Louca sua miga

domingo, 21 de abril de 2013

Resenha do Filme "Pearl Harbor"

Sinopse: Sete de dezembro de 1941. Os japoneses atacam de surpresa as forças armadas americanas em Pearl Harbor e os Estados Unidos entram na guerra. O filme focaliza o impacto devastador da guerra em dois jovens pilotos e uma bela enfermeira. Os dois jovens são Rafe MacCawley (Ben Aflleck) e Danny Walker (Josh Hartnett), que cresceram como irmãos e aprenderam a voar fazendo a pulverização de plantações. Agora ambos tornaram-se pilotos da Força Aérea dos Estados Unidos e vão para a base de Pearl Harbor. E se apaixonam pela mesma mulher, a enfermeira Evelyn (Kate Beckinsale). Um épico de patriotismo americano, guerra e paixão. Uma superprodução de U$ 135 milhões.
Título: Pearl Harbor
Ano: 2011
Gênero: Drama
Duração: 183 min.
Classificação: 
"Pearl Harbor" não é um filme recém-lançado, nem velho. É o tipo de romance que você assiste e  leva para a vida inteira, aquele que nunca mais esquecemos. Aquele simplesmente atemporal, o que vai contar histórias durante muito tempo e vai ser assistido com uma atemporalidade incrível. É aquele tipo que guardamos no fundo do inconsciente suas personagens, sua estória e os momentos em que soltamos lágrimas. Escrevo isso tudo, mas essa gama de letras poderiam ser resumidas em uma pequena quantidade, sem alteração de sentido: O filme é simplesmente Inesquecível.
Clique em "Mais Informações" e tenha acesso à continuação dessa postagem.


A trama usa um fato verídico, ataque japonês a "Pearl Harbor"  durante a Segunda Grande Guerra, ou como mais é mais conhecida, Segunda Guerra Mundial, para desenvolver uma estória, fictícia, dramática e envolvente de um triângulo amoroso inesquecível, como citado anteriormente, e apaixonante.

O filme teria tudo para ser clichê. Digo, o romance criado, o triângulo amoroso, as personagens estereotipadas, o clichê da "mocinha dividida entre dois galãs bonitos e honrados que brigam pelo amor dela", tudo isso contribuía para o filme ser algo previsível, e a partir daí, ser o tipo de película chata de se assistir. Pelo menos, pros que procuram algo diferente, ou talvez, que apenas saia da mesmice saturada no cenário de Hollywood. 

No entanto, esse clichê se torna lindo e diferente, e até mesmo inusitado, no cenário da Segunda Guerra Mundial. Isso porque, a mistura de um fato verídico com algo que vemos relativamente só em filmes, aqueles casos de "Cena de Cinema" ou "Cena de Novela", gerou um resultado brilhante. É como se misturasse algo clichê e previsível à nossa realidade, a algo que foi verídico e chocou o mundo inteiro. Dentro dessa perspectiva, da mistura de realidade e idealidade, o filme se tornou um dos que mais entrou para a lista de favoritos, principalmente do sexo feminino em geral. Conquistou gama de mulheres, e até mesmo homens, que foram atraídos pelo cenário de guerra.

Para dizer a verdade, a análise do filme foi feita gradativamente, já que assisti ao mesmo, no mínimo, umas oito vezes. Como disse, a película é algo brilhante, é um romance que você acaba acreditando que existiu, mesmo sendo tão estereotipado. Assistiria mais e choraria todas as vezes, com certeza. Infelizmente não dou cinco estrelas, que é o total na avaliação do nosso blog, pois achei a "facetagem" escancarada no filme. Desculpem-me pelo neologismo. Não entendeu? Vou explicar...

O filme foi produzido pelo tão famoso comércio estadunidense, Hollywood. E obviamente, toda a trama trataria os Eua  como vítima. Porém, essa vitimização foi tão escancarada, tão forçada e notada por quaisquer olhos desatentos, que tornou o filme, relativamente, pesado.
A estória central era cortada, por exemplo, com cenas de crianças americanas correndo pelos jardins, enquanto aviões japoneses passavam carregados de bombas pronto para matá-las. Percebeu o sensacionalismo voltado para a vitimização dos Eua?

Está certo que o sensacionalismo em um filme destes tem que estar presente; E para isso, o roteirista e companhia necessitam de criar uma realidade em que persista o sentimento maniqueísta, ou talvez, apenas criar um sensacionalismo para tornar o filme emocionante, tocante. Mas, esse sensacionalismo, digamos, foi direcionado para um lado: a vitimização estadunidense. Foram poucas as vezes que percebi os Eua como vilões, ou então, apenas mostrando sua política real. Não é possível que a política dessa potência seja tão... Ingênua e bondosa. Está certo, é um filme. Mas, você tem que concordar que isso aqui, é uma resenha. Opinativa! Como disse, mostravam crianças sim, americanas. A catástrofe provocada na base de Pearl Habor após o ataque e o sofrimento do povo americano com a tragédia. E esse foi o foco do filme. Não estou condenando este foco ou então o direcionamento dele, mas sim, seu exagero e sensacionalismo carregado.
Mas... É só a opinião de uma simples brasileira do interior com o potencial de analisar e escrever o que observou, e talvez, Quem Sabe? , de retirar os "tapa-olhos" de algumas pessoas que leem o que a "menina do interior" escreve.

5 COMENTÁRIOS:

  1. Assistir a este filme a muito tempo atras com algumas amigas, mas me lembro de ter gostado, gostei do que vc falou, que apesar de poder se clichê (romance e bla bla bla) o cenário inusitado da segunda guerra mundial, geral algo real.Alem do fato de colocarem bastante os EUA como "as vitimas", mas o que esperar de um filme americano? rsrsr gostei das suas opiniões flor.

    Também chorei na minha primeira vez que assisti este filme, acho que vou dar uma olhadinha nele de novo, me chamou atençaa ver vc escrevendo sobre ele. Bjs

    http://minhaestanteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sinto muito querida,me encantei pelo seu jeito de escrever sua resenha "Critica" mas ñ concordo com o que vc disse dos Estados Unidos. Ao começar a ler seu texto me encantei pelo jeito que vc descreve e sua visao vai alem do que eu vi naquele filme,mas ñ concordo com o que vc diz sobre que o filme quis passar que os EUA seriam os viloes,mas pelo meu ponto de vista o Diretor quis mostrar os fatos que ocorreu na guerra que o Japao fez acontecer.Por mim tinha que ter essa "crianças" sim, pq no acontecimeto real ñ foi só pessoas do exercitos mais sim pessoas que ñ tinha nda a ver com o que estava acontecendo,mas infelizmente elas morreram sem saber o real motivo. Nao estou aqui para criticar seu texto mas para impor o verdadeiro acontecimento real que os EUA passou.E sim eles ñ tinha que esconder nada,e na parte do triagulo amoroso,ñ falo nda pq em meios de crises sempre vai aparecer um amor...Aqui quem fala é uma menina de 13 anos que deseja abrir os olhos das pessoas mas com um toque da verdade.Bjus fike com Deus <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a visão norte americana do filme. Procure assistir a visão japonesa antes de falar tanta bobagem, criança.

      Excluir
  3. Esse um maravilhoso filme, eu adoro o trabalho de Kate Beckinsale. Que bom trabalho, eu a vi em Anjos da Noite - Guerras de Sangue, é umo dos grandes filmes sobre vampiros, estava radiante e espetacular, recomendo que a vejam . É uma historia cativante que nos mantêm presos no sofá. Eu adorei.

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016