Louca sua miga

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Livro "Anna Vestida de Sangue" - Kendare Blake - Resenha

CAPA DE "ANNA VESTIDA DE SANGUE"


A primeira cena do livro já é digna de cena de filme. Ação e tensão juntas! Vamos conferir a resenha e quem sabe te faço querer ler o livro?

  ENREDO DO LIVRO

Cas Lowood é um caça e mata fantasma. Eu sei, os fantasmas não podem ser mortos, pois eles já estão mortos. Isso é o que todo mundo acha. Depois do assassinato brutal de seu pai, feito por um fantasma, Cas continua o seu legado com o dom incomum que herdou dele. Cas, a mãe bruxa e o gato farejador de espíritos percorrem várias cidades pelo mundo, sempre em busca do próximo fantasma para despachar para o além. A única arma que Cas usa para matar os mortos é o seu punhal athame que foi herdado de seu pai.

Seu próximo trabalho fica em Thunder Bay, no Canadá. Anna Vestida de Sangue é como o fantasma é chamado. Anna foi brutalmente assassinada, em 1958, enquanto ia para o baile do colégio. Foi encontrada largada pelo caminho com o pescoço cortado de orelha a orelha e o vestido branco manchado de sangue. Qualquer pessoa que ouse entrar na casa que ela habita acaba morta de forma violenta.

“Minha intuição dizia que ela não era só uma história. E, além disso, eu queria vê-la, vestida de sangue.” Página 31

Anna não é um fantasma qualquer. Ela é muito mais forte do que qualquer fantasma enfrentado por Cas. E essa peculiaridade ainda aumenta depois de uma confusão, onde Cas acaba dentro da casa, mas Anna não o mata e sim o tira da casa sem nem mesmo feri-lo. Por que Anna é tão mais forte do que outros que Cas enfrentou? Por que Anna deixou Cas vivo?


CAPA DE " ANNA VESTIDA DE SANGUE"

O LIVRO NO GERAL

Algo que adorei no livro foram os personagens secundários e a união entre eles. Com tantas mudanças, Cas nunca fez amigos ou criou laços com qualquer pessoa por onde passava (ele nem se importava muito com isso). Para ele, isso era apenas uma distração do seu verdadeiro trabalho. Em sua busca por despachar Anna, ele acaba por fazer aliados. Amigos. Mesmo a contra gosto, Cas acaba se aproximando e formando laços. Isso me deixou muito feliz, pois vemos o quanto ele não tem muito jeito com as pessoas e o quanto era preciso mudar isso. Cas acaba tornando-se o tipo de pessoa que se importa com aqueles que o rodeia.

Anna Vestida de Sangue é um livro muito bem cotado lá fora e muito aguardado aqui no Brasil. E claro que eu fiquei curiosa com essa história de caça fantasmas, terror, sangue e romance.  O livro tem uma leitura bem fluida. Acabei lendo em uma sentada só. Pode acrescentá-lo à lista de livros para se ler em um dia. Porém... Às vezes um “porém” acaba aparecendo. O livro é bom sim, mas senti falta de alguns detalhes. Algumas coisas poderiam ter sido melhores abordadas, mas apesar disso, ainda vale a pena a leitura. Se você gosta de livros com as características que citei, não deixe de ler.

Fiquei com o coração na mão com a cena final. O livro poderia muito bem terminar aqui, mas temos um segundo livro. \o/ Dançando!!! Espero que o segundo livro possa estar no mesmo nível desse ou ser ainda melhor. Torço para ser melhor, claro.


Adaptação para as telonas

Com certeza é um livro que quero ver no cinema. Fui lendo e imaginando, querendo ver as cenas nas telonas. Os direitos do livro foram comprados pela produtora de Stephenie Meyer em 2013 e só agora algumas notícias sobre o andamento da adaptação foram divulgadas. Já tem diretora, produtora e roteirista. Meyer disse que a escolha dos atores principais foi algo bastante estudado, ela gostaria de ter um casal que tivesse uma química perfeita. Para interpretar os dois, Cas e Anna, foram escolhidos Maddie Hasson e Cameron Monaghan. Os dois já fizeram alguns papéis, mas nada com destaque, o que não tira talento deles.

ATORES: MADDIE HASSON E CAMERON MONAGHAN
Agora chegou a chance deles de destacar-se. A pré-produção está marcada para começar em novembro e sem data de lançamento para o filme. Agora é esperar. Estou bem ansiosa com essa adaptação. \o/

MINHA CARA DEPOIS DE LER O LIVRO :P

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Livro "O Medo Mais Profundo" - Harlan Coben

LIVRO "O MEDO MAIS PROFUNDO"

O ENREDO DO LIVRO

Myron Bolitar é um agente esportivo e dono da MB Representações Esportiva que está quase indo à falência. Depois de ter ‘fugido’ por um tempo com Terese Collins, após a morte de um amigo querido, ele retornou à empresa e percebe que as coisas não estava indo muito bem. Lutando para conseguir clientes e reerguer a empresa, Myron se depara com uma revelação que vai mudar toda sua perspectiva de vida: ele tem um filho de 13 anos.

“Myron sentiu o coração congelar, o peito comprimido de forma insuportável, tornando quase impossível respirar. Abriu a boca, mas nada saiu. Era como se tivesse batido um taco de beisebol no plexo solar. Emily o observada, balançando a cabeça.
- Isso mesmo. – falou ela. – Ele é seu filho.” Página 22

Não só essa bomba é jogada em seu colo, como que seu filho está doente e precisando desesperadamente de um transplante de medula óssea. O pequeno Jeremy tem uma doença fatal, a anemia de Fanconi que pode ser tratada durante um tempo, mas apenas o transplante resolveria o problema.

PRIMEIRA PÁGINA
Porém, o único doador do menino desapareceu e o hospital não pode passar os dados devido à garantia de o anonimato do doador. Emily Downing, a ex-namorada e a mãe de Jeremy, procura Myron como último recurso, pois ele tem as habilidades necessárias de investigação de sua época no FBI. Com a motivação de poder salvar o filho que nunca conheceu, Myron entra em busca desenfreada de encontrar o doador, mas o que poderia ser uma tarefa simplesmente complicada, torna-se um emaranhado de mistérios envolvendo uma família muito discreta, um jornalista que acusado de plágio e uma série de sequestros. O que tudo isso tem a ver com um simples doador?

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A edição do livro está bacana. As letras são confortáveis de ler, as folhas são amarelas e de boa qualidade. A narração fica em terceira pessoa, mas com a perspectiva do expressivo Myron Bolitar, o que deixa a leitura dinâmica e rápida.

O LIVRO NO GERAL

Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Harlan Coben e com seu personagem mais famoso Myron Bolitar. Foi uma boa estreia de leitura para mim, apesar do livro ser o sétimo da série sobre esse personagem. De certa forma, os livros são independentes, cada um trás uma história, onde fatos e situações de outros livros são apenas citados de modo superficial. Sou uma pessoa naturalmente curiosa, então fiquei interessada em ler os primeiros livros da série Bolitar.

FOTO DO AUTOR
Uma coisa boba, mas para mim foi um ponto positivo é que enquanto o centro da história se desenrola, o trabalho de agente esportivo de Myron não some magicamente da história. Temos algumas cenas de Myron buscando o ganha pão de todo dia.

Também achei digno o modo como Myron agiu durante o livro. Apesar de ser um homem que tenta sempre levar as coisas com humor, ele tem um coração mole. Um Batman, como a personagem Esperanza lhe chama. Está sempre tentando ajudar quem precisa sem medir esforços.

O livro tem um ritmo acelerado. Os diálogos são ligeiros e quando vemos já acabamos um capítulo e a vontade de começar a ler a série pelo início é grande. A frase “só mais um capítulo” faz bastante sentido aqui.

Myron Bolitar é um personagem com bastante humor e sarcasmo, onde a mistura dessas características podem nos dá uma combinação única do personagem. Ainda não vi um personagem mais divertido e sagaz que Myron.

CAPA DE "O MEDO MAIS PROFUNDO"

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Livro "Uma Dama Imperfeita" - Lucy Vargas

LIVRO "UMA DAMA IMPERFEITA"

O ENREDO DO LIVRO

Bertha Gale é uma moça de origem humilde, mas em contradição a isso ela foi criada na mansão de Henrik, que é o marquês de Bridington. Bertha teve a mesma educação que Lydia Preston, a filha do marquês. Bertha é como uma filha para o marquês e sua nova marquesa Caroline. Eles ficaram responsáveis pela boa educação dela desde que Bertha era criança, devido a um arranjo que fizeram com os pais da moça. Bertha e Lydia são amigas inseparáveis e se consideram irmãs apesar de suas origens distintas. Porém, a origem de Bertha nunca esteve tão em evidência quanto na primeira temporada de debutante de Lydia em Londres.

Pronta para ser apresentada a sociedade londrina, Lydia e seus familiares partem para Londres e Bertha fica como a acompanhante de Lydia, sempre a ajudando a sair das enrascadas que se mete. No entanto, por uma ironia do destino, é justamente a acompanhante que ganha as atenções de um certo lorde que está a procura de uma esposa. Bertha sabe que sua condição e origem não a fazem ser um bom partido para um nobre, por isso ela luta contra seus sentimentos para não se envolver com Eric, Lorde Bourne. Ele é um visconde e herdará o título de conde do seu avô, quando esse se for.

LIVRO LINDO!
Bertha sempre foi uma garota sensata e ajuizada, mas essa temporada em Londres vai fazer ela perder toda a compostura. Ela sabe que essa atração por Eric só trará conflito e confusão, pois ela acaba se tornando alvo de fofocas e do desprezo das debutantes, apesar de fazer o máximo possível para se afastar dele. Porém, os sentimentos apenas crescem, e eles se veem envolvidos em momentos turbulentos. Para ficarem juntos, eles terão que deixar as convenções de lado e buscar a verdadeira felicidade. Mas será que Bertha, uma moça tão sensata e direita, conseguirá seguir seu coração ao invés da ditadura das convenções sociais?

“Com os mais belos olhos castanhos que passaram a assombrá-lo dia e noite. Com toda a graciosidade que ele achava só existir nas damas dos livros. E misturava uma sedutora timidez à teimosa insolência de uma forma que o fazia sorrir e querer beijá-la. E abraça-la novamente. Sem dúvida, sentir o toque macio e o gosto de seus lábios outra vez. Repetidamente. O tempo todo.” Página 142

MARCADOR DE PÁGINA

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Como sempre, a edição da Editora Charme me encanta. Apesar dessa capa não ser tão bonita quanto a do primeiro livro, o capricho que a editora emprega na edição é palpável. A narração é feita em terceira pessoa, mas fica por conta de vários personagens. Muitos querem dar o ar de sua graça nessa história, mas o foco principal é Bertha e Eric.

O LIVRO NO GERAL

A primeira cena do livro já nos dá um gosto do que vem por aí. Gostei do modo como a autora conduz a narrativa. O livro é bastante divertido e engraçado. Nossos protagonistas contam com um grupo nada convencional fazendo as mais diversas peripécias que naquela época eram um escândalo para a sociedade.

MARCADOR
O desenvolvimento e crescimento dos personagens são notáveis e vamos nos apaixonando não só por Bertha e Eric, mas por senhorita Amável, Lorde Pança, senhorita Esquentadinha e muito outros que aparecem para nos divertir nessa leitura. Esses são denominados grupo de Devon e foi uma ótima inserção da autora para dar mais dinamismo e empolgação na história. Quero muito poder revê-los em outros livros.

Porém, um ponto me incomodou, o livro foi muito lento. Acredito que algumas cenas poderiam ter sido supridas para agilizar a história. Em muitos momentos Bertha ficava em uma indecisão entre o que fazer ou não em relação ao Eric. Uma hora estava nos braços dele, trocando carícias, e em outra estava pedindo para ele ir embora e deixá-la em paz. Muitas dessas cenas poderiam ser sido retiradas e fazer a história fluir melhor. Deixo claro que isso em nenhum momento prejudica a história.

Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Lucy Vargas, mas já tinhas visto alguns de seus livros em divulgações na blogosfera. Esse é o segundo livro da série Os Preston e autora já têm planos de publicar a história de Lydia ainda esse ano. Vamos aguardar!

CAPA "UMA DAMA IMPERFEITA"
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016