Louca sua miga

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Quem irá dizer que não existe razão?

Olá imaginários...
Um realce da minha dolorosa realidade. (exagerada?) Eu gosto de ser adolescente por isso... A gente ama demais, odeia demais, é tudo em exagero. É preto ou branco. E quando a gente cresce... Tudo é cinza. É mais ou menos. A gente fica adulto. E fica tudo no meio termo. Não ama, não odeia... Não vive! Mas eu sou adolescente. E vai ser pra vida inteira assim.
Por isso, lhe convido para ler o meu pequeno trecho de reflexão, que tem como título, o trecho da música do Renato Russo , Eduardo e Mônica...

Quem [um dia] irá dizer que não existe razão?
Abri meus olhos,
e se eu morresse agora?
Quem iria chorar? Quem iria se lamentar por não ter dito alguma coisa?
Quem iria sentir pena de mim por não ter tido tempo de realizar meus sonhos?
Não sei. só sei de uma coisa... que o mundo giraria da mesma forma... sem mim. Meus pais viveriam normalmente, com uma falta no coração, mas não passaria disso... Uma falta... Eles podem ter outros filhos que tomem meu espaço. Tem a minha irmã; Tem outas coisas que eles podem dirigir a atenção. Meus amigos? Arranjariam outra amiga. Talvez mais bonita e mais inteligente. Meu namorado? Não sei nem se sentiria minha falta por mais de 5 meses; Apenas lembraria raramente do que vivemos juntos. Mas até uma dona com bumbum elevado aparecer na frente dele. Minha cachorra? Eu não tenho mais cachorra. Nenhum deles notariam minha falta. Talvez meus livros... fossem doados para pessoas que queiram ler. Meu cheiro nunca mais será sentido por ninguém. Meus olhos nunca mais piscarão... Nem meus cabelos irão chicotear contra o vento. Ninguém vai mais ouvir minha voz... ela será esquecida. Nada de cantos, nada de gritos, nada de sussuros. Nada de mim. Nem da minha voz. Nem de nada que era meu. Nem meu nome será pronunciado. Não dirigido a mim. E daqui a 500 anos, literalmente ninguém saberá que eu vivi , e pisei , onde eles vivem e pisam. Então é isso que eu sou pra todo mundo. Um nada que depois será desativado. É isso que todo mundo é . Em geral um nada que some. Como vou parar de existir , se ao menos não sei se existo nesse momento? E se eu estou perdendo tempo escrevendo essas baboseiras...? Enquanto eu poderia estar vivendo meus minutos de vida. Não sei se vou acordar no outro dia... Mas literalmente o mundo inteiro nem notaria minha falta. Pois nunca notaram minha presença.
Fecho meus olhos... Eu não sei se acordarei no outro dia. Só sei que estou fechado meus olhos. Não sei quando os abro.

4 COMENTÁRIOS:

  1. Esse texto dá um medinho de não termos tempo suficiente para fazermos tudo que queremos eim
    Eu tenho medo de morrer agora admito, porque gosto de viver e há tanta coisa pra ver e fazer né?
    Beijos querida, teu texto nos faz refletir ^^
    Bruna
    http://desbravandohistorias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que texto triste!
    Se for pensar por esse lado, tudo o que você escreveu está certo, mas prefiro não pensar dessa forma e viver cada minuto da minha vida.

    Bjss*
    Gabi Lima
    http://livrofilmeecua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto, realmente nos faz refletir um pouco sobre a vida e esse texto me lembrou uma frase que li uma vez. "Não viva para que sua presença seja notada, mas para que sua falta seja sentida". Uma frase que resumi o que voc~e disse no texto.

    Beijão;*
    Naty - Just Books !

    ResponderExcluir
  4. Texto muito bem escrito e nos faz refletir sobre a fragilidade da vida.
    Mas achei muito triste sua visão, mesmo que correta! Acho que nesse ponto concordo com a Gabi Lima que comentou, sobre preferir viver os minutos da minha vida.
    De qualquer forma, gostei do texto, e adorei o começo do post, falando sobre a intensidade. Eu também prefiro ser intensa a ficar no cinza ;)
    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá, escreva o quanto e o que você puder...

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016