Louca sua miga

sexta-feira, 6 de março de 2015

Resenha do livro e filme "A Culpa é das Estrelas"

Na minha cabeceira junto com outros livros perfeitos 

A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Gênero: Romance/ Drama 
Nº de páginas: 288
Editora: Intrínseca
Ano: 2012

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

"Acredito que o universo quer ser notado. Acho que o universo é, questionavelmente, tendencioso para a consciência, que premia a inteligência em parte porque gosta que sua elegância seja observada. E quem sou eu, vivendo no meio da história, para dizer ao universo que ele, ou a minha observação dele, é temporária?" 

Hazel Grace é uma garota divertida que incrivelmente não tem medo da morte pois ela sabe que mais cedo ou mais tarde vai embora para sempre e tudo por causa do Câncer. As únicas razões para ela não desistir de viver são seus pais e um remédio chamado Falanxifor que é um tipo de droga que deu certo para manter seus pulmões estáveis por um bom tempo. Se apaixonar no momento, para ela, estava fora de cogitação e é uma pena que o destino não concorde com ela quando o lindo Augustus Waters entra em sua vida. Augustus é um garoto mega divertido e meigo, o tipo de garoto que é impossível não se apaixonar. Eles irão descobrir que a vida é uma grande montanha russa que sobe mas as vezes desce. 

Clique em "Continue Lendo" para ler a resenha completa.

A história de amor mais clichê e linda que li em toda minha vida, uma história que supera Crepúsculo no ponto de vista emocional, eu sou muito fã de Crepúsculo porém não consegui chorar em nenhum livro. Então simplesmente veio A culpa é das estrelas e me fez chorar igual a um bebê. Esse livro é clichê porém um clichê totalmente diferente do qual estamos acostumados, de uma maneira incrível John Green consegue fazer um livro sensacional com humor, drama, romance e emoção. Os personagens são construídos com características comuns mas são tudo menos comuns no meu ponto de vista, são personagens marcantes e até mesmo os personagens secundários conseguem te fazer dar risadas e te envolverem em seus próprios dramas.

  

"Se ela estivesse melhor ou o senhor, mais doente, então as estrelas não estariam tão terrivelmente cruzadas, mas é da natureza das estrelas se cruzar, e nunca Shakespeare esteve tão equivocado como quando fez Cássio declarar: “A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas/ Mas de nós mesmos.”


Aqui vai um pouco mais sobre esse casal fofo:


Hazel Grace: 

"Dezesseis anos. Olhos verdes e pele clara. Leitora voraz, tem uma sensibilidade bastante própria, ideias afiadas e câncer de tireoide com metástase nos pulmões. Gosta de All Stars Chuck Taylors, tem um livro de cabeceira e sabe o que Magritte quis dizer com “Isso não é um cachimbo”. Está bem, viva o Falanxifor!"


"Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra."


Augustus Waters: 

"Dezessete anos, alto, magro. Sorriso cafajeste, andar idem. É bonito e sabe muito bem disso. Gosta de música, livros e games. Grande adepto das ressonâncias metafóricas e da direção segura, na medida do possível. Seu osteossarcoma está em remissão há mais de um ano. E ele não tem medo de ir atrás da felicidade."


“Você está tão ocupada sendo você mesma que não faz ideia do quão absolutamente sem igual você é.”


Esse é o tipo de livro que qualquer pessoa deve ler e não se preocupe se disserem que é modinha porque o lindo John Green fez um ótimo trabalho e eu fico até feliz que muitas pessoas tenham lido ele.



Classificação:


Resenha do filme

A Culpa é das Estrelas - Versão estendida 
Título Original: The Fault In Our Stars 
Dirigido por: Josh Boone
Com: Shailene Woodley, Ansel Elgot, Nat Wolff
Gênero: Drama, Romance
Duração: 125 min. versão de cinema/ 132 min. versão estendida
Ano: 2014

Sinopse do filme: Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Não recomendado para menores de 12 anos

Primeiramente preciso dizer que esse é o filme mais fiel ao livro que eu já assisti, as cenas, as frases, os personagens... são exatamente como deveriam ser. Além de termos lido um livro esplendido temos a alegria de poder ver ele na tela dos cinemas da mesma forma como lemos e sentir todos os sentimentos que sentimos ao lermos o livro. Nas duas vezes que assisti o filme nos cinemas eu chorei e quando comprei o dvd chorei assistindo novamente, é um filme simplesmente tão incrível como o livro que vale a pena ser assistido.

Capa do filme na versão estendida
O dvd que eu comprei é a versão estendida vendida pela Saraiva (vocês podem comprar aqui), contém apenas algumas pequenas cenas extras que ficaram de fora do filme e posso dizer que mesmo com esses cortes o filme ficou maravilhoso. Eu realmente não tenho nada a acrescentar ou retirar do filme e fico maravilhada ao ver como um filme pode mexer tanto comigo. Eu espero que assistam e vejam o quão maravilhoso é.

Confira abaixo algumas imagens e frases do filme.







"– Okay – falei.
– Okay – ele disse.

Eu ri e repeti:

– Okay.

Aí a linha ficou silenciosa, mas não completamente muda. Era quase como se ele estivesse no meu quarto comigo, mas de um jeito ainda melhor – como se eu não estivesse no meu quarto e ele, não no dele, mas, em vez disso, estivéssemos juntos numa invisível e tênue terceira dimensão até onde só podíamos ir pelo telefone.

– Okay – ele disse, depois do que pareceu ser uma eternidade. – Talvez okay venha a ser o nosso sempre.
– Okay – falei.
E foi o Augustus quem desligou."



Espero que tenham gostado do meu primeiro post amores!
Até a próxima.
Beijos

4 COMENTÁRIOS:

  1. Adorei o post. O que você disse sobre o livro é bem isso mesmo "a história de amor mais clichê e linda que li". O filme eu não gostei muito, acho que é porque tenho birrinha com os atores.
    beijos.
    http://lugaaraosol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Seu post ficou maravilhoso!!! Nossa, parabéns pela estreia.
    beijos.

    http://adoroumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ketlen, o filme também não me decepcionou em absolutamente nada. Eu chorei igual uma louca no final rsrs.
    Parabéns pelas resenhas! Ficaram muito boas!
    Bj bj.

    ResponderExcluir
  4. Ketlen, o filme também não me decepcionou em absolutamente nada. Eu chorei igual uma louca no final rsrs.
    Parabéns pelas resenhas! Ficaram muito boas!
    Bj bj.

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016