Louca sua miga

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Resenha do livro "Paixão sem Limites"

Paixão Sem Limites
Resenha: Paixão sem limites
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas: 184
Ano: 2013 (Brasil)
Classificação 
Com uma pegada sexy, “Paixão sem limites” conta a estória de Blaire, uma menina sensibilizada pela morte da irmã gêmea e da recente perda da mãe. Após ser deixada pelas duas pessoas que mais admirava e amava, a garota procura o pai que a abandonou no momento mais difícil de sua vida. E ele, agora, tem uma nova família. E Blaire não pertence a ela. Ela é só uma intrusa que não é benvinda. A menina, então, conhece Rush, filho da sua madrasta. Da mulher que roubou seu pai de sua família. Mas ela não imagina que Rush conhece mais seu passado do que ela mesma.

O amor não basta quando a nossa alma está em pedaços. (Pág.182, Parágrafo.16)
Clique em "Continue Lendo" para acessar à resenha.

 “Paixão sem limites” é um new adult não muito diferente dos outros. Eu, antes de ler a obra, tive acesso a resenhas de blogs literários que diziam que o livro tinha muita emoção, que o coração do leitor devia estar preparado para ler. E digo: me preparei até demais. Vou dizer que criei uma expectativa bem grande por isso, imaginei um livro ao estilo “Métrica” de Colleen Hoover. Pensei que iria derramar centenas de lágrimas e dar soluços compulsórios. Mas não. A obra realmente tem bastante emoção e o leitor acaba sensibilizado pelos fatos. Mas não tanto. Não tanto quanto “Métrica”.

Como consolar a sua dor quando a minha era um buraco imenso, grande o suficiente para comportar nós dois. (Pág.179, Parágrafo.11)

A narrativa é fluente e de fácil leitura. Eu diria que “Paixão sem Limites” não foi uma leitura que marcou minha vida, mas é um ótimo passatempo. Aliás, o enredo se baseia naquele velho clichê mega conhecido e encantador: um amor proibido entre dois jovens e um galã que fica com todas, mas, uma hora se apaixona pela protagonista e muda sua personalidade “galinha” para “romântico apaixonado”. A partir daí, o galã coloca a mocinha em um pedestal como se ela fosse a rainha de sua vida, algo puro e começa a protegê-la como se o mundo fosse ruim demais para ela, para uma doce e ingênua menina. Isso sempre encanta os corações femininos. Mas não é original. Na-na-ni-na-não. Não há nada de surpreendente nisso.

Era isso que mais me assustava: não ser capaz de seguir em frente. (Pág.117, Parágrafo.9)

 Além do clichê, Abbi apostou numa pegada dramática de problemas familiares. Apesar de superficial, deu um toque especial na estória. Talvez seja este toque que tenha diferenciado um pouquinho “Paixão sem Limites” de outros new adults. Geralmente, os livros do gênero narram sempre as mesmas problemáticas: de timidez, de drogas, de lutas, de bebidas... Mas a parte familiar sempre é pouco vista nos N.A. Acredito que por isso “Paixão sem limites” é uma leitura que vale a pena ser lida. Não é só romance. É um romance com uma pitada bem leve de problemas familiares. Não é tão emocionante como “Métrica”, mas eu diria que está chegando lá.

Três anos atrás, quando a minha mãe ficou doente, descobri que, desde que nunca me esquecesse de quem eu era, eu ficaria bem. (Pág.135, Parágrafo.4)

6 COMENTÁRIOS:

  1. Acho que vou deixar essa leitura passar, achava que se tratava de uma história diferente mas pelo visto é bem clichê. Adorei a resenha!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
  2. Já li esse livro e achei ele totalmente fora da realidade. Não estou empolgada pra continuar a série.

    ResponderExcluir
  3. Tá ai um livro que eu tinha expectativas altas e no fim, me decepcionei bastante. A narrativa da Abby não tem muita profundidade e quando o livro começa a ficar realmente bom, ela vai e joga um final horrível daquele!

    Robs - http://www.perdidoempalavras.com/

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016