Louca sua miga

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Resenha do livro "Azul da Cor do Mar", de Marina Carvalho

Oii, gente, como vocês estão? Espero que bem.
Hoje vou falar sobre um livro que me surpreendeu muito: "Azul da Cor do Mar" da autora nacional Marina Carvalho. Venha conferir!
Título: Azul da Cor do Mar
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Gênero: Chick-Lit / Romance
Classificação:  
Muitas vezes que eu passei pela livraria, via esse livro, mas nunca me interessei por ele. Até que eu li uma resenha sobre, e na hora pensei: preciso desse livro, agora!
Mantive altas expectativas em relação a ele, e o melhor de tudo, foi que ele atendeu à todas. E, claro, sendo de uma autora nacional, só fez com que eu ficasse mais feliz com a minha escolha.

Há 10 anos Rafaela encontrou um garoto na praia de Iriri, onde sempre passava suas férias, na casa da avó. E desde esse dia, ele domina os seus pensamentos. Mas eles sequer trocaram uma palavra; ela apenas o ficou observando de longe, e notou que ele tinha os olhos de um azul maravilhoso e carregava uma mochila xadrez. E assim como ele veio, se foi, e Rafaela nunca mais viu o garoto da mochila xadrez.
"(...) melhor viver de uma ilusão e ser feliz do que encarar a feiúra da realidade e me estrepar." (pág. 214)
Dez anos depois, ela está prestes a se formar em jornalismo e consegue um estágio no melhor jornal do estado, o Folha de Minas. Mas ela não contava que o seu supervisor, Bernardo, seria um cara tão arrogante e nem um pouco fácil de se relacionar. E, como se não bastasse, seu estágio se resume a ficar na cola desse repórter investigativo, o seguindo para onde quer que fosse.
"Como o ser humano me decepciona às vezes! A palavra confiança está ficando cada vez mais rara, e isso é muito triste. Será que o tal 'amor verdadeiro' é agora um artigo em extinção?" (pág. 182)

Rafa pensa em desistir dessa oportunidade várias vezes, pois os primeiros dias com esse jornalista não estão sendo nada fáceis. Mas ela resolve ser persistente e, assim, ela e Bernardo vão levando os dias trocando farpas um com o outro. Com o passar do tempo, eles começam a ter um melhor relacionamento estagiária/supervisor, mas sem abrir mão dos diálogos sarcásticos e provocações.
"- Estou ficando maluca, não é? (...)
- Nada disso. Você está apaixonada por esse cara." (pág. 178)
Quando uma de suas amigas, Gisele, fica com Bernardo, Rafa enlouquece, dando como desculpa o fato de que isso pode afetar sua carreira com o jornal. Isso, junto com sua implicância crescente com ele faz com que suas amigas, Sofia e Alice, comecem a desconfiar que ela está se apaixonando. O que ela nega insistentemente... no começo!
"Foi durante aquele abraço que minha ficha caiu. (...) Até que eu tinha resistido bastante e me permitir enxergar. Contudo, naquele momento, eu soube: estava apaixonada" (pág. 192)
Mas e o garoto da mochila xadrez? Ele é o que a impede de ter um relacionamento amoroso com outro homem. Rafa, até hoje, escreve cartas ao garoto misterioso e por isso acaba se prendendo ao passado de forma intensa.



A história é uma combinação de drama, romance e diversão na medida certa. Gostei muito da construção dos personagens e do relacionamento entre eles. Arrisco, ainda, dizer que a obra mostra a importância de se desprender de um passado que pode prejudicar o futuro, e também de nunca desistir de um sonho, pois ele pode se concretizar quando você menos espera.
"Os seres humanos vivem dando prova de que o amor é passageiro, até mesmo inexistente. Conheço poucas pessoas que conseguem viver um grande amor, desses que duram e mantêm a chama acesa por muito tempo." (pág. 185)
O livro fala bastante da profissão do jornalista, sobre os pontos positivos e as dificuldades desse profissional, através de um ponto de vista atuante. Eu nunca tinha lido nada deste tipo, e gostei de conhecer mais a fundo um trabalho tão corriqueiro, mas ao mesmo tempo bastante complexo.

O único ponto negativo, na minha opinião, foi no final do livro, quando Bernardo toma algumas atitudes que não fazem o menor sentido e mostram o quanto ele é imaturo em relação a determinados assuntos. Mas ainda assim não foi o suficiente para me fazer classificar a obra com menos de 5 estrela, além de ser favorito.
"Sorri sem mostrar felicidade. Assim com existem choros de alegria, meu sorriso era de tristeza. São os paradoxos da vida." (pág. 308)
Fazia muito tempo que eu não virava a noite lendo, e, deliciosamente, foi o que aconteceu com Azul da Cor do Mar. Foi o primeiro que li da autora e foi uma surpresa muito agradável. Marina escreve de forma fluida e faz com que o leitor não veja o tempo passando enquanto lê. É uma narrativa muito gostosa de ser lida, mais que recomendada à todas as idades e gostos.
"Você deve estar se perguntando como chegamos a este ponto. (...) Eu me pergunto por que demoramos tanto a chegar a ele." (pág. 282)

3 COMENTÁRIOS:

  1. Adorei a resenha, Virgínia. Quero muito ler esse livro e sua resenha só fez essa vontade aumentar. *-*

    Bj, www.naomeentendamal.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Virgínia, tudo bem?

    Já tinha visto uma resenha negativa dessa obra, então confesso que achei que não iria gostar dela. Entretanto, sua resenha me deixou curiosa. Gostei da parte jornalística da trama, tenho muita curiosidade em saber mais a respeito dessa profissão. E quanto ao misterioso menino da bolsa xadrez, achei estranho a mocinha ser tão apegada a ele, então quero entender mais dessa ligação :)

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  3. Olá, meu nome é Fernanda e sou nova no ramo de blogueira, mas ajudaria muito se vocês visitassem o meu blog, já tem algumas resenhas. Eu sei que ele não está moderno e atualizado como o Livros e Bolinhos , o Garota e livros ou o Garota it, mas estou começando e gostaria que dessem sua opinião e crítica.
    muito Obrigado.
    ~Fray
    http://olivrofinal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016