Louca sua miga

sábado, 29 de outubro de 2016

Livro "O Feiticeiro de Terramar" - Ursula K. Le Guin - Resenha

LIVRO E PÔSTER

Ursula K. Le Guin
é uma autora norte-americana bem famosa e já ganhou vários prêmios literários por seus romances, contos e poesias. Além desses tipos de literatura, Ursula também escreve na área de ficção-científica, um gênero que curto muito. Como eu estava curiosa para ler algo dela, o livro O Feiticeiro de Terramar, apesar de ser fantasia, veio para matar minha curiosidade.

ENREDO DO LIVRO

Duny foi seu primeiro nome, um nome dado pela mãe antes que ela morresse. Por ter sido criado pelo pai, Duny não teve muita atenção e acabou se tornando um rapaz selvagem e teimoso. Ele se interessava mais em passear pela ilha do que ajudar o pai na forja. Mas a vida de Duny estava prestes a mudar.

LIVRO "O FEITICEIRO DE TERRAMAR"
Aos 7 anos, enquanto pastoreava as cabras, Duny soltou uma rima que já tinha ouvido a tia dizer quando queria chamar as cabras. Essa rima na verdade era um feitiço e quando a tia descobriu que o menino conseguiu usá-las, logo percebe o dom que ele tinha. Ela passou anos lhe ensinando algumas palavras que poderiam lhe dar pequenos poderes. Muitas vezes Duny utilizava os poderes para chamar aves de rapina e por isso acabou ficando conhecido por Gavião, o que viraria seu codinome anos depois.

Quando Duny utiliza seu poder para enganar o inimigo que ameaça sua aldeia, ele acaba chamando atenção de Ogion, o mago da ilha, e se torna seu aprendiz quando completa 13 anos recebendo assim seu verdadeiro nome: Ged. Mas ser aprendiz do mago não é o destino de Ged. Enviado para a escola de magos na ilha de Roke pelo próprio Ogion, Ged vai aprender que seu orgulho e gênio forte vão apenas lhe fazer mal. Deslumbrado pelo poder e orgulho, ele acaba soltando um mal no mundo: uma sombra sem nome. Agora ele deve desfazer o que fez antes que esse mal tome todo o seu poder e faça algo ruim.

CAPA LINDA

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A narração é feita em terceira pessoa, mas com o foco na jornada de Ged. Ainda assim o narrador é bem impessoal e nos situa mais nas paisagens do que nos sentimentos dos personagens. A edição está um capricho só. O livro veio com um mapa de Terramar e com a ilustração maravilhosa da capa e contra capa do livro.

O LIVRO NO GERAL

O livro é bem curtinho e rapidamente você consegue terminá-lo, é apenas sentar e ler. Infelizmente, eu não consegui terminar a leitura rapidamente. Ursula tem uma ótima escrita, mas seu protagonista deu muitas voltas por Terramar deixando assim o livro como um passeio pelo mapa e sem uma construção significativa do personagem. A busca de Ged pela sombra tomou uma proporção muito grande do livro e não chegou a ficar uma leitura interessante. Acabei enrolando para terminar o livro e o final acabou sendo um anti-climax para mim.

A leitura não foi de toda tediosa. Existem elementos interessantes também. Um deles é que em Terramar, as crianças não são nomeadas quando nascem, recebem apenas um ‘apelido’, Aos 13 anos os garotos recebem seu verdadeiro nome e tornam-se homens aos olhos de todos. Seu verdadeiro nome não pode ser dito levianamente, apenas pessoas de confiança o sabem. Saber o nome de alguém ou de qualquer ser acaba lhe concedendo poder sobre ele, pois em um mundo de feitiçaria e magia tudo pode acontecer.

LIVRO E DRAGÃO!
O Feiticeiro de Terramar é o primeiro da série do ciclo Terramar, que se constitui de quatro livros no total. Apesar do que foi colocado aqui, não posso afirmar que não continuarei a série, pois estou curiosa para ler sobre as outras aventuras de Ged no universo de Terramar.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Livro "Quantum Break: Estado Zero" - Cam Rogers - Resenha

LIVRO "QUANTUM BREAK"
Não sei como vou conseguir me conter nessa resenha sem me empolgar tanto e acabar dando spoiler (não se preocupe, não tem spoiler!). O livro é muito surreal, mas muito bem alinhado em sua proposta.

eNREDO DO LIVRO

Quantum Break: Estado Zero se inicia em 4 de julho de 2010 com Jack Joyce, Paul Serene e Zed no Mirante de Bannerman em Riverport, Massachusetts, com um dos maiores chefões do crime da cidade. Will Joyce, irmão mais velho de Jack, mais uma vez se mete com as pessoas erradas e Jack tenta consertar com a ajuda dos amigos Paul e Zed, uma mulher misteriosa que chegou há alguns meses na cidade, mas já conquistou seu coração. Os acontecimentos daquele mirante são apenas um detalhe em tudo que irá se iniciar.

Seis anos depois, Jack está de volta à cidade a pedido Paul, que trabalha para a Monarch, uma corporação gigantesca envolvida em várias áreas da indústria dos EUA. Paul precisa da ajuda de Jack para fazer um experimento muito importante. Um experimento na máquina do tempo criada por Will. Apesar das muitas ressalvas de Will, sobre acreditar que a máquina está com um defeito e que pode danificar o tempo e espaço, Paul acredita que a máquina está funcionando muito bem e quer provar que o projeto não pode perder todos os investidores que tem. Porém, as coisas não saem como Paul esperava e o mundo em que todos conhecem não será mais o mesmo.

Com o erro na máquina, o tempo foi afetado. Pequenos lapsos sem tempo estão começando a ocorrer e isso é apenas o começo. O fim do tempo está próximo. Jack acabou sendo afetado pelo campo de cronum que a máquina soltou e de alguma maneira ele consegue parar o tempo. Essa habilidade vai lhe ajudar muito a conseguir consertar o erro que Paul cometeu, mas não será fácil já que a Monarch parece ter seus próprios planos sobre como agir.

“– Actual... ao menos um dos dois fugitivos do laboratório do tempo é cronum-ativo. Originalmente.
– Como?
– Estão vivos. Actul. Teletransportando. Sem equipamento de resgate, sem tecnologia de Atiradores. Alvo manifestou espontaneamente uma deformação no campo M-J de forma intencional. Verifique os vídeos. – Gibson pendurou a M32 no ombro, virou-se para o comandante do pelotão Guardião – Boa sorte.
E saiu pela porta.” Página 74

ORELHA DO LIVRO

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Essa capa de Quantum Break é belíssima. Tanto o material do qual é feita quanto a imagem. As folhas também são feitas de um material mais resistente. A Editora Planeta com o Selo Outro Planeta, está de parabéns pelo ótimo acabamento desse livro.

O livro foi escrito em terceira pessoa. Jack é o personagem principal de Quantum Break, mas não é único que tem uma visão dos acontecimentos. Vários outros personagens dão seu ponto de vista também. O autor narra e conecta a história a partir de vários aspectos que Jack sozinho não saberia.

Curiosidade

Quantum Break: Estado Zero surgiu a partir de um vídeo game de mesmo nome, mas esse livro não é como o jogo. O próprio criador do jogo nos conta no prefácio que o livro veio como um eco do próprio jogo, como uma outra versão, um espelho distorcido do game.

O LIVRO NO GERAL

Quantum Break é um livro de muita ação, mas também chega a ser um tanto confuso. É muito fácil se perder nesse enredo. O autor Cam Rogers escreve muito bem, mas com muito enfeite, o que deixa as coisas bem caóticas nessa leitura. Os detalhes sobre a viagem no tempo, tanto indo ao futuro quanto ao passado durante a leitura assim como: a doença dos Deslocadores e, entre outras coisas mais, torna tudo muito maluco, mas muito interessante. Cam Rogers não deixa ponto sem nó.

O livro tem uma leitura bastante densa e longa. No entanto, você não deve desistir. Os pontos que parecem não ter sentido vão se encaixando. Imagine ter que ligar tantos pontos para conectar cada detalhe que não faria sentindo sozinho. Ah! O livro situa o leitor em datas, horários e locais de cada acontecimento. Todo o enredo deve ter dado um trabalho imenso ao autor. Os fãs de ficção-científica e viagens no tempo vão curtir muito esse livro. Você que leu o livro e gostou, entre em contato comigo, por favor. Preciso muito compartilhar minha experiência de leitura com alguém, com direito a teorias e muitos spoilers. 

CAPA DE "QUANTUM BREAK"

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Livro "Essa Luz Tão Brilhante" - Estelle Laure - Resenha

Livro "Essa Luz Tão Brilhante"
Nem sei por onde começar. O livro é tão intenso e cheio de sentimentos que fazer sua resenha não é tão fácil quanto achei que fosse, mas vamos lá.

ENREDO DO LIVRO

Quando a vida te dá limões você faz uma limonada, certo? Mas quando a vida ao invés de dar, ela tira os limões de você? É assim que consigo descrever a situação inicial de Lucille e de sua irmãzinha Wren. As duas estão sozinhas, para não dizer abandonadas pelos pais.

Lucille tem apenas 17 anos e está para começar seu último ano no ensino médio quando seu mundo vira de cabeça para baixo. Depois que seu pai Tony teve um surto e foi internado, as coisas em casa não ficaram muito bem. Laura, a mãe, não aguentou a pressão de cuidar das duas e resolveu tirar umas férias de ser ‘mãe’. Ela saiu de casa prometendo voltar em duas semanas, mas nunca retornou ou ligou de volta e agora Lucille se vê como sendo a única adulta para cuidar da casa e da irmã menor. Lucille sabe que a mãe ainda está viva, apenas por ter recebido 100 dólares pelo correio, o que significa que Laura não pretende retornar tão cedo.

LOMBADA E CAPA
“[...] nós estamos sozinhas. [...] Wren e Lucille. Lucille e Wren. Vou fazer o que foi necessário. Ninguém vai nos separar. Isso significa manter as coisas na máxima normalidade possível. Fingir. Porque as coisas não podiam estar mais longe da normalidade. O normal foi embora com o papai.” Página 7

As provações que Lucille vai ter que passar para manter a sanidade e o bem estar da irmã, são situações complicadas. Ela vai ter que esconder de todos que as duas estão sozinhas, pelos menos até alcançar a maior idade e para isso vai precisar da ajuda de sua melhor amiga Eden e seu irmão Digby. De qualquer modo, as coisas não serão fáceis para se manter firme.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Quem narra o livro é a própria Lucille e seus sentimentos são intensos e emocionantes. Não há como não se encantar. Em alguns capítulos, Lucille nos conta momentos no passado que vão se encaixando na história. Isso nos dá uma boa visão dos acontecimentos no presente. A edição está bem bacana, folhas amareladas e o marcador que veio junto ao livro é muito fofo! O livro é bem curtinho e rapidamente acabamos a leitura. Quem está procurado um livro para ser ler em um dia, esse é uma boa pedida.

MIMOS RECEBIDOS COM O LIVRO

O LIVRO NO GERAL

Essa Luz Tão Brilhante foi um livro que me tirou um pouco do fôlego. Não tive como ficar indiferente ao que Lucille teve que enfrentar para fazer a vida parecer normal aos olhos de todos ao seu redor. Lucille, apesar de não ter me agradado com algumas atitudes, foi uma das personagens mais batalhadoras que tive o prazer de conhecer em uma leitura. Essa personagem merece destaque por sua dedicação, força e perseverança, não se deixando abater quando uma dificuldade surgia no caminho.

“Não entre com suavidade nessa noite agradável. Tenha fúria, tenha fúria contra a morte da luz.” Página 169

Não posso deixar de citar os anjos que surgiram no caminho de Lucille e Wren. Foi muito bonita a ideia da autora de colocar pessoas bondosas e dispostas a ajudar as duas, mesmo que nas sombras, apenas zelando por elas ao longe. <3

A parte do romance não foi algo que me conquistou. Achei bem forçado e desnecessário. Bom, talvez não desnecessário, mas Lucille estava passando por um momento tão complicado e a autora ter colocado como uma garota obcecada por Digby não ficou legal. Estelle Laure poderia ter dado aos dois a chance de um romance sem fixação, mesmo que houvesse dificuldades no caminho.

CAPA DE "ESSA LUZ TÃO BRILHANTE"
Essa Luz Tão Brilhante é apenas o primeiro livro. Não sei se será uma série ou uma duologia, mas o segundo livro já tem nome e será lançado ano que vem: But Then I Came BackEu estou aguardando ansiosa por esse lançamento, pois o primeiro livro termina de uma maneira arrebatadora. Necessito dessa continuação!

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Como fazer Selagem Térmica nos Cabelos em casa?


A selagem térmica é um processo ideal para cabelos com frizz e pontas duplas. Para quem quer reduzir o volume, ela também pode ser utilizada. Mas eu a uso apenas para modular o cabelo e diminuir o frizz, visto que meus cabelos são bem fininhos e eu tenho pouca quantidade. Então, para quem tem o cabelo parecido com o meu - pouquinho, fino e com frizz - este processo é uma ótima opção. Mas, como fazer selagem térmica?

Nos salões de beleza, a selagem custa em torno de R$100. No entanto, fazendo o processo em casa você irá gastar menos de R$20, pelo menos utilizando os produtos que eu uso, e poderá repetir o processo com os mesmos produtos em até três vezes, dependendo da quantidade de cabelo que você tem.

Como fazer Selagem Térmica em casa?




Eu particularmente gosto muito de usar o kit de Selagem térmica da Salon Line. Você pode adquirir o seu kit por R$23,40 no Submarino clicando aqui ou por R$19,80 na Walmart clicando aqui. Existem vários kits de selagem térmica da mesma marca com embalagens diferentes. Geralmente eu uso a laranjinha, esta aqui. Porém, já usei as caixinhas de outra cor e pelo que li e os resultados que dão, é a mesma coisa.

Então, vamos ao passo a passo?

Passo a passo para fazer selagem térmica em casa



  1. Em seu kit de selagem térmica, pegue o produtinho "1", o shampoo purificante e lave seus cabelos tirando todas as impurezas. Se precisar, lave mais de uma vez.
  2. Depois, seque seu cabelo de 60 a 70%. Tome cuidado para secá-lo completamente. Caso isso aconteça, recomece o processo.
  3. Com um pincel, aplique o produtinho "2", o redutor de volume, em toda a extensão do seu cabelo. Porém, se você tiver pouco volume naturalmente, hesite em aplica-lo na raiz. Caso isso aconteça, seu cabelo ficará pesado e minguará o volume.
  4. Depois de o produto aplicado, passe um pente fino ou uma escova de alisar para espalhar o produto em toda a extensão dos fios.
  5. Aguarde 20 minutos. Não ultrapasse este tempo. Caso isso ocorra, o próximo passo será impossibilitado.
  6. Transcorrido os 20 minutos do produto 2 no cabelo, faça uma escova alisadora normalmente com secador.
  7. Em seguida, pranche o cabelo. Em cada mecha, passe a chapinha de 6 a 9 vezes. Foque nas pontas para selar as pontas duplas.
  8. Aguarde seu cabelo resfriar. No geral, aguarde 10 minutos. Mas, se seu cabelo for cheio, aguarde mais do que isso.
  9. Em seguida, volte ao banho e retire todo o produto do cabelo.
  10. Com o cabelo ainda molhado, aplique o produto "3", a máscara de reconstrução, em toda a extensão do cabelo. Faça massagem no couro cabeludo e por toda a extensão dos cabelos durante 3 a 5 minutos com o produto.
  11. Retire todo o produto e deixe o cabelo secar naturalmente ou use um secador para melhor resultado.

Principais Perguntas sobre Selagem Térmica:

A selagem capilar alisa o cabelo?

Se os seus fios forem finos e ondulados, provavelmente você terá um resultado alisador. Mas é importante ter em mente que o objetivo da selagem não é este. Se os seus cabelos, no entanto, forem cacheados, o resultado provavelmente não será um cabelo liso. E sim um cabelo ondulado. Mas, como este processo é gradativo, quanto mais vezes você fizer selagem, mais modelo o seu cabelo ficará no decorrer do tempo.

Melhores produtos para selagem: quais são?

Como citei anteriormente, eu gosto bastante da linha da Salon Line e a indico (e isso não é um publi, rs). O kit é baratinho, dá para usar várias vezes e é muito fácil de encontrar nas lojas. Você pode adquirir o seu kit por R$23,40 no Submarino clicando aqui ou por R$19,80 na Walmart clicando aqui. Mas existem outras marcas no mercado para experimentar.

Produtos e Preços da Selagem Capilar

Em um salão de beleza, este processo custará em torno de R$100, dependendo da sua cidade, do salão e do seu tipo de cabelo. Quanto aos produtos, existem kits de 1Kg R$160, como este aqui, mas eu ainda prefiro comprar pouca quantidade e ir testando como faço com os kits pequenos da Salon Line.

Devo fazer selagem térmica no meu cabelo?

Essa é uma pergunta que muitas meninas devem fazer. A minha resposta seria a seguinte: se você estiver em dúvida entre progressiva e selagem, faça a segunda opção! A selagem é uma ótima opção para quem quer acabar com o frizz, não gastar muito, selar as cutículas e deixar as pontas duplas para trás e não usar muita química o tempo todo! :) Pra mim, vale super a pena!

Espero ter respondido todas as principais dúvidas sobre a selagem térmica para vocês. Se tiverem alguma questão, deixem nos comentários. Não deixem de me seguir no snap (bloglagarota) e lá no nosso canal! Beijocas procês!


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Livro O Monstrologista - Rick Yancey - Resenha


Se não fosse a indicação de um booktuber ou não tivesse escrito por Rick Yancey, essa capa de O Monstrologista teria me chamado atenção. Fazia um bom tempo que eu queria ler esse livro e agora tive a oportunidade.

ENREDO DO LIVRO

Século XIX, Nova Jerusalém, em Nova Inglaterra, EUA. Will Henry é um menino de 12 anos, nos anos de 1888 e que já viu mais horrores do que muitas pessoas mais velhas. Ele é assistente de um monstrologista, uma pessoa que estuda a vida dos monstros que são seres desconhecidos pelos humanos. Mas como um garoto dessa idade acaba passando por tudo isso e sendo assistente um monstrologista?

Há um ano, Will perdeu os pais em um misterioso incêndio. Órfão, ele vai morar com o cientista monstrologista, doutor Pellinore Warthrop, o homem a quem seu pai era inteiramente leal. O doutor foi o chefe de seu pai e Will se vê como assistente dele no meio de sua peculiar especialidade.

Aqui nossa aventura começa com um Will sendo acordado de maneira brusca pelo doutor, o que não é novidade para ele. Um estranho aparece na porta trazendo um espécime de monstruosidade: um Antropófago. Um monstro carnívoro que não tem cabeça como a nossa, mas com olhos e dentes de tubarão, além de ser extremamente ágil. Um animal grotesco que não quer se ver em seus piores pesadelos, pois sua dieta alimentar consiste em carne humana.


“Os olhos negros e sem pálpebras localizadas nos ombros e a boca aberta cheia de presas encravada no meio do peito lembravam, mais que tudo, um tubarão.” Página 26

Mas o que esse espécime estava fazendo em Nova Jerusalém? Eles não eram nativos das Américas. Então como chegaram lá, quem os levou e qual o propósito? E a pior pergunta de todas: quantos deles existem na região? É seguindo essas perguntas que Will vai sendo arrastado por doutor Pellinore ao fundo dessa aventura.

NARRAÇÃO e Edição física

A edição do livro está maravilhosa! Toda a diagramação está bem bacana e a capa chama muito atenção. O livro é contado através das memórias de Will: são trinta diários ao todo e apenas parte dele nos é transcrito pelas mãos de um homem desconhecido, aparentemente um autor. Os relatos aconteceram há 119 anos em relação ao ano em que foram encontrados, em 2007.

O LIVRO NO GERAL


Por muitas vezes senti vontade de entrar no livro e estapear o doutor Pellinore. Esse monstrologista não media esforços para alcançar seus objetivos e por sua mente brilhante ser voltada apenas para o trabalho, ele não conseguia olhar para o pequeno Will como apenas uma criança. Coitadinho do Will! Era sempre arrastado para as tarefas que o doutor Pellinore queria que ele fizesse. Iam de uma simples arrumação na casa até perseguir um antropófago assassino, além do fato de não ser bem tratado pelo doutor em muitas ocasiões. Entretanto, Will sempre aguentou tudo muito bem. Sua lealdade para com o doutor sempre foi muito firme e isso só o torna um personagem admirável para mim.

Um fato que deixou tudo bastante interessante, foi que o autor desconhecido, aquele que recebeu os diários, não sabe se todo esse relato foi verdadeiro ou não. Óbvio que ele acredita que foi tudo ficção já que muitas referências dos diários não são encontradas em sua pesquisa sobre a veracidade dos relatos, porém apenas um certo personagem nesse livro foi real naquela época. Será que isso significa que os diários não eram pura ficção?


Apesar da capa e do protagonista ter 12 anos, não recomendo o livro para crianças que se impressionam fácil. Rick Yancey não poupa descrição dos acontecimentos ao redor mesmo nos momentos de muito sangue e carnificina. O livro é bastante longo e descritivo em demasia. Em certos momentos, as descrições ficam um pouco tediosa, mas nada que tire o brilho dessa história tão bem escrita. Rick Yancey sabe muito bem como entreter seu leitor. Ele também é autor da trilogia A 5ª Onda, resenha dele o blog. (aqui) Adorei esse livro! <3

O livro foi um carrossel de sentimentos. Em um momento estava brava com o doutor, em outro estava compadecida com a situação de Will, em outro estava horrorizada com a carnificina dos Antropófagos. Você que adora reviravoltas não pode perder a leitura desse livro cheio de mistério, aventura, ação e sangue. ;)

O Monstrologista faz parte da série de mesmo nome e tem mais três livros, todos já lançados aqui no Brasil! Ah! Dando uma olhada em informações adicionais sobre o livro, encontrei uma notícia antiga de que a série iria virar filme nas mãos da Warner Bros. Bom, a notícia foi de 2014 e até agora nada. Vamos torcer para que a ideia dê certo! o/


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Livro "Crônicas de Redenção" - Marcelo Costa - Resenha


Em Crônicas de Redenção se encontram nove contos sobre como surgiu a nova sociedade na trilogia Redenção. Como foi o fim da guerra, a infância de Valker e a história do povo Metrovinos. Os contos podem ser lidos antes ou depois da leitura de Redenção: Legionella, o primeiro livro da trilogia.

Meu conto preferido foi Fim da Guerra, que é divido em duas partes. Nunca li O Diário de Anne Frank, mas acredito que o autor possa ter se inspirado nesse livro para criar esses contos. Os relatos são bastante chocantes. A guerra pela visão de uma criança, um menino chamado Heydan de doze anos. Onde ele não sabe o porquê do ataque, mas relata tudo o que pode e sabe.

O livro é bastante recheado de ação, sofrimento e busca pela sobrevivência. A escrita de Marcelo Costa é maravilhosa e envolvente. Ele descreve os cenários de maneira simples, mas com uma escrita poderosa que envolve o leitor.

Confesso que fiquei receosa quando vi um comentário sobre o autor ser o Asimov brasileiro. Asimov é meu autor de ficção-científica favorito e não gosto quando fazem comparações de qualquer tipo. Acredito que cada história, cada autor tem seu próprio toque. E Marcelo Costa tem seu próprio toque notável e prodigioso. Ah! No final do livro temos as capas originais dos contos contidos nesse livro. Algumas são até capas estrangeiras. Muito bacana!


Se você é fã de ficção-científica e gosta de histórias sobre povos primitivos e guerras, não pode perder a leitura de Crônicas de Redenção.


domingo, 9 de outubro de 2016

Livro "Sedução" - Nicole Jordan - Resenha

CAPA DE 'SEDUÇÃO"
  ENREDO DO LIVRO

Rico, lindo e sedutor, o Barão Damien Sinclair não mede esforços para ter o que deseja. Adora os prazeres carnais que as mulheres podem lhe oferecer e as recompensa muito bem também. Um lorde da Sedução. Conhecido como Lorde Sin, o lorde do Pecado, aproveitou bem o que a riqueza pode lhe proporcionar até sua irmã Olivia sofre um grave acidente. Olivia caiu das escadas e sofreu um forte trauma na coluna vertebral que acaba por retirar os movimentos de suas pernas. Além desse fato, ainda temos a situação comprometedora ao qual a levou ao acidente: uma fuga mal sucedida com um amante. Sem poder se locomover e com a reputação machada, Olivia perdeu o brilho jovial de uma moça de dezoito anos.

O que Damien mais quer é ajudar a irmã e também vingá-la. Lorde Rutherford é culpado de todo o mal que Olivia sofreu e ele consegue arruiná-lo financeiramente, deixando-o sem nada. Ele só não esperava que no meio de tudo isso Vanessa Wyndham, irmã de Lorde Rutherford, viesse a lhe pedir clemência por suas irmãs e mãe, que não as deixasse sem um teto sobre a cabeça.

LOMBADAS LINDAS

Vanessa Wyndham é viúva, apesar da pouca idade. Depois de um péssimo casamento, o marido apenas lhe dava repulsa quando a tocava, tudo o que ela mais queria era ter uma vida tranquila com sua família. Porém, o destino quis que uma tragédia viesse assolar sua família. Ela toma para si a dívida de salvar a família da ruína quando seu irmão perde tudo o que tem para Lord Sinclair. Vanessa lhe faz a proposta de cuida de Olivia, ser sua dama de companhia, mas Lord Sinclair tem uma ideia melhor...

“– Não estou entendendo.
– Então vou lhe explicar de maneira mais clara. Cancelarei a dívida de seu irmão se a senhora se tornar minha amante.” Página 41

Sem saída, Vanessa se vê viajando para a mansão Rosewood, em Warwickshire, para cuidar de Olivia e estar à disposição de Lord Sinclair. Damien pode ter a mulher que quiser e não precisa pagar por isso, mas Vanessa o intriga. Ela era um desafio, pois ele via o quanto era reclusa quanto às questões carnais e pretendia fazê-la estar mais do que disposta a tê-lo sem forçá-la a nada. Seria uma doce sedução.

“[..] mas apesar disso queria algo mais do que uma submissão a contragosto. Estava decido a transformar seu frio desdém em desejo ardente.” Página 102


Narração e Edição Física

O livro é narrado em terceira pessoa, mas sempre acompanhando Vanessa e Damien. A edição está muito caprichada, assim como em O Príncipe do Prazer, com folhas amareladas. A narração é tão leve que rapidamente nos vemos na página desse romance envolvente.

LOMBADA DE "SEDUÇÃO"

O LIVRO NO GERAL

Com um romance cheio de sedução e sensualidade, Nicole nos mostra uma mocinha na descoberta no que se refere à relação íntima entre um homem e uma mulher. Submissa aos caprichos do marido, ela era apenas um pedaço de carne onde ele poderia se satisfazer quando quisesse e ainda buscar outras fora do casamento. Ela era uma mulher sem voz. Vanessa vai ultrapassar a barreira de ser apenas vista como um mero objeto a ser apreciado. O que pode deixar Damien rendido à inteligência e inocência de nossa protagonista.

Ainda temos um pouco do poder da voz feminina, tanto com nossa protagonista Vanessa quanto com Olivia. Mulheres que querem decidir seu próprio destino, sem esperar a permissão de um homem para consenti-lo. \o/

Sedução é o primeiro livro da Série Notorious. Já tem resenha do quinto livro da série, O Príncipe do Prazer, aqui no blog. Deem uma conferida. ;)

CAPAS DA SÉRIE

Livro "Perdão Mortal" - Robin LaFevers - Resenha

EU E O LIVRO
A vinda de Ismae Rienne ao mundo foi uma benção ou um desastre?

ENREDO DO LIVRO
Ismae te uma marca vermelha em suas costas, do ombro esquerdo ao quadril direto. Isso é a prova de que sua mãe não a queria. Mal pode nascer e a mãe de Ismae usou veneno para expeli-la de seu útero deixando a mancha em suas costas. Ismae deveria ter morrido, mas não morreu. Muitos diziam que ela havia sido gerada pelo Deus da Morte e por esse motivo ela não morreu, mas teve que enfrentar a fúria de seu suposto pai.

Ismael teve uma vida miserável por 14 anos com o pai. Esse nunca lhe deu amor ou carinho. O que nunca faltava a Ismae era uma boa surra e com isso ela aprendeu que os homens nunca eram confiáveis e que eles queriam apenas brincar com as mulheres ao alcance deles. Além disso, as pessoas de sua aldeia a tratavam com desprezo. Ali não era seu lar. Mas a vida de Ismae está prestes a mudar.

No dia de seu casamento forçado com Guillo, Ismae teve a sorte de ser resgata de mais uma vida de submissão e socos. Ela é levada ao convento de Saint Mortain. O convento dedicado ao Deus da Morte

“Virei e tomei o caminho do convento, ansiosa para ver o que aqueles que veneravam a Morte queriam de mim.” Página 8

CAPA DE "PERDÃO MORTAL"

No convento, a abadessa Etienne De Froissard oferece a Ismae uma vida muito diferente da que ela levava. Ismae nasceu com dons especiais, esses são ferramentas que o Mortain lhe deu para fazer seu trabalho: matar pessoas, aqueles que o Mortain designar como um traidor da Bretanha, marcando-os para que apenas as filhas de Mortain possam vê-las.

Decidida a fazer o melhor por seu país e ser digna de seus dons, Ismae decide ficar no convento e treinar para se tornar uma assassina de Mortain. Por três anos, Ismae aprende várias habilidades de como matar um homem, que vão da utilização de punhais até as artes femininas. A partir de então, ela pode se defender de qualquer um que tente se aproximar sem seu consentimento.

Agora aos 17 anos, Ismae vai para sua primeira e segunda missão e sai delas bem sucedida, mas o destino quis colocar um obstáculo ainda maior para o cumprimento de sua terceira missão. Ela deve ir para a corte e descobrir se um certo nobre bretão não está envolvido em armações contra Anne, a duquesa da Bretanha. O nobre é Gavriel Duval, o meio-irmão de Anne.

Gavriel ama a irmã acima de qualquer coisa. Ele pretende proteger Anne e seu trono de qualquer um que queira fazer mal ao seu país ou a qualquer um dos dois. Ele sabe que Ismae é uma assassina de Mortain e precisará dela para ajudar a descobrir os traidores da Bretanha, mesmo sentindo que não deva confiar de todo nela.

As vidas de Ismae e Gavriel se entrelaçam e os dois vão ter que decidir se devem unir forças contra o inimigo comum ou ficar um desconfiado do outro e deixar escapar uma oportunidade de desfazer essa trama. Apesar de todas as desconfianças, o envolvimento amoroso dos dois é bastante sutil. Aos poucos as desavenças contra o ducado que aparecem no caminho, acabam unindo os dois. O livro não foca no romance, ele é mais voltado para as intrigas e traições políticas, o que deixa o romance ganhando força aos poucos e trama fica mais envolvente.

CAPA DE "PERDÃO MORTAL"
nARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA
O livro é no estilo medieval e se passa entre 1485 e 1488, na Bretanha. A autora utilizou alguns fatos e personagens históricos reais para o embasamento da história, o que dá uma verossimilhança ao livro. A história é narrada em primeira pessoa pela visão de Ismae. A diagramação do livro está ótima e a imagem da capa combina bastante com a história. O que me incomoda, como sempre, é o material do qual a capa é feita: soft touch.

O LIVRO NO GERAL
Confesso que Ismae me irritava às vezes, mesmo tendo seus motivos para isso. Passou 14 anos presa com seu pai, um homem horrível que só lhe causava dor e sofrimento. Não é a toa que ficou tão desconfiada sobre as intenções dos homens. E agora que seu coração resolveu se abrir, ela não sabe se deve confiar em Durval ou continuar apenas seguindo os desejos do convento.

“– Temo que seja isso que meu convento espera. – disse a ele. – Elas podem nos treinar nas artes do amor, mas nossa mente e coração pertencem firmemente a Mortain.
– Eu discordo de seu convento. – disse. – Por que temos coração então?” Página 268

O livro tem a grossura que tem e não é à toa. A história é bem construída. Muitas coisas vão acontecendo e vamos vendo uma noviça bastante furtiva e um nobre muito leal, mas não posso deixar de comentar que em alguns momentos me senti jogada em algumas revelações. Eu tive a sensação de que alguns detalhes que apareceram no decorrer da história poderiam ter sido inseridos de forma antecipada, mas isso não tira o mérito da história. Robin me conquistou e me deixou com o gosto de quero mais para os próximos livros.

Perdão Mortal é o primeiro livro da série O Clã das Freiras Assassinas. A série tem mais dois livros já lançados: Divina Vingança e Amor Letal. Olhem essas capas, não são lindas? *.* Louca para lê-los!!!
CAPAS DA SÉRIE "O CLÃ DAS FREIRAS ASSASSINAS"

sábado, 8 de outubro de 2016

Livro "A Maldição do Vencedor" - Marie Rutkoski - Resenha

ARTE DA CAPA DE "A MALDIÇÃO DO VENCEDOR"
Esse é o tipo de livro que só com a capa dá vontade de ler, não acham? Quando vi esse livro, não pude deixar de ficar apaixonada por ela. Vamos ver o que eu achei desse livro. o/

ENREDO DO LIVRO

Houve um tempo em que os valorianos eram um povo mais rústico, um tempo antes de invadir as terras de Herran e adotar alguns costumes deles. Com a invasão, o povo herrani foi escravizado ou morto. Eles eram mais adeptos ao lado da cultura, enquanto os valorianos tinham sua educação voltada para o lado militar. Os herranis não tiveram a menos chance de se defender.

Lady Kestrel é uma valoriana e filha do temido general Trajan. Ela é uma ótima estrategista. O que lhe falta em habilidades de combate, tem de sobra em uma mente bastante sagaz e brilhante. Seu pai quer usar essa mente brilhante a favor do Império, mesmo Kestrel não querendo se alistar no exército. Sua outra opção não é muito melhor: casar. Ela preza muito sua liberdade e independência e essas opções de futuro apenas a deixam mais rebelde em seus atos para se libertar da escolha desses dois compromissos.

LIVRO "A MALDIÇÃO DO VENCEDOR"
“Essas não são as minhas regras. São do império. Lute por ele e você terá sua independência. Senão, aceite suas limitações. Seja como for, você vive de acordo com as nossas leis.” Página 30

Em um ato de rebeldia, Kestrel decide ir ao mercado sem acompanhante. Lá ela acaba sofrendo da maldição do vencedor, onde ela vence uma oferta, mas acaba pagando um preço exorbitante por ela. A oferta seria um escravo herrani de olhar misterioso.

Arin é um herrani escravo. Tudo o que ele deseja é liberdade para ele e seu povo. E também vingança. Para conseguir isso, ele não vai medir esforços como manipular Kestrel. No entanto as coisas saem do controle quando os dois acabam inevitavelmente se aproximando. A hora da escolha de qual lado ficar se aproxima. Isso vai mudar todo o mundo que eles conheciam.

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

O livro é narrado em terceira pessoa, mas sempre com a visão de Kestrel e Arin. Apesar de ter a visão dos dois, Kestrel é que ganha maior destaque na trama. Muitas vezes a autora, Marie Rutkoski, me passava a sensação de que nem ela mesma sabia o que se passava na mente de Kestrel. Por ser uma protagonista versada nas artes da manipulação, muitas vezes a autora só nos relatava algo quando já estava acontecendo. Isso deixou o leitor no escuro, apenas esperando as próximas ações de Kestrel.

A EDIÇÃO ESTÁ MUITO LINDA
Quanto a parte gráfica, o livro está impecável! Essa capa é muito linda, não é? O título e o nome da autora estão escritos nas laterais das páginas. Um charme! O material empregado na capa é soft touch, aquele material aveludado. Será que isso vai virar moda nas capas de livros? Essa capa me dá agonia de tocar, além de manchar o livro.

O LIVRO NO GERAL

Os   capítulos são curtos e rápidos. A história passa e em alguns momentos mal percebemos. Porém, do início até quase metade, o livro fica estagnado. A história se resumiu em jogos, passeios e festas. Nada que viesse a acrescentar a história de maneira significativa. Mostrou apenas uma Kestrel boba do que uma protagonista forte. Depois a história vai ganhando consistência e me ganhando aos poucos. Não fui completamente arrebatada por essa leitura, mas espero que o próximo volume tenha menos enrolação e mais ação, o que sinceramente acredito que vai ocorrer sim. Acredito que vale a pena ler e conferir, mas recomendo que não vá com tanta sede ao pote como eu fui. ;)

AMEI ESSA FOTO
O Selo Plataforma 21 já lançou o segundo livro, O Crime do Vencedor. Eba!!!! Como o final de A Maldição do Vencedor foi bastante instigante para mim, quero muito saber como Kestrel vai sair da confusão do qual entrou sem querer. Será que a garota mimada vai conseguir contornar toda a confusão armada?

Livro "Três Coisas Sobre Você" - Julie Buxbaum - Resenha

LIVRO "TRÊS COISA SOBRE VOCÊ" DA JULIE BUXBABAUM

É um livro adorável. Jessie é uma menina perdida, mas aos poucos ela vai se encontrando nessa nova vida. Encontrando pessoas que são amigas e até algumas paqueras. O que acabam lhe rendendo certa confusão. Um livro leve, porém cheio de sentimentos de perda e dor. Ainda assim Jessie vai em busca de seu lugar.

ENREDO DO LIVRO

Jessie Holmes cai de paraquedas uma nova vida, uma vida que ela não esperava e nem queria. Sua família era seu porto seguro, mas depois da morte da mãe, ela e o pai acabaram se afastando.

“Éramos uma unidade feliz, três parecia um número bom, equilibrado. Cada um de nós tinha um papel definido. O meu pai trabalhava e fazia a gente ri. A minha mãe também trabalhava, mas em meio expediente, por isso era uma pessoa central, a pacificadora da família e aquela que nos matinha unidos.” Página 41

Agora que o pai casou de novo e a arrastou de Chicago para Valley, em Los Angeles. Depois da morte de sua mãe há setecentos e trinta e três dias, ela sente-se mais perdida do que nunca. Ela está em uma cidade desconhecida, em uma casa desconhecida e com pessoas desconhecidas. Ela vai ter que recomeçar tudo sendo a aluna nova no primeiro ano do ensino médio no colégio particular Wood Valley, onde a maioria dos alunos tem uma vida privilegiada, muito diferente da vida que Jessie levava. Sua primeira semana no colégio é péssima, mas um desconhecido a notou e deseja ajudá-la.

“tenho observado você no colégio. [...] acontece que... você me intriga.” Página 8

Jessie recebe um e-mail esquisito de um rapaz se identificando com Alguém Ninguém (AN). Ele se oferece a Jessie como um guia espiritual virtual para ajudá-la a sobreviver ao colégio: com quem falar, com quem não falar, onde sentar, o que não deve comer do refeitório, etc. No início ela acredita que deve ser algum tipo de piada com a aluna nova, mas no decorrer dos dias, Jessie e AN criam um laço de amizade e companheirismo. Mas quem será AN?

LIVRO E MIMOS RECEBIDOS

Pontos a considerar e personagens

Além de lidar com o colégio novo e o bullying das garotas populares, Jessie ainda tem toda a problemática familiar. Morar em uma casa diferente, com a nova esposa do pai e seu filho da sua idade dela. Ele apenas finge que Jesse não existe. Nada está fácil. Jessie sente muita falta de sua cidade, de sua melhor amiga Scarlet, mas principalmente da sua mãe. Ter que passar pelo ensino médio sem ela e sem seus conselhos torna tudo ainda mais doloroso. Jessie e sua mãe eram partes de uma unidade.

“Eu tinha uma mãe, e não somente insira mãe genérica aqui, mas a minha mãe, que eu amava de um jeito que não era comum. [...] Eu a amava porque ela era legal, interessante, calorosa. [...] Eu amava minha mãe porque ela era minha. E eu era dela.” Página 70

A relação que Jessie descreve com a mãe é perfeita. Não perfeita ao ponto que tudo são flores, isso não existe, mas as duas tinham uma conexão linda. E isso tocou bastante meu coração. Já a relação com seu pai ficou complicada e distante. Os dois vão ter que aprender a se reaproximar.

“De repente tudo parece irrevogavelmente acabado, como pode acontecer no meio da noite quando a gente está sozinha, quando você está olhando seu pai reconfortar a nova mulher ou quando você também está sofrendo, mas não há ninguém para reconforta-la.” Página 54

Ainda temos outros personagens que rodeiam Jessie. Sua melhor amiga Scarlet, que ficou em Chicago e com quem Jessie está sempre a atualizando sobre sua vida. Uma nova amiga surge também. Por um conselho de AN, Jessie se aproxima de Dri e da melhor amiga dela Agnes. Mas também temos o misterioso Ethan Mark, um rapaz com que ela acaba fazendo dupla para um trabalho de inglês. Não só a beleza de Ethan a atrai, mas como ele gosta de ler sem precisar ser uma leitura obrigatória e ainda recitar poesia. A aura desse garoto desolado deixa tudo ainda mais interessante para Jessie, porém ela sabe que ela não faz o tipo dele. Sonhar não custa nada.

A EDIÇÃO ESTÁ UM CAPRICHO

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A capa de Três Coisas Sobre Você combina com o que a história quer passar. Cada peça mostrada conta uma parte da história. Eu achei linda! Pena que seu material é do tipo aveludado, soft touch, deixando a capa manchada só de tocá-las. Fico agoniada com isso! Fora isso, a capa e a diagramação estão ótimas. A narração fica por conta de nossa pequena Jessie.

O Livro no geral

O título remete a um jogo que Jessie e AN fazem. Eles acabam por dizer três coisas que um não sabe sobre o outro. As trocas de mensagens entre Jessie e AN e também com outros personagens deixa a leitura bastante dinâmica e leve.

O livro apesar de ser leve, não fica só no clichê. A história de Jessie passa a emoção de uma garota de apenas 16 anos se descobrindo enquanto a mãe não pode estar por perto, mas também pela sua busca por novos amigos que gostem de seu jeito e de ter boas notas que lhe abram portas para uma boa universidade. O livro tem a bagagem completa: emoção, amizade, descobertas e a aceitação de quem somos. Adorei que o ponto de vista tenha sido todo de Jessie. Ela é uma personagem que vale a pena conhecer. ;)

LIVRO "TRÊS COISA SOBRE VOCÊ" DA JULIE BUXBABAUM

Três Coisas Sobre Você é o primeiro young adult que a autora Julie Buxbaum escreve e sua iniciação não poderia ter sido melhor. Além de Três Coisas Sobre Você, a autora tem outros dois livros lançados aqui no Brasil pela editora Rocco: Depois de Você e O Oposto do Amor. E óbvio que quero conhecer mais livros da autora.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Livro "A Garota Perfeita" - Mary Kubica - Resenha



Quando bati o olho nesse livro pensei logo em um outro thriller, mas cada livro tem sua particularidade. Nunca se esqueçam disso leitores. Vamos dar uma olhada nessa resenha!

ENREDO DO LIVRO

Desde muito nova, Mia Dennett sempre foi uma moça independente. Nunca quis seguir a carreira de advocacia do pai James e da irmã Grace. Ela sempre foi a dinâmica da família e por isso sempre foi considerada a ovelha negra, a filha renegada e inconsequente. Eve, a mãe de Mia, apesar de fazer o possível para aplacar a ira do pai de Mia, nunca teve voz ativa. Submissa, quieta e maleável. Em algum ponto de sua vida Mia foi perdendo a mãe amorosa e atenciosa. Quando finalmente fez 18 anos, ela seguiu a própria vida, mas tendo contato com a família apenas ocasionalmente.

Agora prestes há completar 25 anos, professora de artes em uma escola para alunos que desistiram de estudar e precisam ter uma formação, Mia está feliz com sua atual condição de vida. Menos com a parte amorosa. Apesar de ser apenas um relacionamento casual, Mia se sente extremamente chateada quando Jason desmarca o encontro dois em uma noite. De novo. E em uma dessas noites tudo muda. Quando ela decide ser impulsiva e encerrar a noite com um homem desconhecido, as coisas saem do seu controle.


Colin Thatcher foi contratado para sequestrar Mia. Ele teria apenas que entregá-la no ponto de entrega para Dalmar e receber seu dinheiro e seguir a vida. Porém, de algum modo e em cima da hora, Colin desiste de entregá-la, no entanto não há como voltar atrás. Então, ele decide que os dois devem desaparecer e os leva para uma cabana abandonada ao norte de Minnesota.

“O lugar é completamente desolador, ninguém em centenas de quilômetros. Bem o que eu queria.” Página 78

Em contra partida ao sequestro, temos a preocupação de Eve com o desaparecimento da filha e como o detetive Gabe, o investigador do caso, está com o andamento do caso. Porém, o livro não fica só no período do sequestro. Temos a visão de uma Mia pós-resgate sem memória dos acontecimentos em sua estadia na cabana. Uma Mia totalmente diferente da mulher ativa e autoconfiante que ela era.

“Ela é minha filha, mas não é. Ela é Mia, porém não é. [...] Deu um pulo de quase um metro da cadeira quando liguei o triturador de lixo na noite anterior e, em seguida, retirou-se para seu quarto. Não a vimos por horas, e quando perguntei onde estivera, tudo o que conseguiu dizer foi não sei. A Mia que conheço não consegue ficar quieta durante todo esse tempo.” Página 30



NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Apesar do foco estar no sequestro de Mia, a personagem não tem voz ativa no livro. O livro intercala entre os pontos de vistas dos personagens Colin, Eve e Gabe. Mostrando o antes e o depois do desaparecimento de Mia. Isso nos dá a sensação de ser jogado de um lado para outro. Temos apenas pedaços dos acontecimentos e pouco aos poucos eles se juntam como retalhos para formar uma colcha muito bem intrincada. Essa intercalação deixou o livro interessante. Quanto à edição, o livro está bem caprichado e a capa é um toque não só estético, mas com muito significado. Xiiii...

O LIVRO NO GERAL

Em qualquer livro que faço a leitura, principalmente aqueles em que as datas são importantes para formar o contexto, gosto de estar por dentro da contagem dos dias. Um ponto que me incomodou muito foi a data do desaparecimento de Mia. Não sei se foi erro de tradução ou a autora mesmo errou a data na hora de sua escrita e acabou passando batido para os editores. Em um dado momento, é citado que Mia desapareceu em uma terça-feira e em outro momento foi falado de uma quinta-feira. Isso pode ser besteira para alguns, mas para mim é algo que deve ser levado em consideração de maneira igualmente importante como qualquer outro fator de escrita. Isso tira o mérito da história? Claro que não, mas não deixa de ser um ponto negativo.


Durante a leitura eu ficava montando cenários de como seria o final e de como ligar certos pontos que foram sendo inseridos durante a narrativa. Ao terminar a leitura fiquei um pouco chocada com uma revelação, mas ao mesmo tempo eu já sentia que algo assim poderia acontecer por conta de muitas teorias que se passaram em minha cabeça.

Mary Kubica monta a história de uma maneira extraordinária. Cada pedaço vai fazendo sentido e vamos descobrindo a relação entre o passado e o presente da narração. O livro não tem uma leitura agradável e fácil, e acredito que isso foi proposital para deixar o leitor conectado mesmo depois de terminar a leitura. Fãs do gênero de thriller irão curtir essa leitura. :D

Resenha "O Sedutor" - Vi Keeland

ENREDO DO LIVRO

O Sedutor já começa com Jax Knight tentando se desligar de tudo de ruim que seu pai, o senador Preston Knight, trouxe para sua família. Jax decide viajar para Nova York para fechar um negócio pessoalmente com os donos da rede Academia Ralley’s e assim ficar um pouco longe dos escândalos envolvendo seu ‘adorado’ pai. Mal sabia Jax que lá ele teria um encontro com a linda e doce Lily, dona de metade Academia Ralley’s.

Lily St. Claire é herdeira do famoso lutador ‘The Saint’. Depois da morte precoce de seu pai, Lily assume os negócios da família junto com Joe Ralley’s, o sócio e melhor amigo de seu pai. Joe decide que está na hora de se aposentar. Depois da morte de seu melhor amigo, ele vê que deve aproveitar melhor os próximos anos e decide vender sua parte dos negócios para investidores anônimos da empresa Investimentos Knight.

Lily e Jax acabam se encontrando bastante, já que Jax sempre foi fã de lutas e frequenta regularmente a academia em que Lily gerencia, além de estar sempre em contato com Joe para o fechamento da compra. O envolvimento de Lily e Jax começa com uma tensão sexual, mas também com muita cumplicidade entre eles. Antes de se tornarem algo mais, eles formam uma ligação de amizade encantadora. Porém, alguns obstáculos apareceram no caminho e os dois vão ter que decidir se vale a pena essa relação seguir adiante.


“Um leve sorriso em seu rosto me diz que ela está em outro lugar... um bom lugar. Aquele que deve ser sua fuga. Não consigo tirar os olhos dela enquanto ela estuda o desenho, seu sorriso crescendo cada vez mais quando levanta a cabeça para olhá-lo completo. Ela gosta do que vê no papel, quase tanto quanto gosto do que vejo à minha frente.” Página 13

Temos outro personagem que tem sua cota de importância, Canden, sobrinho de Joe. Esse é um lutador extremamente agressivo e possessivo. Não consegue aceitar que sua relação com Lily, no período em que essa estava desestabilizada pela morte do pai, acabou. Ele irá trazer muitos problemas para nossos protagonistas. Apesar do livro girar em torno de lutadores de MMA, a autora deixa bem claro sua visão sobre como os lutadores devem agir. Só por que você tem bastante força física, não significa que você deve usá-la levianamente com os outros.


Narração e Edição física

O livro é alternado, em primeira pessoa, pela visão de Jax e Lily. A edição está muito caprichada. Adoro a fonte que a Editora Charme usa em seus livros, deixando ainda um espaço entre os parágrafos. O material das folhas é excelente, mas o que me incomoda como sempre, seja em qualquer livro, é a capa soft touch. Não consigo me adaptar a esse tipo de material de capa. A imagem da capa chama bastante atenção. Quem não pararia para olhar O Sedutor nessa capa? *.*

“[...] mas esse home tem uma forma de me aquecer, mesmo quando estou ensopada, molhada e congelada. Um arrepio passa por mim quando meu peito desliza pelo dele.” Página 105

O LIVRO NO GERAL

Fazia um tempinho que eu não lia um romance hot com uma pegada tão gostosa. Geralmente as mocinhas fazem muito drama em quase todo o livro, mas Lily foi bem mais pé no chão quanto a isso. Para mim, isso deu um up na leitura e não fiquei morrendo de tédio com os dramas dela.

A relação entre Lily e Jax é muito fofa. Os dois fazem um jogo de sedução bastante gostoso de se ler e quando você percebe já está apaixonada por esse casal. Os momentos em que um roubava a comida do outro me fez ficar com um sorriso nos lábios. Lily e Jax tem uma cumplicidade ímpar.

A autora Vi Keeland me conquistou com esse livro. Tanto Jax quanto Lily me agradaram muito durante a leitura. Os dois formam um par perfeito. Quer uma leitura leve e quente? As românticas de plantão que adoram um livro hot devem ler essa trilogia com toda certeza. <3


O Sedutor é terceiro livro da trilogia MMA Fighter. Não tive a oportunidade de ler os dois livros anteriores, mas a Mar fez a resenha do primeiro livro da trilogia, O Destruidor de Corações (Resenha aqui). Os outros dois protagonistas da trilogia, Nico e Vince, tem sua ponta de participação aqui também. Para quem os amou nos livros anteriores pode matar um pouco da saudade. ;)
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016