Louca sua miga

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A Pequena Garota

Olá Imaginários, por esses dias fiquei me questionando o sentido de tudo o que a gente faz, e com quem a gente convive. O por quê da distância entre as pessoas, e as mudanças que elas nos provocam. Como eu nunca fui boa em falar com alguém, até mesmo porque ninguém me escutaria e mesmo que escutasse, não entenderia, resolvi fazer mais um texto para englobar o Label de Reflexão. Não englobar, claro que não, confundi-me. Apenas juntar-se aos outros textos, porque ali dentro, cada texto, é único. Assim como você.


A Pequena Garota
Era uma vez... uma garota.
Uma pequena garota que amava a cor-de-rosa. Amava a inocência e acreditava em sua existência.
Uma garota que chorava com estranhos, que se emocionava com desconhecidos, e sobrevivia na luz.
Uma garota que se preocupava com o que pensavam dela.
Uma garota que queria ser perfeita para todos.
Uma garota amável. Generosa, e que saia de seu lugar do ônibus para uma grávida sentar-se.
Uma garota que era olhada com estreitos olhos, por todas as pessoas.
Uma garota que foi percebendo tais olhares direcionados a ela.
Uma garota que foi se perguntando o por quê de tanta estranheza.
Uma garota que começou a querer ser como todo mundo. Comum.
Uma garota que foi se entregando ao desespero do dinheiro.
Uma garota que entregou seu sorriso por um preço muito baixo.
Uma garota que entrou em depressão após se perder na imensidão do mundo.
Uma garota que notou que era excluída em todas as partes, e por todos.
Uma garota que percebeu que as pessoas só conviviam porque tinham que conviver.
Uma garota que se encolheu dentro da escura solidão.
Uma garota que começou a se matar por dentro .
Uma garota que não sabia mais qual era o sentido da vida.
Uma garota que odiava a cor-de-rosa. Odiava os que fingiam inocentes , e desacreditava na inocência.
Uma garota fria, e que não ligava para ninguém.
Uma garota que não se importava mais com nada do que pensavam dela.
Uma garota fechada em seu jeito de ser. Mesquinha, e que não abria mão de míseros centavos para um mendigo.
Uma garota que todos se encantavam por sua personalidade forte.
Uma garota que foi percebendo tamanha admiração de seus semelhantes.
Uma garota que foi copiada por todos os outros.
Uma garota que envelheceu e morreu como todo mundo.
Uma garota que viveu e não descobriu o sentido da vida.
Uma garota que sentiu o prazer da mudança. E também a tristeza de ser mudada.
Uma garota pequena, apenas uma garota. Uma pequena garota, que viveu e lutou para ser...
Uma garota.


3 COMENTÁRIOS:

  1. Olá Mar, aceito parceria sim (:
    É só colocar o banner do blog por aqui e seguir. Me avisa que faço o mesmo ok?
    Beijos

    Andresa
    www.inbookshelf.com

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo, Mar...
    Gostei muitooo...
    Bjinhos =***

    ResponderExcluir
  3. Muito bonita sua postagem! Passa uma mensagem emocionante.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016