Louca sua miga

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Resenha do livro "A Aposta" de Rachel Van Dyken


Oi, pessoal, tudo bem com vocês? Hoje eu trago a resenha de "A Aposta", primeiro livro da série "Aposta", da autora Rachel Van Dyken. Vamos conferir?
Título: A Aposta - Aposta vol. 1
Autora: Rachel Van Dyken
Editora: Suma de Letras
Ano: 2014
Gênero: Romance / New Adult
Classificação: 
Eu já tinha lido outro livro da autora, chamado "Ruin", que achei incrível. Por isso, quando vi que a Suma de Letras iria lançar este, fiquei muito interessada. Assim que ele foi disponibilizado nas livrarias, corri comprar o meu, mas só agora que eu consegui lê-lo. E, infelizmente, eu me decepcionei.

Kacey e os irmão Travis e Jake Titus, são amigos desde a infância, mas com o passar dos anos, foram se distanciando. Inesperadamente Jake reaparece com uma proposta um tanto louca para Kacey; fingir serem noivos durante o fim de semana. Isso porque, atualmente, ele vem se envolvendo em muitos escândalos com strippers, e a mídia sempre está por perto para não perder nada dessas histórias, afinal ele é o famoso, e mais novo, CEO da empresa Titus. E, claro, ele precisa manter as aparências; tanto para a mídia, quanto para a querida avó, que está doente.
"(...) e, bem, às vezes é mais fácil ser egoísta e cruel do que ser verdadeiro. Escolhi o caminho estúpido, esperando que tudo se apagasse." (pág. 261)
Depois de pensar em muitos prós e contras, Kacey resolve aceitar a proposta. Mas ela não esperava encontrar Travis na casa dos Titus no fim de semana. Aquele que sempre a atormentava quando eram crianças, e na maioria das vezes, a deixava chorando. Mas a maior surpresa foi ver que o Travis "Satã", como ela o chama, se transformou em um homem lindo, com um sorriso de abalar as estruturas. Os dois irmãos mexem demais com seus sentimentos, mas, claro, ela deve escolher apenas um deles.
"Vou me machucar de qualquer maneira, Travis. Só depende de a qual irmão vou dar essa oportunidade, não acha?" (pág. 108)
O título do livro se refere a uma aposta que os irmãos fizeram quando eram crianças: quem se casasse com Kacey ganharia um milhão de dólares do outro. Mas esse título não se encaixou muito bem na obra, na minha humilde opinião, pois o enredo não gira em torno da aposta em si. Ou seja, não fica claro, para o leitor, que o foco principal é determinar o ganhador dessa aposta; inclusive, vemos que enquanto enquanto um deles luta para conquistar a protagonista, o outro não faz nem questão de ser agradável, em termos de envolvimento.

Comecei a leitura totalmente crente de que adoraria, pois, ao ler a sinopse, imaginei que teria todos os pontos que eu adoro em romances: amigos de infância, triângulo amoro, apostas, propostas etc. Mas, a decepção foi bem grande e achei difícil encontrar um ponto positivo na história toda.
"Isso é muito ruim? Desejar que seja diferente só porque você não concorda com a pessoa que esse alguém se tornou?" (pág. 133)
O que mais me irritou incomodou foi a demora para o romance em si acontecer, e isso deixou a narrativa muito maçante e cansativa. Em diversos segmentos a autora leva o leitor a imaginar que, enfim, as coisas vão começar a se desenrolar, mas, mais uma vez, nada acontece. Inúmeras vezes eu tive vontade de abandonar a leitura por esse motivo. É o tipo de coisa que, particularmente, me incomoda demais.
"- Onde você esteve por toda minha vida? (...)
- Em casa (...) Em casa, esperando por você." (pág. 241)

Na minha concepção, a construção dos personagens principais deixou a desejar. Achei que houve momentos em que ficou muito evidente a imaturidade deles. O fato da protagonista levar muito tempo para tomar uma decisão entre os irmãos e concretizá-la, evidencia isto. Em contrapartida, temos uma personagem secundária que me ganhou logo de cara: a vovó Nadine. Ela é uma senhora extremamente inteligente e muito divertida. Valeu a leitura, principalmente pelos momentos com ela.
"Ás vezes, quando a vida fica difícil e as pessoas te deixam com raiva ou mesmo quando você está com medo, a melhor resposta é rir. Rir na cara do medo, na cara do que te assusta mais. É o único jeito de fazer você superar as coisas que te fazem chorar." (pág. 131)
Além disso, também encontrei erros de revisão que me deixaram extremamente irritadas, e no geral, é o tipo de coisa que eu não ligo muito. Fora isto, a diagramação do exemplar ficou boa, com uma capa agradável, folhas amareladas e letras de bom tamanho.

Enfim, achei A Aposta uma história sem graça e sem acontecimentos que chamam e/ou mantem a atenção do leitor. Particularmente, foi uma decepção. Não consegui compartilhar dos sentimentos dos personagens, por isso tudo me pareceu muito superficial. Simplesmente não consegui me convencer do que havia dentro da cabeça e coração deles. Até agora, ainda não decidi se vou ler as continuações, por receio de apresentarem a mesma linha de narrativa deste livro.
"É importante viver e não ficar tão presa ao passado. O passado é chamado de passado por um motivo. Se você está constantemente olhando para trás, seus olhos não veem a estrada à sua frente. Você não pode dirigir um carro desse jeito, então por que deveria viver a vida assim?" (pág 277)
Mas, é claro que essa é apenas a minha opinião. E, você, já leu? Deixe a sua nos comentários.

Beijocas!! :)



1 COMENTÁRIOS:

  1. Poxa Mar, eu tava apostando que Aposta (trocadilho infame AHEUAEHUA) fosse bom ;-;
    Mas mesmo assim vou tentar a leitura, qualquer coisa eu abandono KKKKKK

    ~nathália
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016