Louca sua miga

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Resenha do filme "A Estranha Vida de Timothy Green"

Antes de iniciar a resenha de hoje, quero esclarecer algumas questões e falar sobre minha ausência. Óbvio que não pretendo abandonar meu "Imaginayre". Afinal, ele que estava ao meu lado quando ninguém estava. Pode parecer infantil ou maluquice, mas um blog faz a diferença na vida de determinadas pessoas. E aqueles comentários colorem a vida do blogueiro. Mas, como vocês que me acompanham sabem, minha vida está um rebuliço. Peço desculpas pela desatualização do blog. No entanto, prometo, sem cruzar os dedos, que o conteúdo da página será mais amplo e mais atualizado. Não abandonarei uma das coisas que mais me faz bem. Agora podemos comentar sobre "A Estranha vida de Timothy Green".
Título: A Estranha Vida de Timothy Green
Gênero: Aventura
Duração: 105 min.
Ano: 2012
Classificação: 
Um casal que não pode ter filho, desenhos enterrados no quintal, imaginação, criança, filho, surge. Você deve estar pensando "Que resenha mais maluca!". Pois é, mas assim como o filme "A Estranha vida de Timothy Green", não pretendemos dar respostas para nada. Só lhe convidar a assistir uma trama interessante, comovente, emocionante.
Um filme repleto de emoções. Essa pequena frase resumiria toda a resenha que está por vir. "A Estranha vida de Timothy Green" não traz nada de muito novo ou descolado. A trama se aproveita do lado emocional do telespectador e o comove com fatos, digamos, interessantes e irreais..

A sensação que tive ao me deparar com o título do filme, foi me lembrar daquele tal de "O Curioso caso de Bejamin Button". Mas não, não tem nada a ver. O que acontece na trama, basicamente, é o surgimento de uma criança misteriosa que serviria de filho para um casal estéreo. A criança aparece em uma madrugada após seus "pais" enterrarem uma caixa contendo folhas com características que sonharam para seu filho legítimo. Os dois não imaginariam o que estava para acontecer, eles só esboçaram alheiamente seu filho ideal. Mas, a criança tinha características estranhas... Além de ter surgido da terra e ter "nascido" já com uma idade elevada, ela tinha folhas nas pernas que não era possível retirar.

O filme não se apresenta como uma trama que apresenta soluções. Ele utiliza esse enredo para comoção, e não explicação. Por isso, é totalmente emocionante e irreal.
Mas isso não faz o enredo ser menos interessante. As dificuldades com que os novos pais tiveram para criar essa criança, dentro de uma sociedade resistente a diferenças, são lições de vida e faz com que o filme seja emoção pura.
Apaixonei-me e quebrei meu preconceito contra filmes da Disney.

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016