Louca sua miga

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Livro: Destino - Ally Condie

Olá meus Imaginários.
Finalmente a resenha do livro "Destino" está escrita e postada aqui no "Imaginayre". Leiam, se divirtam e não esqueçam de deixar sua marquinha nos comentários!!

Livro: Destino
Autora: Ally Condie
Editora: Suma de Letras
Páginas: 238
Origem: Comprado
Classificação:
Sinopse:
Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo

RESENHA:
(Não há Spoiler)
Destino é o primeiro volume de uma série escrita por uma ex-professora de Ensino Médio. O livro , basicamente, relata uma nova sociedade. Futurística. Em que os seres que a compõem não têm controle de suas vidas, não têm escolhas .
Suas vidas são regidas e classificadas pela sociedade. O indivíduo não escolhe com quem vai viver sua vida, nem quantos filhos poderá ter, muito menos o que comer. As porções de alimentos são devidamente analisadas e enviadas às casas referentes . Não há possibilidade de dividir, nem comidas e nem pertences. Você terá sua data de nascimento estipulada, e também a da sua morte. Você não terá o dom da escrita , e nem conhecerá poemas além dos que a Sociedade quer que você leia. Tudo para manter a perfeição de uma sociedade antes nunca vista. A igualdade reina entre os seres. Não há posse de artefatos e nem nada que lembre o passado. O importante , aqui e agora, é o futuro.
Imersa nessa sociedade autoritária, está a doce Cássia, que durante o livro conhece a rebeldia que estava dentro de si o tempo inteiro , mas a Sociedade já tinha previsto isso. A sociedade nunca erra. A sociedade sempre tem o controle de tudo. Sempre sabe de tudo. E prevê tudo.
Cássia espera ansiosamente pelo "Baquete do Par". O banquete que lhe mostrará seu par perfeito. O homem com quem terá que compartilhar todos os seus dias, alegrias e uma casa que a Sociedade disponibilizará. Seus sonhos, os que a Sociedade a manda ter.
Chegado o dia de seu Banquete, uma coisa até então impossível acontece. Cássia tem como seu par perfeito alguém conhecido. Alguém próximo demais a ela. O seu melhor amigo, Xander. Entre olhares questionadores e surpresos Cassia acostuma a ter seu par perfeito uma pessoa que cresceu junto com ela. Alguém que já sabe sobre seus segredos, suas manias. Está tudo perfeito, como a Sociedade lhe garantiu desde o seu nascimento.
Cassia então decide usar o seu terminal e seu micro-cartão que lhe entregam para conhecer, ainda mais, o seu par. Mas inesperadamente o rosto que ali aparece não é de Xander, e sim de Ky. Um garoto até então despercebido. Uma aberração da sociedade. Com quem ela nunca poderia viver sua vida. Mas... Cassia se aproxima de Ky. E percebe a doçura dentro dos olhos negros deste menino encantador. Então entre os dois se inicia uma paixão entre a Colina e suas atividades juntos.
Mas... a Sociedade errou? Pode Cassia ter dois pares perfeitos? E se não puder... Com quem ela passará o resto de sua vida? Mas ela não tem escolha, a Sociedade lhe impõe o que deve ser feito. Mas Cassia não quer "entrar docemente na boa noite " . Ela quer escolher . Ela tem o direito de escolher, não tem? Vale largar toda a tal segurança pelo direito de escolha?
Um livro incrível que oferece ao leitor a vontade de escolha ou melhor, o valor de nossas escolhas. Também reflete como seria ruim se não tivéssemos tantos problemas para se opinar, para ter de resolver.
O livro toma como partida de reflexão, ou talvez apenas acalenta , como uma moral na estória, os pensamentos, as ascensões fáceis e o recuo ao protestar . Todos estes características dos indivíduos dessa sociedade que força uma igualdade perfeita.
Ally Condie escreve o livro suavemente, mantendo uma leitura fácil e tranquila.
A leitura deste é bem leve , não há super segredos e nem nada que faça o leitor roer as unhas de nervoso. Apenas faz desfrutar e refletir.

CRÍTICAS :
(recomendada para quem já leu o livro em destaque)
Cassia descreve os "Funcionários" como pessoas severas , aliadas à sociedade de tal forma que obedeçam fielmente as regras impelidas pela mesma. A imagem destes, além da severidade e da crueldade , é criada através do sentimento de passar por cima de tudo pelo "bem" do valor coletivo. Entretanto, os pais de Cassia são iguais em sua profissão. São Funcionários. E ela os detalha com suavidade e leveza, mesmo em sua maneira de agir no trabalho. Sendo contraste das críticas aos Funcionários em geral.
Outro ponto a se tocar é que algumas limitações não tem fundamento. Como por exemplo, a maneira com que algumas poucas pessoas possuem ,ainda, o dom de escrever e a habilidade de desenho. Já que isso era proibido. E também , antes , a sociedade ofertava aulas de desenhos (relatado no livro) e essa habilidade foi extinta pela mesma. Mas... como?
Talvez, por se tratar de uma série, haja explicações nos próximos volumes.
Espero.


QUOTES:
(Pequenas partes do Livro em Destaque)

É estranho como nos agarramos a pedaços do passado enquanto aguardamos por nossos futuros.

Como podemos apreciar qualquer coisa por completo quando somos sobrecarregados por coisas demais?

Eu me pergunto se a morte sempre tem um gosto tão bom?

Só quando não me prendo a nada eu consigo ser a melhor, só então posso ser o que esperam que eu seja.

[...] e me pergunto se um dia terei força para guardar alguma coisa . [...] ou se vou sempre ser aquela que destrói.

Eu acredito em você - diz ele , a voz baixa e quase reverente. - E isso é mais fé do que eu jamais imaginei que fosse ter.

Pois de um jeito ou de outro, não importa a vida que eu construir, ela precisa ser erguida sobre a verdade.

Ou seja, a gente come para morrer.

Porque é o que os Funcionários daqui desejam: Trabalhadores que trabalhem, mas não pensem.

14 COMENTÁRIOS:

  1. Oi Mar!
    Eu, sinceramente, não gostei do livro.
    Achei totalmente sem graça e sem nexo.
    A história para mim foi 'sem sal' e a leitura foi lenta porque o livro não me encantou.
    Gostei da resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa...parece interessante o livro...a capa é fofa...ela foi sua professora?

    Achei legal e gostei da sua resenha!!!

    Aproveito para convidá-la para participar da Promoção Cultural que está rolando lá no blog. Venha nos dar uma força e participe conosco!

    http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/2012/02/promocao-cultural-amazonia-um-caminho.html

    ResponderExcluir
  3. Òtima resenha! Eu ouvi falar bastante desse livro quando foi lançado, houve muitas diferenças nas opiniões, teve pessoas que amaram o livro e outras não gostaram tanto assim. Ainda quero lê-lo, acho a capa linda e a história parece ser boa (:

    Bj;*
    Naty.

    ResponderExcluir
  4. Achei esse livro um tanto que fraco , faltou algo sabe... espero que no dois a autora explore mais !

    ResponderExcluir
  5. Não gostei da sinopse! E pelo visto nem você! rsrs

    Acabei de postar! Faz uma visita? http://olhosleem.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Parece um livro bom para ler nas horas vagas.Gostei da sua resenha e também amei o blog. Já estou te seguindo.
    Te espero lá no blog.
    www.pausaparaumcafe.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá :)
    Eu curti sua resenha mas sabe não é um dos livros que costumo ler >.<

    Beijos e tudo de bom

    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  8. Quando lançou eu queria muito ler, mais agora é um livro que não tenho pressa em comprar, quando eu tiver oportunidade eu leio =)

    ResponderExcluir
  9. Poxa Mar, eu tenho em inúmeras promoções esse livro em alguns sites, e nada de ganhá-lo ...rsrsrs
    Quero muito ler, e foi muito legal sua resenha não ter spoiler, pois assim pude l~e-la despreocupada. Aliás, adoro suas resenhas, e as críticas que sempre faz após.Tá show viu?
    Beijinhos,Viviane.

    Se der passa lá no Razão, tem resenha tb *.*


    http://vivianeblood.blogspot.com/2012/02/resenha-um-mundo-brilhante.html

    ResponderExcluir
  10. Gostei bastante de Destino. Gosto dessa Sociedades futurísticas. São livros interessantes. Fiquei bastante curiosa pelo segundo.

    P.S - As capas dessa série são lidas não são?

    Beijos!

    Máh - Storm of books.

    ResponderExcluir
  11. Oi Mar!
    Ganhei esse livro em uma promoção há um tempo, mas até agora não tive tempo de ler.
    A história parece ser bem legal. Fez lembrar alguns filmes e clipes que o meu professor analisou na aula de História, cinema e música. xD

    Bjs
    Gabi Lima
    http://livrofilmeecia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, flor!
    Eu adorei o livro, e não concordo com as suas críticas :S Sim, o pai dela é sim um Funcionário, mas ela explica que não como todos os outros. E também não acho difícil a sociedade ter tirado as práticas artísticas da população.
    Beijos
    Geê - almaleitora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Flor!! Nossa saudades de passar por aqui..

    Faz um certo tempo que li esse livro e posso dizer que ele na minha opinião é bom... acho que esperava um pouco mais dele não sei... provavelmente algumas contradições de lacunas que ficaram nele possam ser explicadas no próximo livro!

    meus parabéns pela resenha! um xerãoo ;**

    Lígia.

    Lígia et son monde.
    http://www.ligiaeseumundo.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Mar, não li esse livro e sinceramente não me interesso em ler, não sou muiito fã de distopias... enfim... mas acho que vc conseguiu captar a essencia da obra e apresentou mto bem isso na resenha. Deixa eu só te dar uma dica, porque vc nao justifica seus textos? É que fica mais 'bonito' e melhor de ler, as vezes é um pouco estranho ler quando ta tudo centralizado... gostei mesmo da resenha. bjinhos

    Dana.

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016