Louca sua miga

quarta-feira, 6 de março de 2013

Resenha do filme "Olhos Azuis"

Olhos AzuisSinopse: Marshall (David Rasche) é o chefe do Departamento de Imigração do aeroporto JFK, nos Estados Unidos. Ele está prestes a se aposentar e decide começar a comemorar no último dia de trabalho, juntamente com seus colegas Sandra (Erica Gimpel) e Bob (Frank Grillo). Marshall começa a beber e resolve se divertir com um grupo de imigrantes, complicando sua entrada no país apenas por diversão. Entre eles está Nonato (Irandhir Santos), seu alvo predileto, que faz com que ele viaje ao Brasil. No caminho ele conhece Bia (Cristina Lago), uma prostituta que o ajuda em sua busca.
Apertando incasavelmente o botão de mudança de Canais da Tv à Cabo, encontrei algo brasileiro to Telecine Cult, "Olhos Azuis". Já o tinha visto de relance outras vezes mas nunca parei pra assistir por completo. Apesar de sempre ter despertado curiosidade. Por sorte dessa vez o peguei no início, e fui até o final animada. Um filme que não parece brasileiro de tão comovente, chocante e esperto. Que relata a frieza do preconceito contra países subdesenvolvidos e seus moradores. Conheça "Olhos Azuis". Encantador...
Clique em "Mais Informações" e continue a leitura dessa postagem.

Título: Olhos Azuis
Ano: 2009
Duração: 1h 45min
Gênero: Drama
Nacionalidade: Brasil
Classificação: 


Tentarei ser o mais breve o possível para descrever o que senti quando vi cada cena da trama "Olhos Azuis". A estória de um homem que trabalha em um dos Departamentos de Imigração dos Estados Unidos se confronta com a de dezenas, ou até então centenas, de trabalhadores que buscam a glória, o dinheiro e uma vida melhor em terras desconhecidas. O trabalho desse primeiro homem, Marshall, é impedir a entrada de pessoas que prejudiquem a vida dos americanos, que cometam crimes, atentados terroristas e coisas relacionadas. Entretanto, Marshall ultrapassa os limites das leis e leva em consideração seus valores em seu trabalho. Ele não aceita que um estrangeiro trabalhe em solo americano e receba mais que um originário dos Estados Unidos. E isso o faz ser cruel com quem entra na sala de Imigração e alega seu interesse em ingressar nos EUA, a Terra das Oportunidades.

 O filme desenrola em duas realidades diferentes, o passado e o presente. Marshall, depois de perceber o erro que cometeu com um dos imigrantes, decide se dirigir ao Brasil, terra natal de Nonato, o respectivo imigrante, para ter a sua consciência limpa. Com a ajuda da brasileira Bia, ele vasculha o território brasileiro, sem normas, sem Departamentos de Imigração, sem regras e com, muita, pobreza. Essa sequência de acontecimentos de desenrola no presente. Enquanto isso, flashes do passado de Marshall explica o motivo dessa viagem ao Brasil e de sua consciência pesada. Nesses flashes, além do próprio Marshall, aparecem seus amigos de trabalho  e os imigrantes que são submetidos a sua supervisão. Aparecem também os malfeitos com estes que querem entrar nos EUA.

 A trama é realmente ótima, realista, e faz qualquer brasileiro pensar sete vezes antes de embarcar para essa terra desconhecida. O jeito como um estadunidense trata um estrangeiro latino foi detalhado no filme de forma tão convincente, que eu me fiz prometer enquanto eu assistia que nunca iria pensar em viajar para o país Azul, vermelho e branco. É verdade.

A trama foi perfeitamente criada. As duas realidades se intercalando foi uma tacada de sucesso para o telespectador entender tudo o que estava acontecendo, sem spoilers. Sobretudo, achei o final vago. O filme foi criado com uma raça incrível mas não fechou com a mesma. As motivações de Marshall para procurar algo no Brasil foram vagas, como li em um site de críticas na Internet e concordei assim que o li. O final deixou essa motivação além de vaga, fraca. No entanto, o decorrer do filme vale cada segundo "perdido" para assistir, mesmo com um final que não corresposta ao mesmo.

6 COMENTÁRIOS:

  1. Sua resenha demonstra um filme bom, porém eu não me senti atraída a assistir. Talvez porque não curta filmes desse gênero, mas gostei da resenha!

    Beijos.
    Páginas na Estante
    @pginasnaestante

    ResponderExcluir
  2. Mar, adoro ver resenhas de filmes brasileiros. Muito bacana que haja esse tipo de incentivo para que outras pessoas conheçam. Eu, por exemplo, nunca tinha ouvido falar em "Olhos Azuis" e, apesar das observações que você fez ao final da resenha, tudo no filme me atraiu positivamente, desde o título dele, aliás.
    A Imigração para os EUA é realmente um tema complicado e polêmico. São milhares de sonhos e uma fiscalização quase que desumana visando manter as fronteiras do país.
    Ótima resenha!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Diferente do arrependimento que é uma via de mão dupla, o remorso joga a pessoa em um beco sem saída. É o que vemos acontecer com o policial da aimigração americana. Ótimo filme.

    ResponderExcluir
  5. :) Oii Mar, primeira vez no seu blog...gostei de cara, ainda mais que vi q vc tem uma recaída pelo Zachary Lavi.. somos duas kkkkk

    ResponderExcluir
  6. Acabei de assistir o filme. Vivi como imigrante ilegal nos EUA por 8 anos, sei bem como é essa realidade. Nunca sofri maus tratos lá mas fiquei profundamente triste e chocada e com raiva ao ver nesse filme como os americanos humilham nós latinos todo santo dia porque queremos entrar no país deles. Se acham superiores, bando de ignorantes. O que mais me revolta é ver como é fácil para eles entrarem no Brasil e como nós otários e idiotas recebemos americanos como se fossem celebridades, aqui recebem sempre tratamento VIP, tem brasileiro que até "baba" quando vê um americano.
    Somos todos do continente americano! Brasil devia tratar imigrante americano com a mesma severidade que eles tratam a gente.
    ÓTIMO filme! Triste, chocante, muito realista. Estão de parabêns por esse trabalho!!

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016