Louca sua miga

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Pam Gonçalves - Livro "Boa Noite" em uma Tarde de Autógrafos


A Pam Gonçalves, conhecida pelos antigos da blogosfera literária como "Garota It", participou de uma tarde de autógrafos na Livraria Favorita na cidade de Três Rios para divulgar o seu lançamento literário "Boa Noite". Eu fui convidada a cobrir o evento e mostrar um pouquinho do que rolou por lá para vocês que não conseguiram ir e relembrar os melhores momentos com quem conseguiu participar.



Pam Gonçalves na tarde de autógrafos do livro "Boa Noite"

Pam Gonçalves - Tarde de Autógrafos do Livro "Boa Noite" - O Vídeo



Eu já havia conhecido a blogueira nas Bienais dos Livros de São Paulo e Rio de Janeiro. No entanto, neste evento deu para tirar foto com mais calma e conversar com ela com tranquilidade (e sem gritaria! Ou pelo menos quase sem, rs). O evento foi super organizado e a quantidade de pessoas presentes me surpreendeu (quem também mora no interior sabe como é difícil fazer um evento literário e/ou cultural lotar!)



Eu consegui tirar uma fotinha com ela!
E uma selfie também!
Gente! Adorei participar deste evento! Na verdade, estava realmente precisando disso! Como vocês sabem, fiquei um mês com o blog em hiatus (depois de seis anos nunca parando de blogar - mesmo que trocando de blogs, rs) devido ao meu TCC. E, para votar à tona, esse evento me ajudou demais! Podem fazer mais! E me chamem! Por favor, haha!

Obs.: Vai lá me seguir no Snap pra acompanhar tudo ao vivo: BlogLaGarota 💜


sábado, 19 de novembro de 2016

Livro "Azeitona" - Bruno Miranda - Resenha

LIVRO AZEITONA

o ENREDO DO LIVRO

Imagine estar em uma sala de espera de um consultório médico, cheia de grávidas quando de repente uma produtora lhe convida para participar de seu reality show sobre pais adolescentes? Louco, né? Hahaha... 

Enquanto espera a irmã Iris sair de sua consulta, Ian é abordado por Catarina, produtora de um dos maiores reality’s show do Brasil: o Novos Pais. Ela acaba confundindo a presença de Ian ali como decorrência dele estar esperando a namorada grávida sair da consulta.

Depois passar boa parte da vida sendo criado pela irmã, tudo que Ian quer é retribuir o favor. Agora que a irmã vai ser mãe, ele quer dar o melhor para ela e o bebê. Então decide aceitar participar do programa. Agora só falta arranjar a mãe do seu bebê falso e a primeira pessoa que vem a sua cabeça é Emília, uma garota de sua turma de terceiro ano do colégio a quem se dirigiu, no máximo, cinco palavras durante o ano letivo.

Como convencer Emília a participar dessa farsa? No entanto, apesar de se assustar com a proposta inusitada, ela tem seus próprios motivos secretos para querer o dinheiro que iria receber como cachê. Pronto, a confusão está armada. Será que essa ideia vai dar certo?

CONTRA CAPA

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

A narração segue em terceira pessoa, com vários pontos de vistas diferentes, mas com o foco maior em Ian e Emília, nossos protagonistas. O enredo é bem leve e sem grande complexidade. A edição está muito bem trabalhada. A fonte está perfeita para a leitura e as folhas amareladas agradáveis aos olhos. Encontrei um ou outro erro de diagramação, mas nada alarmante. Tanto a capa quanto o interior da capa estão muito lindos! O Selo Outro Planeta fez um ótimo trabalho com esse livro. :D

o LIVRO NO GERAL

Em  vários momentos, a história trás algumas mensagens bacanas sobre ser adolescente, sobre a vida, sobre o amor, sobre a verdadeira felicidade. Essas coisas foram o que me cativaram no livro junto com as frases de efeito que foram muito bem inseridas. Porem, temos vários pontos negativos.

“Enquanto você tentar se completar com qualquer coisa que não seja o amor de verdade, você só vai se inflar como um balão de festa; quanto mais cheio, mais frágil.” Página 107

Os protagonistas Ian e Emília tentam contar muito com a sorte. Não há planejamento em nada do que fazem e os momentos em que eles não são pegos mentindo, a cena acaba sendo forçada. Tem tanta coisa que era para ter dado errado há tempos, mas nada aconteceu e isso me deixou frustrada.

Como o autor quis abordar por vários caminhos, os personagens ficaram rasos. Ian e Emília não foram protagonistas cativantes. Até Iris, a irmã de Ian, que tinha tudo para ser uma personagem bem bacana, não teve profundidade em sua personalidade. Quem mais me cativou foi Lisa com sua história de vida e bondade. Ainda assim, foi dito muito pouco sobre a história dela no livro. Posso dizer sem sombra de dúvida que Bruno Miranda sabe escrever, mas falta um pouco de foco sobre qual assunto se ater.

LOMBADA DE AZEITONA

O autor quis abordar tantas temáticas que acabou não se aprofundando em nenhuma delas. Por fim, a história ficou rasa e em certos momentos arrastada. Não tiro o mérito do autor em expandir os horizontes dessa história, mas para um livro tão curto, uma só temática já estaria de bom tamanho.

sábado, 5 de novembro de 2016

Livro "Pensei Que Fosse Verdade" - Huntley Fitzpatrick - Resenha

CAPA DE PENSEI QUE FOSSE VERDADE

ENREDO DO LIVRO

Gwen Castle morou a vida toda na Ilha de Seashell, Connecticut, e tudo o que ela queria era sair de lá quando formasse, principalmente depois da primavera desastrosa que ela teve. Gwen passou a primavera sendo uma reclusa e finalmente quando chegaram as férias de verão, ela não ganhou uma trégua da vida.

Cassidy Somers mora em Stony Bay, cidade vizinha à ilha de Seashell. De família rica, Cass não precisa trabalhar, mas como castigo definido pelos pais por ter sido expulso da antiga escola por baderna, ele vai trabalhar na ilha como faz-tudo. Três meses aparando grama, arrancando erva daninha e tudo mais que fosse necessário na parte rica da ilha.

Gwen trabalhava com o pai em Stony Bay todos os verões, mas nesse verão ela resolveu trabalhar como cuidadora da senhora Ellington, uma moradora rica da ilha. Logo nesse verão, o cara com que ela se envolveu na primavera, vai trabalhar na ilha como faz-tudo. Já não bastasse tê-lo visto todos os dias na escola, agora ele vai invadir ainda mais o seu mundo. Gwen e Cass inevitavelmente se encontram muitas vezes e a cada encontro a tensão entre eles era muito palpável.

MARCADOR LINDO
Esse casal parece ter sido feito um para o outro e só eles não viam isso! Até que possam sentar e conversar abertamente sobre a primavera passada, eles não vão conseguir ficar juntos.

Em meio ao drama de Gwen e Cass, temos outros personagens que ganham espaço, porém dois deles tiveram destaque para mim: Emory e senhora Ellington. Emory é o irmãozinho de Gwen. Ele tem uma doença que o impede de se desenvolver corretamente e não existe um diagnóstico da causa. A relação de Gwen com ele é algo lindo de se ver. Com apenas 17 anos, Gwen teve que amadurecer muito rápido para ajudar a família e a maneira como ela cuida de Emory é muito bonita. A senhora Ellington é adorável. Essa dá ótimos conselhos e ainda adora um romance erótico. Melhor pessoa!

"Sim, é extremamente difícil para duas pessoas serem francas uma com a outra. Sentimos medos, ficamos constrangidos... queremos que os outros tenham uma boa opinião sobre nós. Fui casada por cinco anos com o capitão antes de ele me confessar que nunca tinha comandado um navio. Que, na verdade, os navios o deixavam mareado. Eu achava que ele devia ter tido uma má experiência  na guerra e que era por isso que não queria saber de passeios ou viagens marítimas. Mas ele nunca tinha estado na marinha... bem, estou digredindo.Talvez, querida Gwen, você pudesse, em vez de ver uma mentira como forma de traição, pensar no quanto é raro e maravilhoso quando dois seres humanos conseguem dizer a verdade um ao outro." Página 314

CAPRICHO NA EDIÇÃO

NARRAÇÃO E EDIÇÃO FÍSICA

Gwen é nossa narradora e vai nos revelando pouco a pouco sobre suas lembranças da primavera passada e momentos de sua infância com os amigos. A edição da Editora Valentina está muito bonita. No início de cada capítulo a primeira palavra ganha um destaque e a cada canto de página temos um coração muito fofo. O que mais chamou a minha atenção foi a lombada colorida. O livro fica lindo na estante!

O LIVRO NO GERAL

Tão bom quando você já começa a leitura de um livro se conectando com os personagens e seus dramas. Quanto mais eu avançava na leitura do livro mais curiosa ficava para saber sobre os acontecimentos que fizeram Gwen ficar reclusa. Vamos tendo noção de certas coisas, mas nada é esclarecido. Esse ar de mistério foi bem-vindo para mim durante a leitura. Mas o livro não é só o drama do passado de Gwen.

Pensei Que Fosse Verdade é um livro cheio de emoção e amor familiar. No livro, a autora fala sobre a vida sexual dos adolescentes de maneira leve e direta. O fato de Gwen ser bem entendida sobre o assunto foi algo que me chamou atenção, mas de uma maneira positiva. Geralmente as mocinhas são puritanas e ter Gwen como uma protagonista mais experiente deixaram as coisas mais verossímeis.

O livro tem uma boa escrita. A leitura é leve, mas com reflexão. Adorei as frases de efeito! Os dramas adolescentes são bem construídos e abordados de maneira simples. Huntley Fitzpatrick trata de temas adolescentes sem pesar a mão ou forçar a barra. Sua protagonista apesar de cometer erros, não é cheia de frescura demais e não perde o fio da meada. Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora e foi muito bom ter tido a chance de ler esse livro. E claro que quero ler mais livros dela.

FOFURA DE LIVRO
Seu primeiro romance lançado Minha Vida Mora Ao Lado, já está minha lista de leitura e foi lançado também pela Editora Valentina. O livro ganhou o prêmio de Melhor Romance Juvenil pela YALSA e foi finalista do prêmio RITA. Minha curiosidade foi aguçada!
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016