Louca sua miga

sábado, 28 de maio de 2011

Texto: Ser feliz...

Mais uma vez escrevo um texto , onde meus pensamentos e sentimentos são expostos e transmitidos através de pequenas luzes na tela de alguns computadores. Espero que essas poucas letras digitadas, façam-no sentir um terço do que eu procuro passar.

Para ser feliz... Tem que saber a verdade.
Tenho uma vida pacata. Escola, casa, comida e família. Rezo, espero, corro atrás. Mas mesmo fazendo tudo o que essa sociedade manda, comprando e sendo uma boa pessoa, não consigo achar o significado da palavra felicidade. Pergunto-me se tal palavra foi feita para manter a ilusão das pessoas acesas... Pois caso não houvesse algo que elas realmente procurassem, não haveria vida. Pensando sobre, concluí que quando as pessoas percebem que foram enganadas, iludidas. Elas perdem a razão de viver, perde a ilusão. A vida então é um caminho longo, que te ilude, que faz você acreditar em coisas que não irá ter. Que não irá ser. É doloroso ver que você sonhou em ser um cantor famoso de cabelos ruivos, ou uma atriz loira dos olhos claros, quando você é uma merda. Dói . Não há pessoas felizes, apenas momentos? Não há momentos felizes. Não existe felicidade. Apenas sorrisos. Quando seu sorriso finaliza, seus problemas te retornam. Não existe um dia feliz da sua vida, a não ser o da sua morte. Pois é nele que você descobre a verdade. Que foi iludida. Para ser feliz... tem que saber a verdade. Tem que descobrir. Tem que viver uma vida inteira , para descobrir que tudo é isso aí que você está fazendo agora... Vivendo... Lendo um texto bobo, feito por outra pessoa que procura a mesma coisa, significados . Vá em frente... Viva . Descubra por mim... e me conte para eu não ter que procurá-la por toda minha vida.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Divulgação de Livros - Desejados

Olá queridos leitores.
Hoje, teremos a divulgação de dois livros que chamou-me a atenção... (pelas capas inicialmente). Já estão entrando na minha lista de Desejados.
Quem quiser me dar de presente, eu aceito. Brincadeira . Enfim... Começamos com um livro que já estou há um bom tempo procurando saber...
Sete Vidas
Achei a sinopse bem interessante, diferente para dizer a verdade. Estou um pouco saturada de temas vampirescos. Estou lendo até um "Policial" , coisa que eu não fazia. Enfim, isso não vem ao caso.
O livro está para ser lançado no finalzinho de maio. Segue-se a sinopse.
Sinopse:
"A pequena cidade de Moonville, Aprilynne Hills é conhecida como a rebelde do orfanato Joy Lenz. Sua vida se resume em quebrar regras e aceitar desafios.
Após perder uma aposta de sua inimiga Angelique, tudo toma um rumo inesperado. Encontrar uma garota morta em um lago e começar a ter alucinações não estava em seus planos.
Descobrindo poderes que nunca imaginou ter, April contará com a ajuda de poucos para resolver um mistério que envolve até deuses do antigo Egito.
Mistérios, segredos, lutas e romance te aguardam nessa narrativa que promete tirar o fôlego dos leitores em cada página."

Sleight
Para dizer a verdade, o que mais me chamou a atenção foi a capa. Eu achei divina. Lembra a capa de "Sorte ou Azar " da Meg Cabot , certo? Certo. Infelizmente não achei uma boa sinopse , as traduções que consegui são bem mau feitas. Mas a estória é bem interessante, resume-se em uma menina que cresce em um circo (diferente né? ) , e tem alguns problemas com seu melhor amigo, que passa por uma situação delicada com a doença de sua mãe.
Não obtive muitas informações do livro (não sou boa em inglês) . Mas que a capa é linda... Terá de concordar comigo.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Radiante - Alyson Noël

Radiante - Alyson Noël
Não gente, não. Não é a resenha, infelizmente. Estou aqui para dá uma divulgada básica nesse livro.


Da criadora da série Os Imortais (cuja estória é linda, mas a abordagem e a criatividade são fracas), e uma vertente da mesma , Radiante. Particularmente, a capa me encantou, assim como todas as outras capas da série. Quero deixar bem claro, que não é continuação da série, quando o vi pela primeira vez imaginei que fosse.
Sobre a escrita de Alyson, apesar de ler muita coisa contra, eu gosto. Ela não usa palavreados complicados, usa uma linguagem tranqüila. O que , em meu ponto de vista, a autora peca é no termo de criatividade. Apesar das teorias do surgimento da vida, inicialmente me abalaram por fazer-me enxergar o mundo de outra maneira.



Sinopse:

Após o grande sucesso da série Os imortais, Alyson Noël nos presenteia com uma série dedicada à história de Riley Bloom, irmã caçula de Ever Bloom, protagonista dos livros Para sempre, Lua azul, Terra de sombras e Chama negra, com mais de 250.000 exemplares vendidos no Brasil. Algum tempo após o acidente de carro que a matou, Riley Bloom deixou sua irmã, Ever, no mundo que conhecemos e atravessou a ponte da vida após a morte até um lugar chamado Aqui, onde o tempo é sempre Agora. Riley reencontrou os pais, também vítimas do desastre, e Buttercup, o cão da família. Todos estavam se adaptando a uma morte boa e tranquila, até que ela foi chamada perante o Conselho e um segredo lhe foi revelado: a pós-vida não significa simplesmente uma eternidade de lazer. Riley tem tarefas a realizar. Ela é designada como Apanhadora de Almas, e Bodhi, um garoto diferente, que ela não consegue decifrar muito bem, é seu guia.
Riley, Bodhi e Buttercup voltam à Terra para sua primeira tarefa: fazer o Menino Radiante, que há anos assombra um castelo na Inglaterra, atravessar a ponte. Muitos Apanhadores de Almas já tentaram convencê-lo e não obtiveram sucesso. Mas isso foi antes que o menino conhecesse Riley...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Confie em mim - Leitura Atual

Confie em Mim.
Olá leitores, minha vida enrolada e agitada não me deixa. Não postei o video da Caixinha de Correios #2, mas irei fazer novamente. Enfim, o motivo que me fez preparar essa postagem é outra. Como todos os que acompanham o blog sabem, eu estava loucamente à procura de trocas para obter esse livro em minhas mãos. Como apenas consegui trocas por livros que eu não tinha interesse em trocar, acabei comprando mesmo. Na verdade não estava caro nas Lojas Americanas (simples propaganda), e acabei comprando. Fiquei em dúvida entre Cilada , e Confie em Mim. Fiquei com o coração na mão quando não consegui pagar os dois, mas estou feliz pois consegui pelo menos um.

Enfim, para dá uma forcinha para o autor, resolvi postar a sinopse do livro, para quem se interessar. Harlan Coben está sendo considerado o melhor autor de suspense da atualidade, dá para imaginar o quanto é bom os livros dele certo? Deixo vocês com a sinopse do livro, para dá um gostinho de quero mais (abafa).
Podem esperar a resenha por aqui no blog.




Sinopse:

Preocupados com o comportamento cada vez mais distante de seu filho Adam – principalmente depois do suicídio de seu melhor amigo, Spencer Hill –, o Dr. Mike Baye e sua esposa, Tia, decidem instalar um programa de monitoração no computador do garoto. Os primeiros relatórios não revelam nada de importante. Porém, quando eles já começavam a se sentir mais tranqüilos, uma estranha mensagem muda completamente o rumo dos acontecimentos: "Fica de bico calado que a gente se safa." Perto dali, a mãe de Spencer, Betsy, encontra uma foto que levanta suspeitas sobre as circunstâncias da morte de seu filho. Ao contrário do que todos pensavam, ele não estava sozinho naquela noite fatídica. Teria sido mesmo suicídio? Para tornar o caso ainda mais estranho, Adam combina de ir a um jogo com o pai, mas desaparece misteriosamente. Acreditando que o garoto está correndo um grande perigo, Mike não medirá esforços para encontrá-lo. Quando duas mulheres são atacadas por um assassino, uma série de acontecimentos faz com que a vida de todas essas pessoas se cruzem de forma trágica, violenta e inesperada. Confie em mim é um suspense eletrizante, mas também um convite à reflexão sobre temas mais profundos. Neste livro, Harlan Coben – vencedor de diversos prêmios e presença constante nas listas de mais vendidos de todo o mundo – aborda assuntos atuais, como a facilidade de acesso às informações na era da internet, e questiona os limites no relacionamento entre pais e filhos: quando é hora de intervir? Quando o melhor é simplesmente confiar? Até onde você iria para proteger as pessoas que mais ama na vida?

terça-feira, 10 de maio de 2011

Encontro Literário - Selo Brasileiro



quinta-feira, 5 de maio de 2011

Crescendo - Hush Hush


Resenha de Crescendo - Continuação de Sussurro. Por Becca Fitzpatrick.
Peço desculpa pela demora da formulação dessa resenha. Enfim... Vamos começar.

Sinopse:
Nora deveria saber que sua vida estava longe de ser perfeita. Apesar de começar uma relação com seu anjo da guarda, Patch (quem, título à parte, pode ser descrito como qualquer coisa, menos angelical), e sobreviver a um atentado a sua vida, as coisas não parecem melhorar. Patch está começando a se afastar e Nora não consegue descobrir se é para o seu próprio bem ou se o seu interesse voltou-se para sua arquinimiga, Marcie Millar. Sem contar que Nora é assombrada por imagens de seu pai e ela fica obcecada querendo descobrir o que realmente aconteceu com ele naquela noite em que ele partiu para Portland e nunca voltou para casa. Quanto mais Nora se aprofunda no mistério da morte de seu pai, mais ela começa a se perguntar se sua ascendência nefilim tem algo a ver com isso, assim como o por quê de ela estar em perigo com mais freqüência do que as garotas normais. Já que Patch não está respondendo suas perguntas e parece estar atrapalhando, ela tem que começar a procurar as respostas por si só. Confiar demais no fato de que ela tem um anjo da guarda põe Nora em perigo de novo e de novo. Mas ela pode mesmo contar com Patch ou ele está escondendo segredos mais obscuros do que ela pode imaginar?


Resenha:

O primeiro livro é extremamente empolgante pelo fato de Patch ser misterioso... Isso não se perde na continuação da série, porém, nos dá uma segurança maior de que ele não tenha culpa de nada, deixando a história um pouco menos empogante.
O momento do casal Nora e Patch, não poderia ser melhor, eles curtem juntos o momento de paz entre eles. Mas não dura muito, já que os Arcanjos estão de olho nele. O casal fica submetido a viver as escondidas, tomando sempre cuidado para que os Arcanjos não percebam nada anormal entre eles.
Em uma briga, Nora acaba desabafando, e fala com Patch que não lhe quer mais como seu anjo da guarda , já que ele está saindo com uma de suas piores inimigas... Marcie Millar. Nora mordida de raiva, tenta se concentrar em várias outras coisas. Como comprar seu novo carro, arranjar um emprego, para não ter de ficar pensando em Patch, e dar mais atenção à Vee, sua melhor amiga. O que dificulta sua situação, é que agora Vee precisa distribuir seu tempo entre Rixon, e Nora. ( Rixon é o melhor amigo de Patch ) Nora fica invejada por ver sair os quatro juntos (Marcie, Vee, Rixon e Patch) e ela estar de fora.
Um amigo de infância volta para a cidade, Scott. Suas mães (que sempre tiveram o sonho de juntar os dois) influenciam para que eles saiam juntos. Entretanto, Nora não gosta do estilo do garoto, ele aparenta ser "barra pesada", se mete em brigas, e é irritante. Mas, ela leva tudo a sério, quando o objetivo é provocar Patch.
(Uma parte bem legal do livro, e que eu me empolguei) É quando Scott leva Nora até a Casa do Diabo, e Patch também se encontra no mesmo local, e eles acabam brigando por ela.
Grey acaba tendo alucinações com seu pai... Mas ela não entende porque seu pai a faria mau, já que a amava. E começa a desconfiar da identidade de seu pai .
Estranhas situações fazem Nora desconfiar de Patch. Do objetivo dele, de querer matá-la. Ela recebe um bilhete que a faz alucinar, e a desmaiar. Logo fica tranada da biblioteca. Também vai ao apartamento 'suposto' dele , e o apartamento explode , após ela sair . Grey acaba bloqueando Patch , que tenta se comunicar através de seus sonhos.
Achei que a Becca pecou um pouco. Eu demorei bem para ler esse livro. Na metade do livro, estava realmente animada e ansiosa para terminar de ler, mas depois fui lendo degradamente.
O final ficou provocante. O que faz a gente querer terminar de ler (pelo menos eu) a série.
O causador de toda essa discórdia, apesar das suspeitas de Nora, não era nem Patch e nem Scott (que era um nefilim) e sim Rixon. Ele não deixou Patch matar Grey, por ele queria matá-la.
Ele a levou para o fundo da Casa Maluca , no Delphic para matá-la.



Quotes:
Rixon me observou, claramente pensando um pouco no que iria responder.
_ Patch é o mais próximo que eu tenho de uma família e eu amo esse cara como
a um irmão, mas ele não é para você. Eu sei disso, ele sabe disso e,lá no fundo
acho que você também sabe. Talvez não queira ouvir isso, mas ele e Marcie são parecidos.
São feitos do mesmo material. Patch merece se divertir um pouco. E ele pode,
pois Marcie não o ama. Nada do que ela sente por ele vai perturbar os arcanjos.
Ficamos em silêncio e lutei para esconder minhas emoções. Em outras palavras,
eu perturbara os arcanjos. Meus sentimentos por Patch tinham nos levado àquela situação.
Não havia sido nada do que Patch fizera ou dissera. Era eu. De acordo com a explicação de
Rixon, Patch nunca me amara. Nunca retribuíra meus sentimentos. Eu não queria aceitar aquilo.
Queria que Patch gostasse de mim da mesma forma que eu gostava dele. Não queria achar que eu
não tinha passado de diversão, uma espécie de passatempo.


(Por um momento me perguntei: será que no final Patch vira gay? )


_ Se você tocar nela - disse ele no ouvido de Scott, com a voz
baixa e ameaçadora _, vai se arrepender pelo resto da sua vida.
Antes de sair, Patch lançou um olhar em minha direção.
_ Ele não vale isso - E fez uma pausa - Nem eu.





Infelizmente, sei que a resenha não ficou muito boa. Um pouco enrolada, não dividi bem as partes. Esqueci bastante coisa, pois li o livro há bastante tempo, e não lembrei de tudo. Mas como a série Hush Hush faz bastante sucesso, principalmente entre os blogueiros, caso não tenha satisfeito com a nossa "pequena" resenha, faça uma busca na nossa aba de Procura. Lá você encontrará postagens de parceiros, de blogs listados, do nosso blog, e links que recomendo.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Vaidade

Eu caminho pelo centro de minha cidade, voltando da escola ou indo para qualquer lugar indefinido, observando as pessoas. Não apenas suas feições, e sim o que há dentro delas. Se pensar bem, cada pessoa leva consido mais do que linhas de expressões e roupas tentando amparar seus defeitos mais íntimos. Levam consigo anos de vida com experiência, e sonhos de futuro. Desejos. Amores. Pensamentos que ninguém nunca ouviu sendo pronunciado. Cada um tem seu trauma, seu medo, seu segredo. Coisas que ninguém conta a ninguém. Que nem mesmo seus pais sabem. Cada um tem um objeto de vergonha, algo que não gosta que reparem, ou mesmo desconfiem. Mas, eu caminhando como sempre, tentando rotineiramente ler as expressões vazias , dificultadas com a correria... Tentando entender as linha de expressões, se são de choros ou gargalhadas. Lendo cada informação, cada sorriso, cada careta, cada tique... Percebi que eu só lia , só tentava entender as pessoas que fisicamente me chamavam atenção. Fossem por cabelos louros, ou por sua pele lisinha, também por sua blusa colorida de marca, ou pelo tênis que eu vi no outro dia na vitrine. Ou até mesmo por ser bem sexy. Mas caramba, não é esse sentido que eu procuro, se é que você me entende. Não é isso que eu tento descobrir. As roupas, os olhos, os cabelos, eu não preciso pensar para ver, para entender. Está ali para ser olhado. Está ali, só porque a pessoa que o usa, quer que você olhe para ele. O medo, a dor, os defeitos, eles escondem. Guardam dentro dessa faceta. Mas são esses medos, as dores , e esses defeitos que eu quero descobrir... porque não estão à mostra.
Minha vaidade, não comigo e sim com os outros, está tampando meus olhos. Ofuscando-o. Tirando o foco principal e primitivo. Não é vaidade comigo, com a minha estética. É preocupação com a estética dos outros. FODA-SE A ROUPA DOS OUTROS! Penso assim. Pelo menos eu acreditava que pensava, até perceber para quem eu olhava primeiro, se era para um garoto alto, forte, de olhos claros, cabelo liso e extremamente seguro de si. Ou para um garoto de chinelo, parado atrás do ponto de ônibus, olhando para a mão, contando as moedinhas para comprar algo que seu dinheiro não dava, pois o guardou logo em seguida. Não acho que os defeitos do louro não existam, apenas estão escondidos. E o do garoto de chinelo, estão à mostra. Se é que é defeito usar chinelo. (aposto que pensou em um garoto maljumbrado)
E é por isso, e outras... que eu deixo vocês pensarem sobre isso... Espero que consigam me entender. Consigam enxergar como eu enxergo, quer dizer, consigam enxergam além do que eu enxergo. Logo, deixo o seguinte fragmento para vocês refletirem:


Até onde a vaidade me leva? Porque eu considero o mais bonito melhor que o mais feio?
Logo eu, que sempre bati no peito e falei que beleza não é tudo, agora me vejo dentro
de um mundo ,com armadilhas que eu critiquei, mas que estou caindo, e porque eu quero.
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016