEGRAS"

O ENREDO DO LIVRO

Na pacata cidade de Giverny, França, um assassinato choca os moradores da pequena cidade. O inspetor Laurenç Sérénac é convocado para desvendar esse crime e leva consigo o assistente Sylvio Bénévides.

O homem assassinado era Jérôme Morval, um cirurgião oftalmologista de Paris, dono de uma bela casa em Giverny. Ele era conhecido por seu amor à arte, mas principalmente por seu amor aos quadros de Claude Monet. Jérôme Morval foi encontrado na beira do rio Ru com um buraco no coração e com a cabeça esmagada e enfiada no rio. Claramente um crime de ódio, mas ódio de quê?

Um cartão-postal é encontrado no bolso do paletó de Jérôme com os dizeres:

ONZE ANOS. FELIZ ANIVERSÁRIO.
O crime de sonhar eu consinto que seja instaurado. Página 24

A partir desse pequeno cartão-postal, Laurenç Sérénac e Sylvio Bénévides vão tentando desvendar todo o mistério que envolve o assassinato, mas esse crime na verdade é só o começo uma história muito mais complexa. Muito mais...

LOMBADA E MARCADOR

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição está simples, mas de ótima qualidade. O maior charme está na capa e na caixa super linda que veio junto com o livro. Um encanto! A narração é feita em primeira e terceira pessoa, alternada dentro dos próprios capítulos. É uma confusão de impressões e visões. Falando em primeira pessoa temos apenas uma velha sem nome, ela seria a bruxa do moinho, como alguns chamam. E em terceira pessoa, temos vários personagens que vão do inspetor Laurenç  até a pequena Fanette.

O LIVRO NO GERAL

A história de Ninfeias Negras gira em torno da descoberta sobre um assassinato e três personagens icônicas. Três mulheres tão diferentes, sejam na idade ou no estilo de vida e ainda assim tão iguais. Todas as três têm uma característica em comum: não aguentam a vida que têm.

A mais nova é Fanette Morelle, de 11 anos de idade que tem paixão pela pintura. Seu maior sonho era ganhar o concurso de Jovens Pintores da Fundação Robinson. O vencedor ganharia uma bolsa de estudos de arte para os locais estabelecidos pela Fundação. A do meio é a professora Stéphanie Dupain, de 36 anos. Ela sempre foi uma moça correta, mas a vida que levava não a agradava em nada. Casada, mas não levava o amor para dentro do seu casamento. Ela queria um amor que pudesse leva-la embora de Giverny para nunca mais voltar. E a mais velha das três não tem nome, ela apenas observa tudo de sua janela no moinho do rio Ru.


De alguma forma, as três são envolvidas no assassinato. Mas como? Isso foi algo que ficou martelando na minha cabeça enquanto lia até o momento em que todas as peças foram se encaixando...

Ainda estou em êxtase depois da leitura desse livro. Muitas perguntas giravam em minha mente durante a leitura e depois de um pouco mais da metade do livro, algumas coisas foram me intrigando, então uma página antes da revelação bombástica, as peças se encaixaram na minha cabeça, não todas, mas muitas para fazer sentido alguns acontecimentos. Nem acreditei quando vi que consegui adivinhar algumas coisas. Isso não me deixou decepcionada de modo algum, só me fez fica ainda mais fascinada pelo livro.

Ninfeias Negras é uma história incrível e muito bem construída. Michel Bussi sabe deixar o leitor bastante intrigado e motivado a descobrir o mistério que envolve a história. Muitos elementos são um pouco velados e a gente mal percebe que foi assim até chegar à revelação, ou no meu caso, quase chegar.

Para fazer esse livro o autor teve que fazer bastante pesquisa, pois ele criou uma história de assassinato em cima de fatos reais. Tudo sobre Claude Monet, outros pintores e suas respectivas pinturas, os lugares citados e suas descrições são reais. A partir do cenário mágico da cidade de Giverny, Michel Bussi cria o palco perfeito para sua trama.

LIVRO "NINFEIAS NEGRAS"
Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Michel Bussi e posso dizer que virei fã. Comprei o primeiro livro dele lançado aqui no Brasil também pela Editora Arqueiro há algum tempo, O Voo da Libélula. Estou louca para ler! Quando eu fizer a leitura venho aqui trazer a resenha para vocês. Só ouvi ótimos comentários sobre ele!

quinta-feira, 16 de março de 2017

Livro "O Príncipe dos Canalhas" - Loretta Chase

LIVRO "O PRÍNCIPE DOS CANALHAS"

O ENREDO DO LIVRO

Esse foi o segundo livro da Loretta Chase que li de modo que pude apreciar mais uma vez sua escrita dinâmica e maravilhosa. Mais um romance maravilhoso ambientando no século XIX.

Começamos o livro com um prólogo de partir os corações até dos mais fortes. As cenas iniciais mostram como Sebastian Ballister se tornou o temido marquês de Dain. Ele não teve uma infância feliz, mas dizer isso parece até eufemismo, não é? Sebastian nasceu com uma aparência estranha e cresceu de modo desengonçado, não era um rapaz bonito.  Seu nascimento foi regado pelo desgosto do pai e a mãe não lhe dava muita atenção, apesar de ter seus momentos maternos.

“Seu herdeiro era uma coisa verde e enrugada com grandes olhos negros. Braços e pernas desproporcionais e um nariz grosseiro e exagerado. E chorava a plenos pulmões, sem parar. [...] Em seus momentos mais sombrios, ele acreditava que sua jovem esposa era a dama de companhia de Satanás, e o garoto, a cria do Diabo.” Página 6

Depois de um estopim na vida familiar, Sebastian já com oito anos, foi mandado embora para um colégio interno e cresceu desamparado por lá. O ódio pelo pai foi combustível para se desvirtuar e sobreviver ao colégio. Anos depois, quando o pai morre, Sebastian toma todos os títulos que foram dele e se torna o novo marquês de Dain. Paga todas as dívidas que o pai deixou e parte para morar em Paris.

O PRÍNCIPE DOS CANALHAS
Jessica Trent é uma bela dama e mesmo que saiba disso, não é algo que ela dê importância. Ela sabe que beleza não é tudo. Sempre foi muito prática e inteligente, e sabe que vai precisar disso para enfrentar o marquês de Dain. Ela tem consciência que se tratava de um homem bastante poderoso e perigoso. As pessoas não ousavam contradizê-lo, mas Jessica estava disposta a fazer isso para afastar seu tolo irmão Bertie das garras dele. O marquês era uma péssima influência e estava levando seu irmão ao fundo do poço. Ela não permitiria isso.

Dain não acredita que Jessica ousa lhe enfrentar de igual para igual. E assim o romance entre a Bela e Fera surge. Mas calma, não vai ser um romance lá muito fácil!

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Achei a capa comportada demais para descrever esse dois personagens tão apaixonantes e travessos, ainda assim a capa é linda. As letras estão confortáveis a vista e as folhas são amareladas. A narração é em terceira pessoa com o foco em nossos protagonistas Jessica e Dain. Esse livro faz parte da série Canalhas, sendo o terceiro volume. Os livros possuem histórias completamente separadas, então você pode ler fora de ordem sem problema. A Editora Arqueiro já lançou o quarto livro da série O Último dos Canalhas. Livro esse que ainda não li, mas quero muito.

O LIVRO NO GERAL

Posso dizer que no prólogo do livro meu coração estava apertado pelo modo como Dain foi tratado. Nunca teve muito amparo da mãe e quando foi para o colégio, cresceu de modo desajustado. Acabou se transformando em um adulto voluntarioso e com uma blindagem no coração para que ninguém pudesse feri-lo novamente. Cresceu com as pessoas falando de sua aparência nada agradável e isso ficou enraizado em seu ser.

PARTE DE DENTRO

O marquês de Dain também nunca escondeu quem era. Um libertino nato, que ainda na infância ganhou o apelido de lorde Belzebu por ser feio e desengonçado. Um lorde das Trevas. O príncipe dos canalhas. Por sua criação ou falta dela, Dain se transformou em um homem sombrio e pode-se dizer, sem coração. Sempre visando seus próprios interesses, ele não se importa com as pessoas ao redor ou as deixa que o afete. Até conhecer Jessica Trent.

“Tentara mantê-la a distância, assim como tentara não precisar mais dela. Um esforço inútil. Ele nunca estivera, e nunca estaria, a salvo de Jessica.” Página 211

Nesse romance, temos mais uma mocinha muito dona de si. Jessica foi criada pela avó e os tios junto com seu irmão e muitos primos. Se quisesse sobreviver no meio de tantos garotos, ela teria que se adaptar e aprender algumas habilidades, mesmo essas não sendo úteis para uma dama. Extremamente forte e verdadeira com os próprios sentimentos, Jessica analisa-os e não tem medo de mostrar o que sente, até encontrar Dain. Quando o encontra, ela sente algo novo e não sabe lidar muito bem com isso. Porém, logo depois de aceitar esse sentimento, Jessica não fica enrolando como outras tantas mocinhas de livros. Ela encara o sentimento, não o esconde de ninguém, o que acaba trazendo uma agitação muito boa para a história. Rsrs...

“O corpo dela foi tomado de novo pelo calor lento que sentira alguns momentos antes e do qual ainda não tinha se recuperado por completo. Ela precisava ter uma longa conversa com Genevieve, disse a si mesma. Essas sensações não podiam ser o que Jessica suspeitava.” Página 28

Posso dizer que o romance entre os dois foi bem diferente. A atração é instantânea, o interesse é praticamente descarado. O amor só começa a surgir com o tempo. Com pequenas atitudes, um carinho ou um cuidado, os dois vão conquistando o coração um do outro, sem que eles possam perceber o que está acontecendo. Quando veem já estão envolvidos demais para voltar atrás. Ah! Não posso deixar de comentar que temos uma boa surpresa no livro. Só mostra como Jessica é muito bem resolvida e não se deixa levar por momentos passados. O único ponto negativo foi alguns personagens secundários não terem aparecido mais como eu gostaria, mas isso a gente releva, né?

LIVRO "O PRÍNCIPE DOS CANALHAS"
Loretta Chase cria um romance digno do prêmio que ganhou. Esse romance maravilhoso ganhou o Prêmio Rita de Melhor Romance Histórico. Não era para menos pelo tanto de romance, paixão, desavenças e reviravoltas!

Livro "Filha da Ilusão" - Teri Brown

LIVRO "FILHA DA ILUSÃO"

O ENREDO DO LIVRO

Até onde você acredita em magia? Tendo uma vida no meio artístico, mais especificamente no meio das ilusões e mediunidade, Anna Van House sabe que tudo não passa de ilusão. Ou será que não?

Anna é assistente de palco de sua famosa mãe Marguerite Van Housen. Ela cresceu em meio aos artistas e sabe alguns truques que ajudam no show de sua mãe. Marguerite é uma mentalista e médium, mas suas habilidades não passam de fraude. Principalmente a mediunidade, que não passa de uma maneira de arrancar dinheiro dos desesperados por entrar em contato com os entes queridos que já morreram. Mas Anna tem realmente esse dom, além de alguns outros mais.

Mantendo seus dons escondidos, ela tem medo de sua mãe descobrir e querer tirar proveito disso. Ela só quer ser uma garota normal, ter uma vida normal, pelo menos o mais próximo disso possível. Porém, quando um rapaz se choca com ela na rua, Anna começa a ter visões sobre si mesma e sua mãe. Suas visões que só se estendiam aos desconhecidos, agora mostram um futuro perigoso para ela e sua mãe.

CAPA LINDA!
O desconhecido com quem Anna se choca na rua é Colin Archer e por pura coincidência ou destino, ele é vizinho de Anna. Muito reservado e sério, Colin acaba se aproximando de Anna a partir de sua pequena participação no show e de uma sessão de mediunidade na casa de Marguerite. Além disso, temos Owen Winchester, um rapaz bastante animado e atencioso que se interessa por Anna.

Com as visões e sensações intensificadas, Anna precisa lidar com os problemas de sua mãe, sua atração por dois rapazes, o medo de que o perigo da visão seja real e por último, e não menos importante, a descoberta de uma sociedade secreta que estuda esses dons que ela tem. Muita coisa pode acontecer!

narração e edição física

Um charme só a edição desse livro da Editora Valentina!  A capa condiz com o que a história trata e chama muito atenção. A diagramação está linda. Em cada página tem um detalhe com o nome da autora, do livro e uma mão com um olho na palma. O início de cada capítulo também tem seu detalhe. A narração está em primeira pessoa e fica por conta da protagonista Anna Van House.

MIOLO

O livro no geral

A escrita e o dinamismo é um ponto mais que positivo para a autora Teri Brown. Uma história cheia de momentos mágicos e com vários acontecimentos por trás da cortina. No palco tudo está perfeito, mas por trás há uma realidade diferente. E esse ponto por trás do palco foi algo que me incomodou.

Anna Van House é uma moça muito insegura. Ela sabe que a vida que leva com a mãe não garante nada de convencional e consequentemente pode haver muitos contratempos pelo caminho, como por exemplo, não ter dinheiro para o sustento ou até mesmo ser presa. As sessões de mediunidade não são bem vistas pelas autoridades e Anna está sempre com medo delas serem pegas, de novo. No caso, Anna é a sensata das duas. A mãe dela pode não ser nada convencional, mas foi egoísta e mesquinha em muitas cenas. Anna estava sempre lá para fazer as coisas acontecerem de modo satisfatório e a mãe dela não lhe dava o devido valor. Raros foram os momentos em que essa se dava o trabalho de ser mãe de verdade e só acontecia quando Anna era atacada. Não sei o que a autora quis com esse comportamento de Marguerite, mas não gostei. Fora isso, os outros personagens estão nos eixos. Até mesmo os vilões, que ficam como uma incógnita até o momento certo, estavam perfeitos.

Teri Brown deixa as coisas se desenrolarem de maneira lenta, nos apresentando os personagens pela visão de Anna. Ela vai inserindo aos poucos os elementos para construção daquilo que a história vai propor. No início, eu não sabia o que esperar exatamente do livro, pois não sou muito de ler sinopses, mas a autora foi me surpreendendo com a história e seus personagens. Não imaginava que iria ter um mocinho tímido. Achei isso muito fofo! Foi um toque diferenciado para mim, pois li muitos livros recentemente onde os mocinhos não têm nada de tímidos e calados. Rsrs...

LIVRO "FILHA DA ILUSÃO"
Filha da Ilusão é o primeiro livro da trilogia Herdeiros da Magia. Com certeza quero continuar a leitura dessa trilogia. Os outros dois livros da trilogia ainda não foram lançados aqui no Brasil e não tem previsão, eles são: Born of Deception e Born of Corruption. Lança logo Editora Valentina!
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016