Louca sua miga

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Resenha do Livro "No Limite da Ousadia" por Katie McGarry

No Limite da Ousadia

"No Limite da Ousadia" é um New Adult escrito por Katie McGarry e publicado pelo selo Verus. A obra é spin-off de "No Limite da Atração" (Resenha) que conta a estória da amiga de Noah, protagonista do primeiro livro. O enredo dessa obra é um pouco diferente dos outros livros do mesmo gênero. Em geral, os New Adults contam estória de Bad Boys e meninas quietas com problemas diversos, seja em família, ou até mesmo psicológicos. Neste, ao contrário do Bad Boy, temos uma Bad Girl. Ao contrário da menina quieta com problemas diversos, temos um menino apaixonado por beisebol, loiro, com olhos da cor de mel e que acata todas as ordens de seus pais controladores.
Título: "No Limite da Atração"
Autora: Katie McGarry
Editora: Verus
Ano de Lançamento (Brasil): 2014
Gênero: Romance / Drama / New Adult
Classificação: 

Ainda falando sobre o enredo de "No Limite da Atração", a ideia é uma sacada muito boa para se diferenciar de outros livros. Além dos problemas de Beth, a protagonista, o mocinho Ryan, apesar de parecer ter uma vida mais do que perfeita, não tem nada de perfeição em sua vida. Seus pais estão casados por imagem e pressionam Mark, irmão de Ryan, a sair de casa. O motivo? Ele é gay! O pai de Ryan não o deixa fazer suas próprias escolhas, ele as faz pelos filhos. E quando eles não acatam... As consequências podem ser ruins. Além disso, parece que sua mãe está convicta de que ele tem que voltar para uma ex-namorada que ele não suporta. Tudo para passar a imagem de que sua família é perfeita e eles têm tudo sob controle, quando não tem nada! Achei o enredo interessante, mas, quando fui lendo as páginas, senti que precisava de algo para ser mais do que "interessante", para ser realmente inesquecível. Eh! Eu tenho essa mania achar que todo autor tem que procurar escrever um livro que seja inesquecível para seu leitor.

É doloroso ouvir o barulho da minha família se desmanchando. Não existe nenhum som pior na face da Terra. (Pág.81)
Clique em "Continue Lendo" para ler a resenha!
A narração de Katie McGarry é bem gostosa de acompanhar. Tirando algumas cenas previsíveis ou difíceis de acreditar, ela pode ser considerada uma ótima autora! Eu demorei a me atrair pela estória, mas quando me envolvi, as páginas passaram correndo. Ela não escreve palavras difíceis, pelo menos a tradução para o português brasileiro não possui nenhuma palavra que precisei procurar em dicionários, o que facilita, e muito!, na leitura. Katie soube intercalar a estória entre os pontos de vistas dos dois personagens sem confundir o leitor e isso é um ponto positivo para sua escrita!

Não sou uma princesa, mas o Ryan é um cavaleiro. (Pág.197)

Quanto aos personagens, infelizmente, não me envolvi muito com nenhum dos dois. Li comentários na blogosfera de que o Ryan era um Travis romântico e carinhoso (do livro "Belo Desastre")! Entendi a comparação entre Ryan e Travis pensando que os dois são apaixonantes na mesma altura, afinal, eles não têm nada a vê: um é Bad Boy e outro é um menino fofo. E acredito que ninguém vai superar o Travis! Enfim, assim que finalizei o livro eu pensei "Gente! Exageraram e muito!", o Ryan é bonitinho sim, pelo menos na minha imaginação, fofo e carinhoso, mas ele é um menino. Um menino que estava desabrochando e tomando suas próprias decisões pela primeira vez. Um mocinho da estória, apaixonante sim, mas não inesquecível! Não comparem o Ryan com o Travis, por favor! Resumindo, o Ryan é um menino fofo.

Viver é como estar acorrentada no fundo de uma poça rasa com os olhos abertos e sem ar. Vejo imagens distorcidas de felicidade e luz, até ouço risos abafados, mas tudo está fora do meu alcance enquanto fico deitada numa agonia sufocante. (Pág. 187)

Sobre a Beth... Eu não me envolvi simplesmente porque... Ela não tem nada a ver comigo! Na verdade até tem algumas poucas coisas, mas para eu me envolver, tenho que me identificar com a personagem, pensar algumas coisas parecidas ou sentir algo semelhante. A única coisa que eu senti de parecido foi o sentimento de ter que tomar conta de tudo e ser responsável porque em sua família as coisas não andavam bem. Na verdade, andavam péssimas! Se não catastróficas! Enfim... Eu me tomo como responsável em muitas situações perante a minha família e esse foi o único ponto que me identifiquei com ela. Ah! Tem mais uma coisa, eu tinha medo de confiar nas pessoas e gostar delas! Ainda tenho! Mas diminuiu! Taí, agora eu acho que me identifiquei com a menina! Mas não me envolvi tanto quanto em outros livros!


Quanto ao livro físico... a Verus caprichou ! Boa qualidade, capa atraente, nenhum erro de digitação e bons acabamentos! Continuem nessa linha

De forma geral, o livro é uma ótima leitura! Como eu disse, acredito que a autora poderia ter encaixado coisas que o tornasse mais especial, que surpreendesse de verdade! Um final talvez marcante, ou pelo menos não previsível. Ou algumas reflexões profundas sobre a vida... Sei lá! Qualquer coisa que o tornasse mais diferente dos outros, sem ser o enredo inverso dos demais. Mas, de qualquer forma, valeu a pena!

Eu só me pergunto uma coisa... E o Isaiah? (Se você leu, você me entendeu!)

4 COMENTÁRIOS:

  1. Oi!
    Eu li no limite da atração e gostei, mas também não achei nada de muito especial... Tenho vontade de ler esse também, mas estava esperando por uma história bem envolvente e diferente por causa da protagonista...
    Beijos
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Mar, tudo bem?

    Esse tipo de livro não me agrada. Eu acho alguns pontos ate legais e tudo mais, mas em geral, não é algo que eu sinta prazer em ler. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É preciso ler o primeiro livro para entender o Spin-Off?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beatriz, é Spin-Off! Dá pra ler fora da ordem <3

      Excluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016